Quickribbon Espiral: 2009

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Bom 2010 =)

Achei este postal de uma agência de comunicação brasileira simplesmente adequado =)


Para todos vocês =)


Espiral

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Bom Natal =D

Bem o espírito natalício invade este blog =)



Porque o que nós queremos é mesmo só amor e paz e muito carinho =D

Espiral

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Spam

Eu não percebo como é que certas marcas ficam com o meu email, portanto fica aqui um aviso:

Senhores da Pandora que me mandam emails, não gosto da pulseira, acho-a pirosa, caríssima, e uma maneira fácil de ganhar dinheiro juntando o emotivo a uma peça de gosto duvidoso junto de um target abrangente, e dando-lhe um carácter coleccionador de "ah, é só mais uma pedrinha". Inteligentes, mas vá, eu percebo demasiado disto e realmente não gosto da pulseira.

Senhores do "perca 15 kilos em 2 semanas", realmente também não preciso. Já perdi uns lindos 6 kilos e tá óptimo. Pronto, não foi em duas semanas. Mas olha não se pode ter tudo. E para dizerem que não sou simpática, a receita foi tão só e apenas "sangue, suor e lágrimas". Juro. Continuei a comer muita porcaria (chocolates, que eu fritos não como muitos) e talvez numa certa altura tenha feito algum exercício físico para combater certos e determinados níveis elevados de ansiedade. Mas há um tempo que não e continuo com o mesmo peso.

Portanto não estou interessada, não vou reenviar para ninguém e parem de me chatear.

Agradecida

Espiral

sábado, dezembro 12, 2009

Encontra-se II




Partilha da A. Porque amar é pôr a outra pessoa em primeiro lugar* Obrigada

Espiral

Encontra-se




E encontrei isto... é isto. Tinha que ser Maria Rita. Simples. Sem grandes subterfúgios. Sem muita poesia complicada. Amor, só porque sim. Porque não há assim definição mas... "quando a gente ama brilha mais que o sol..."

Espiral

p.s. Se alguém tiver mais sugestões, serão bem-vindas =)

Procura-se

Preciso rapidamente de um canção que fale do amor, do amor feliz, do amor completo, do amor que não desiste, do amor com esperança, do amor de sempre, para sempre, eterno, mutável e inimitável. Renascente, tremente, renovado. Com todas as alegrias, tristezas, compromissos, pequenas desilusões, grandes ideias, pequenos grandes gestos. Com todas as promessas, todos os contratos, todas as partilhas, regressos e carinhos. O feito de toda a crença, de todos os sonhos que soam quimeras, o que nós faz correr, ser infantis, mostrar quem somos, despojarmos das máscaras. Aquele que nos faz ter medo de perder, ter medo pelo outro, que nos torna melhores e piores, mais fortes, mais frágeis. Aquele que é fatal, inesquecível.

Preciso rapidamente de uma canção assim.

Espiral

terça-feira, dezembro 08, 2009

Dias cheios

Um sítio giro em Azaruja. Queen, sempre Queen. Sabonetes que parecem rebuçados. Um za za zu dito baixinho (sou "fote" eu).

O que digo eu acerca de dias cheios? Que gosto deles.

Espiral

Inspiração Musical - Queen - aquelas... as que não estão no top 3 do resto das pessoas do mundo...

sexta-feira, novembro 27, 2009

Curtas acerca do mesmo

Nada de verdades definitivas, apenas coisas que penso quando vou no comboio meio a dormitar.

--> Amar é perceber que não se tem dúvidas sobre amar.


(Digo-vos já, por experiência própria e pela das de algumas pessoas que me são queridas, que é por vezes, daquelas certezas duras de se ter. )

--> Apesar de humana sou psicóloga. Por isso sei que a maioria (se não todas) as coincidências e acasos não são mais que profecias auto-confirmatórias. Apesar de psicóloga sou humana. E sendo humana sou espiritual. Por isso chateia-me à mesma. E penso muito nas coisas à mesma.E sinto e tal e tal e tal...



Retiro disto que quem tem mais profundidade para sentir o que é amar está muito mais atento aos "ses" desta vida. E são mais sinceros acerca deles.



E vou-me calar que para primeiro post à séria sobre este digníssimo tema já falei de modo muito parvo sem dizer grande coisa que preste.

Espiral

p.s. porque é que eu não tenho umas musas a inspirar-me?





sexta-feira, novembro 20, 2009

Como eu também sei pedinchar (ou não)

Olha, andam todos os blogs a colocar os livros que querem para o Natal? Dos 1001 ( e não exagero) que até gostava, ressalva-se este. Para eu babar um bocadinho....


Espiral

domingo, novembro 15, 2009

Seven


Quero ser assim todos os dias... há dias que falham... especialmente na primeira, na terceira e e na sétima.

Espiral

sábado, novembro 14, 2009

O que uma mulher quer VI

- A declaração que o Harry faz à Sally na festa de ano novo mesmo no fim do filme.
- A química que há entre o Harry e a Sally.
- Queremos ser a "Sally" e ter um "Harry".


Espiral

Inspiração cinéfila - "When Harry met Sally"

domingo, novembro 08, 2009

Frases daquelas XI

E mesmo a calhar...

"É preciso não deixar a espera matar a esperança."


