Quickribbon Espiral: Novembro 2008

quinta-feira, novembro 27, 2008

Nenhuma tu

Já disse que adoro José Luís Peixoto? Não? Ok, adoro-o (e não, não é pela moda, já li mesmo os livros todos dele, antes sequer de ser moda...). E pelos vistos temos o mesmo (bom) gosto.  Adoro isso. E adoro saber que pelos vistos, e pelo que está no blog dele (procurem, não me apetece por link), também adora Izet Sarajlic, um poeta daqueles... bons ^^.

Portanto cá deixo um poema simples, sincero e bonito do senhor Izet (Deus o tenha em bom descanso) traduzido livremente pelo mui nobre escritor José Luís Peixoto do original em castelhano:

NENHUMA TU



Tantas mulheres

e nenhuma tu.


Em Sarajevo

duzentas mil mulheres

e nenhuma tu.


Na Europa

duzentos milhões de mulheres

e nenhuma tu.


No mundo,

dois mil milhões de mulheres

e nenhuma tu.


Por Izet Sarajlic

Do livro: Una calle para mi nombre


Pronto. Tenham um bom resto de dia. Que tá um sol bom. E inspirem-se. Nem que seja com estes poemas. Que inspiram qualquer um. Vá, vão oferecer flores aos namorados. Vá, vão declarar-se às meninas.


Espiral


Inspiração: Os grandes talentos... Pessoa, Dummond de Andrade, Fausto, Torga, Espanca, Neruda, o senhor do poema acima, o senhor que traduziu o poema acima... 





terça-feira, novembro 25, 2008

Sensações

Hoje, tenho um tronco de árvore entalado na garganta.

Espiral





sábado, novembro 22, 2008

Frases

É engraçado como as frases que me marcam, naquele sentido de serem respostas quando não há respostas, e de nos ajudarem quando precisamos não terem sido proferidas por amigos ou familiares e terem sida apanhadas só assim porque sim.

Algumas delas são estas:

"Não é o fim do mundo." e "Ninguém te vai matar pois não?" --> As duas de um dos seguintes livros de Alice Vieira  "Rosa, minha irmã Rosa", "Lote 12 2º frente" ou "Chocolate à chuva". É de um deles... não me lembro qual. Mas são frases boas. 

"Faz qualquer coisa. E se não poderes fazer nada, faz outra coisa qualquer." --> Brilhantes, estas frases. Ouvi estas frases em Junho passado, sentade as 8 e meia da manhã no bar da minha faculdade, enquanto pensava na m**** da vida e na m***** da monografia e realmente sã odaquelas frases que arrebitam uma pessoa. O meu muito obrigada aos maravilhosos professores da minha faculdade que falam sobre estratégias de adaptação nacionais e internacionais em qualquer mesa de café. Bem hajam!

"Temos de continuar andando..." --> Bem, isto é de um anime qualquer. Até me irrita não me lembrar qual. Aí... pronto, ok, mas também é boa. lol


E pronto. Já tá... A colecção de frases que murmuro quando não tenho respostas. =)

Espiral

quinta-feira, novembro 20, 2008

Tipos de beleza

Sempre vi a tristeza profunda como possuidora de uma beleza intrínseca. Protege-nos quando estamos frágeis. Os olhos dos que guardam verdadeiras mágoas parecem-me sempre maiores e mais profundos. Talvez porque têm que olhar mais longe para se sentirem menos perdidos. Talvez porque tenham que aparentar calma quando por dentro tudo precisa de explodir. Talvez porque caminhem demasiado equilibrados. Aquele equilibrio pensado. Porque sabem que em algum momento a tristeza irá chegar mais forte do que agora. E não podem deixar-se sucumbir por ela. Por isso, essa atenção mansa, esse riso vivo, essa força. Essa confiança no amanhã. Porque o hoje ou o ontem pode ser mau demais. Porque esse tipo de tristeza marca. 

Espiral

Inspiração: pessoas... e "August day song " (Bebel Giberto)

sábado, novembro 15, 2008

Um dia normal...

