Quickribbon Espiral: Julho 2014

segunda-feira, julho 28, 2014

Tenho sorte pah

Porque em todos os momentos tive alguém que me agarrasse. E disso nunca me esqueço.

Porque neste momento, em que sei, em que me dizem,  que me estou a destruir  mim própria, tenho sempre alguém que me segura e me guarda num abraço onde posso chorar.


sexta-feira, julho 18, 2014

Juro

Que adorava escrever posts menos deprimentes e tristes (e muita sorte serem só palavras porque como ando se tivesse uma arma acho que morria gente), mas é como me sinto agora.


p.s. A parte da revolta é verdadeira, a outra parte, de matar gente, é brincadeira. Estou assim a modos que f***** mas o sentido de humor continua inabalável. Salve-se qualquer coisita.

A psicologia explica muita coisa, é só querermos ver

Estou a começar a ganhar consciência que há muitos tipos de eventos a que não falto, apesar do dinheiro dispendido (muito) e energia, porque já me capacitei interiormente que como nunca vou ter nada disso, ao menos vivo os dos outros.

Imaginava muita coisa menos isto....

Dormir 4/5 horas por noite.
Ter 4 horas de transportes por dia.
Ganhar uma obscenidade do pouco que é.

Nunca pensei ficar tão frustrada por não ter sorte/pais ricos/cunhas/facilidades várias.

Mas é o que é.



domingo, julho 06, 2014

Da perspectiva. Que um dia vou aprender.

Acho que tento, mas não sou uma boa pessoa. Provavelmente não tento assim tanto, e os meus gestos são superficiais. Até podem ter algum alcance mas com pouca profundidade o que o faz ser simplesmente pueris e fúteis.

Não sou boa pessoa. Irrito-me e deprimo porque não tenho o emprego que queria. Porque não tenho o ordenado que julgo merecer. Fico com raiva de, apesar de já ter trabalho  outra vez, ganhar a miséria que ganho. É o que sinto. Sinto-me furiosa porque não posso ter uma casa, porque não posso viajar como queria e como acho que merecia. Porque não posso comprar o que quero, roupa, livros, ter tudo aquilo que acho que tenho direito. Porque tenho a idade que tenho e ainda vivo em casa dos pais e acho isso injusto. E como se o mundo me devesse alguma coisa. E porque acho que mereço. Mais que outros, claro. E acho que há culpados (o meio, o contexto, a genética, a aletoriedade karmática, etc) e perco energias só a carpir.

Não sou boa pessoa. Porque olho demasiado o que não tenho.Que "toda a gente" parece ter e só eu não. Porque penso demasiado, porque fico frustrada e isso faz de mim mesquinha. E faz de mim uma pessoa má. E raivosa. E amarga. E fica aqui um buraco enorme e escuro que alastra. De certeza. E odeio sentir-me assim.

Porque claro que quero ser boa pessoa. Ninguém gosta de se olhar ao espelho e ver esta imagem crua e verdadeira. Porque odeio sentir estes sentimentos, porque juro, juro que acho que era melhor pessoa que isto....Mas é o que é.

Não sou boa pessoa porque me falta esta grandeza. Esta pureza. Esta generosidade imensa. Por isso envergonho-me. Por ser uma pessoa assim tão "feia".

Mas estes textos ajudam-me. As pessoas por detrás destes textos. Estes exemplos. Porque hoje sou pequena, ignóbil. Mas pode ser que um dia, passo a passinho, consigo chegar perto disto.

http://eueleeamaria.blogspot.pt/2014/06/nos-temos-tudo.html




.