Quickribbon Espiral: Maio 2014

domingo, maio 25, 2014

Como disse a A. "The loop my friend"


terça-feira, maio 20, 2014

Mas o que eu vinha aqui dizer mesmo

Porra, o Camus escreve tão bem que vou na segunda página de "A Peste" e já tenho duas frases brutais e imortais na cabeça.

É verdade, 30-1

Fiz este mês, mais precisamente na terça passada 29 anos.

Apesar de não me apetecer festejar, por vários motivos, vivi o dia.
Tenho saúde. Tenho amigos. Tenho amor. Tenho família.


sábado, maio 17, 2014

Parkas, oláaaaaa!!!!!





Hoje, eu, esta música, um cigarro, um carro, a noite e um rio à minha frente.

Era tudo o que precisava esta noite.



Mas para estragar a imagem poetico-deprimente-romântica



- não fumo tabaco

- outro tipo de substâncias também não faz parte do meu arsenal de mala de gaja

-  tenho um sentido do ridículo muito apurado que me impede de certos melodramatismos,

- a réstia de inteligência que habita em mim sofre de vergonha alheia e impede-me de o fazer

- para ir à zona ribeirinha que me referi ainda teria que andar uns kms

- e provavelmente perdia-me a meio do caminho

- e é uma da manhã

- que não é tarde, mas ainda tenho que ir fazer um bolo hoje

- e amanha acordar cedo

sexta-feira, maio 16, 2014

a minha alma é feita disto

terça-feira, maio 06, 2014

Como diria um dos meus escritores favoritos

"O tempo transforma tudo em tempo"

Não explicou com clareza foi o modo pernicioso como isso poderá eventualmente acontecer. De um modo perverso claro. Tenho as parcas a rirem-se de certeza.


Nas canções

Bem decifradas percebe-se perfeitamente a maneira tão diferente como as mulheres e os homens que as escreveram, sentem o amor.

Acho fantástico quando esses dois lados separados por um precipício tão grande se  encontram de alguma maneira.