...Um dia em que uma cabeleireira achou que eu tinha madeixas (e o meu cabelo é natural)...
...Um dia em que um revisor me chamou de princesa (apenas por causa de um quarto de bilhete)...
...Um dia em que um anónimo me convidou para um café (eu estava demasiado ocupada a escorregar dos saltos para responder)...
...Um dia em que outros dois anónimos me disseram "é bem, a mostrar o que vales" (o quê?)
...Um dia em que me disseram "Fizeste um bom trabalho." (sorriso)...
...Um dia em que um palhaço me ofereceu um balão (talvez eu preferisse uma espada)...
...Um dia que me falaram de letras de músicas (daquelas profundas)...

Acaba assim... com uma frase linda linda. E que diz tudo.

"É tão cheio de coisas este vazio que me deixaste. 
O que é que eu faço com ele?" 

Retirado daqui. (Uma grande escritora portuguesa. Ou que virá a ser. É o meu desejo.)

Espiral

quarta-feira, novembro 12, 2008

Mede as horas, os minutos e os segundos...

Conversa hoje entre eu e uma amiga que faz hoje meio ano de namoro:

Espiral - mas pensa k é meio ano =) é lindo =)

A. -yeah, meio ano, que na pratica, juntando os dias tds que estive com ele, n sei se chega a uma mÊs

Espiral - cala te. isso n se mede assim, se kiseres medir, mede as horas os minutos e segundos em k pensaste nele...de certeza k fará mais k meio ano =)

A. - ui,ui, se fosse a somar esse tempo td não saía daqui...


O amor é lindo =). beijo enorme A. e que venha mais meio ano, e anos, e décadas, ehehe ^^

Espiral




domingo, novembro 09, 2008

"Samuel" e os professores

É por estas e por outras que me indigno e acho um bocado treta as manifestações dos professores em geral. E da professora que hoje de manhã ouvi nas notícias a dizer que "ser professor é uma arte, é ensinar aos meninos.." e bla bla bla.... que são uns sacrificados, e uns coitadinhos. Enquanto existirem professores destes, com tanta incomprensão pelos "Samueis" desta vida, quero lá saber se têm condições de vida consideradas precárias. E digo consideradas, porque precária é a minha profissão e ninguém me vê a mim ou os meus pares de profissão a fazer manifestações em que misturam alhos com bugalhos.
Ok, não sou assim tão mazinha. Há bons professores. Eu tive bons professores. Mas há muita gente parva, que nem devia ensinar, e este post enfureceu-me. Sim, sei que sou uma pessoa com raiva, uma pessoa cada vez com mais raiva das intolerâncias e das insensibilidades. E não desgosto. Essa raiva não me embota os restantes sentidos.


Espiral

sábado, novembro 08, 2008

"Isabella hesitou por um instante. Lanço-me um olhar despido e respondeu sem contemplações.
- Porque o senhor é o único escritor que conheço."

Carlos Ruiz Zafón (O jogo do Anjo)

Porque eu gosto de histórias de amor. Especialmente daquelas que começam por acaso. Daquelas que começam com frases destas. Daquelas que talvez não eram para acontecer. Porque talvez sejam estes os verdadeiros inícios e não quando começamos a tentar a sério. 

Ressalvo que acabei de ler esta parte. Não faço ideia se Isabella e David se apaixonarão. Mas apeteceu-me colocar. Gosto de verdades sinceras. Mais que das verdadeiras promessas. As verdadeiras promessas podem esfumar-se. As verdades sinceras, nunca. 

