Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2011

O problema é que eu sei o que quero....

Barcelona. Fim de tarde de um fim de Fevereiro. Eu mais a R., a M. e a L. à esquina de um café a saborear um fim de tarde em Barcelona. À beira do café sentada no chão, estava uma rapariga loira. Da nossa idade. Estava vestida com roupa limpa e "normal". Mas estava a pedir, com todos os traços inerentes (tiques, tremores, magreza) de uma toxicodependente com a ressaca em dia.
Num certo momento passa um rapaz que ao entrar no café, manda a beata do cigarro que fumava para o chão. E muito rapidamente a rapariga agarra a beata que caiu no chão sujo e começa a dar umas passas. Na beata quase acabada, suja do chão sujo.
O rapaz repara. Repara e volta atrás. Acende um cigarro e dá-lhe. Nunca vi um sorriso tão bonito, de tão surpreso, como no rosto daquela rapariga naquele dia.
"Apaixonei-me" naquele momento por aquele rapaz. Sei que é com este tipo de homem que quero passar a vida. Alguém com este tipo de generosidade só me faria apaixonar, cada dia, mais um bocadinho. =)

"O tempo transforma tudo em tempo"

- Biscoitos para fazer para um cabaz de natal... mas ao menos são bons e roubo uns para mim =D
- Nunca tinha ido ao festival de cinema Italiano, para começar, gostei do filme escolhido;
- Miradouro de S. Pedro... Pastelaria Versailhes... todos os sítios são bons para estar com os amigos "daqui"
- Afinal dois papéis para decorar... bonito...
- Correr, correr, correr...

Tipos

Por alguma razão a figura literária da prostituta fascina-me.
Por alguma razões através das letras dos poetas e dos escritores parecem-me sempre, mais que receptáculos de corpos, receptáculos de almas. Mulheres mais sábias, mais experimentadas, mais doces, mais tristes, mais qualquer coisa... que me escapa na maioria das personalidades femininas da literatura... Têm personalidade.



p.s. Talvez por isso esta seja a minha música favorita de Camané...

Exemplificando....

Retirado de um dos meus favoritos blogues . Do qual também utilizo muitas vezes a frase "Tudo tem que voltar a ser feito com a loucura possível e o terror de estar a cair de um prédio de sete andares. " . Porque só assim é possível ver o amor.

Imagem

Hoje apesar do cansaço, do sono, da dor de cabeça, de ainda ter que "sentir texto"(3 horas de ensaios...), arrumar quarto, precisava de conversa até as tantas da manhã.... sem ser dos dramas da vida... e deste país. Só conversa, risos e cumplicidades debaixo de um céu estrelado e perto de um rio.

Preciso de respirar palavras.

Esqueceram.-se de me avisar

Que não importa o que eu faço e o cuidado que tenha com os outros; não significa que essa sensibilidade será reciproca;

Que não interessa a coragem, os bons modos, a estima, o carinho, a intensidade, o cuidado; é tudo "bullshit". porque a ideia de causa-efeito é inevitavelmente um conceito parvo, destruturado e serve apenas como bengala psicológica.

Mas, obrigada, Parcas, por me mostrarem de modo tão subtilmente cruel o grau irónico da aleatoriedade do mundo. E que nessa aleatoriedade a manteiga do meu pão calha estar sempre para baixo.

E neste momento dou todo o crédito a algo que me disseram ontem e que na altura menosprezei: "As pessoas genuínas tendem a ser demasiado vulneráveis. Protege-te"

Conclusão: Vou passar a barrar a torrada com doce.

Wish

Se calhar...

Hesito, duvido sempre um pouco da veracidade dos sentimentos quando em vez de um
"ainda gosto dele(a)" ou afins
ouço um
"mas sem ele(a) sinto-me sozinha" ou afins
Apesar de parecer profundo.... se calhar no fim é só mesmo medo da solidão.
E isso, para mim, nunca foi um bom primeiro (sem segundo, nem terceiro) motivo para estar com ninguém.

"agooooooraaaaaaaaaaaaaaaaaaaa" (xó música deprimente, xó música do demo)

Goza sempre com as músicas que te fazem chorar. Ri, dá gargalhadas, brinca.... torce e sê cruel com essas letras que te fazem mergulhar... porque só assim, só conseguindo ser dura, implacável com o que mais doí, e com o que mais aprecio e me é precioso, consigo voltar a ser eu, e a vir à tona quando julgo que me vou afogar.

Parem as máquinas...

Estive hoje mais de 8 horas com duas lentes no mesmo olho só notando um certo desconforto. Pelos vistos uma lente que se tinha perdido não estava perdida, só escondida na caixa de lentes onde ontem por acaso coloquei as minhas....
(As minhas lentes não são das moles, são das rígidas e chateiam)
Eu não preciso de ajuda, lixo os olhos sozinha, por isso senhor meu Deus pára de me aumentar o astigmatismo e a miopia ok?

E só por estas duas frases já valeu a pena ler o livro

‎"A luta nao se trava entre o amor e o dever. Talvez nunca haja esta luta. Era entre o real e o fingido... "
"Não é possível amar e separar-se. Desejará que assim seja. Pode transmudar o amor, ignorá-lo, confundi-lo, mas nunca poderá arrancá-lo de si. Sei por experiência, que os poetas têm razão: o amor é eterno."
(Edward Morgan Forster, Um quarto com vista)
E o livro é bom =)

Eu, devido ao sol e à música do meu mp3...

Às vezes, só às vezes, tenho inveja.
E apetece-me chegar ao pé de alguém, do público, da multidão, de qualquer pessoa, e sussurrar "Como é seguir a corrente?"
Mas provavelmente, em vez da resposta indignada e típica "EU SIGO LÁ A CORRENTE!" ia ouvir "Qual corrente?"
E perco logo a inveja.