Espiral

p.s. Tenho que voltar a ler Vítor Hugo. Mas há par romântico da literatura mais bonito que o Mário e a Cosetta? Duvido...

sexta-feira, novembro 07, 2008

Fios desligados

Eu e o António Lobo Antunes não devemos concordar em quase nada. Ou eu é que não concordo com ele, já que ele não faz ideia de que raio pessoa eu serei , nunca me viu mais gorda, portanto esta a marimbar-se para o que eu penso ou deixo de pensar. Mas, apesar de não concordar com quase nada em relação a este senhor, seja porque não gosto dos livros que escreve (nos  três que li, os três primeiros que escreveu, fala sempre da mesma coisa, mas valia ter escrito só um livro e pronto.), seja porque não concordo com o que pensa de Portugal, de si próprio, das mulheres, etc, mas vá lá, talvez afinal ainda haja esperança e ainda possámos a vir a ser amigos (apesar de, ó Antunes, sê um bocadinho mais simpático, a sério, podias ser menos bruto a dar entrevistas), porque escreveu umas coisas que me fizeram pensar que afinal até pensa, e sente, e etc. Aqui estão umas frases retiradas de um artigo que escreveu na Visão nº804 chamado "Fios desligados" (procurem na net o artigo todo, que vá, tá bonito, deprimente, mas bonito.)

"O que me fez pensar como as mulheres são corajosas e os homens cobardes."
"E pergunto-me se os homens gostam verdadeiramente das mulheres."
"Pois mereço, rua."

Homens deste Portugal, façam por mudar isto, porque é muito triste... e eu até nem acho que sejam todos assim, conheço algumas excepções, mas vá lá, vamos lá a fazer a regra, que será o contrário disto. Que é para eu afinal não ter ponto de concórdia com o António Lobo Antunes. A sério. Traumatiza-me ter pontos de concórdia com ele (que pode ser um amor de pessoa, pode ser um óptimo escritor, etc e coisa e tal, mas pronto, gostos). 

Espiral


Quilos, mulheres e comunicação...

Conclusões do dia de ontem:

1º Parece que o facto de ter emagrecido 3 ou 4 kilos nos últimos meses continua a merecer espanto por parte das pessoas. Ou eu estava mesmo um pote e esses kilos notam-se bem a menos, ou não percebo mesmo a razão do espanto. Talvez devesse começar a dizer que fiz uma dieta rigorosíssima, já que o meu habitual comentário "foi nervos" parece deixa-las pouco convencidas. E caso entre em pormenores, fazem um ar de luto imenso ou então ar de "mas já passou, já acabaste o curso"... Isso significa que tenha que voltar a engordar? Eu sei que toda a gente que refere que emagreci (e foram 3/4 kilos, não foram 10, não tou escazelada...) só o faz para o meu bem, etc, mas se há coisa que gostei nestes últimos meses foi mesmo de ter perdido uns kilos, porque precisava. Portanto se calhar vou apostar em dizer que fiz dieta rigorosa, ficam as pessoas mais satisfeitas, porque é uma justificação óptima, e não ficam cheias de inveja porque continuo a empaturrar-me com chocolate.

2º As mulheres não estão felizes, e os homens não sabem ou já não querem agradar. Porque talvez as mulheres não falem, e os homens não queiram ouvir ou não compreendam. Não sei. Mas é grave. Grave que quando se fale no tema "O que é ser mulher", as mulheres falem de sapatos de salto alto, de responsabilidades e de filhos e não falem de paixão, de namoro, do amor. Eu acho triste. E quero pensar que é tão somente um problema de comunicação. E que no fundo no fundo, as mulheres ainda esperam ser amadas, que não estão assim tão desiludidas, quebradas e cansadas. E que os homens ainda queiram amar e agradar, porque acho que a recompensa é sempre boa.... 
Nem que seja porque ainda existem algumas mulheres como a I. (feliz com o companheiro e grávida ehhhh) ou como eu, que ao ouvirem "O que é ser mulher" pensam em beijos, em ternura, em amor. E só depois pensam em saltos altos, em trabalho e em complicações. 

3º Falando de comunicação, ou da falta dela, é giro que, quando faltando comunicação, haja tanto, mas tanto atropelo de informação. As pessoas não comunicam, falam, informam, vão dizendo umas coisas... Digo giro, porque há momentos em que a falta de comunicação se deve tão somente a atrapalhação, a vergonhas... não pode é cair na falta de comunicação que falo acima. Portanto, ouçam ouçam... com os ouvidos, com o coração, sentindo. Só depois partilhem o que sentem. Sem regras. 



Espiral

Inspiração musical: "Dream on girl" (Rita Redshoes)