Espiral

Mood III

Eu nunca tive mais azar que muitos. O azar quando bate à porta é tramado. E eu, azar nunca tive. Mas a sorte também se esqueceu de onde eu moro. Não me importava muito com isso se o mérito contasse. Se a determinação contasse. Se a inteligência e a força contassem. Mas nem por isso. Se não temos sorte, o resto é como se não existisse.

Mas de um modo ou de outro acabo sempre por ser, não optimista (nunca fui), mas resiliente. E por isso a "coragem bebe-se até de um copo vazio."- Hoje nem vejo o copo. Mas ele tem que estar aí.





Espiral

segunda-feira, novembro 02, 2009

Frases daquelas X

"E soube ainda, no meio de todas estas imagens, cheio de perguntas e dominado pelos seus ritmos, que jamais te faria uma pergunta com "Amas-me?" ou "Em que pensas neste momento?"

Actor, O jogo das perguntas

Do fantástico Peter Handke...

Espiral

sábado, outubro 31, 2009

Lost


Mil anos depois de toda a gente ver Lost, falar de Lost, amar Lost, finalmente, no meio do meu "stand by" profissional começo a ver a série. A primeira temporada já está, começo a segunda a todo o vapor.

E apesar de reparar no banho, na manicure e na depilação em dia das meninas, para além da vasta gama de vestuário dos personagens além de outros erros um poucochinho mais graves, há algo que compensa tudo...


Para além do actor ter um físico excelente, e uma carinha bem ao meu género, gosto imenso da personalidade da personagem. É um bocadinho traumatizado, um bocadinho trolhinha e não é o herói"tcharam" da história...

Espiral

terça-feira, outubro 27, 2009

Eu... só porque sim II





Espiral

sexta-feira, outubro 23, 2009

E eu acho que tenho poucos livros e nada para ler...


Duas prateleiras de 1 metro e 10 cms do Ikea compradas anteontem. A prateleira vermelha é com os livros que eu comprei mas ainda não li. A prateleira branca tem os livros que li e que não tinha espaço para colocar noutro sítio.



Eu achava que só ia encher meia prateleira e que a outra prateleira ficava para encher depois....

Depois tenho mais esta prateleira, que caso não dê para ver pela foto, tem três filas de livros, ah, e isto é só metade da prateleira, tem continuação para a direita.


E tenho mais estes livros da biblioteca para ler (são 5, mas só me faltam dois)



E mais este saco de livros, emprestados pela querida I. (11 livros dos quais já li dois)

E mais estes 7 livros emprestados pelo M.


E ainda tenho esta estante que para além das enciclopédias e afins tem imenso clássicos portugueses dos quais ainda só li Eça de Queirós...

(E estou a ignorar os livros técnicos que é outro campeonato e estão noutra estante.)


Portanto... nunca mais me queixo de tenho bué poucos livros...

Espiral

p.s. Vou comprar mais duas prateleiras daquelas ao Ikea...

p.s. 2 E estou a esquecer-me dos... vá, a contar por baixo, 10/12 livros que tenho emprestados por aí....

quinta-feira, outubro 22, 2009

Nova alcunha procura-se

Então é assim... se eu sou o "Erro de Casting", e ela é a "Mancha no Soalho", quem és tu TakeAway?

Espiral

p.s. Que saudades que eu tenho do nosso fim de semana no Porto... e do de Santa Cruz =)

quarta-feira, outubro 21, 2009

Antes que se pergunte

1- Sim, costumo ler vários livros ao mesmo tempo.

2- Não, não confundo o conteúdo nem me esqueço da história de cada um deles

3- Sim, estou concentrada quando estou a ler cada um deles.

4- Leio vários ao mesmo tempo porque em momentos diferentes preciso de tipos de livros e de leituras diferentes. E muitas vezes esses momentos apanham-me quando estou a meio de algum livro. É a vida.

5- Acreditem, demoro menos a ler os três livros que vocês (mundo em geral) a ler um.

Espiral

p.s. No momento presente estou a ler três ao mesmo tempo por motivos meramente logísticos (logo excluam o ponto 4) mas os restantes pontos continuam a aplicar-se.

sexta-feira, outubro 16, 2009

"Já que não a posso comer ao menos vou enfiar-lhe um rim"




Está muito bem feito. A frase tá brutal. Mas...será que dará resultados? É este o tipo de motivação que faz as pessoas doarem orgãos? Duvido.

Nota mental. Não confundir criatividade com resultados práticos.~

Adenda: Afinal este anúncio é sobre a doação de esperma. Peço desculpa pelo erro grosseiro. De qualquer modo a minha dúvida principal mantém-se. Será que este tipo de motivação resulta?

Espiral


quinta-feira, outubro 15, 2009

Ventos positivos

"A vida é demasiado preciosa para ser esbanjada num mundo desencantado"

Mia Couto


Sorriso grande grande =).


Espiral

quarta-feira, outubro 14, 2009

Maítê versão 34923049234920

Eu nem ia falar disto, até porque não costumo falar aqui dos assuntos que 99% dos blogs falam (é aquela coisa de não seguir a carneirada, tenho esse problema, odeio carneirada...), mas esta conversa toda à volta da MaitÊ está a irritar-me por diversos motivos:

1- Pelo que percebi o vídeo já tem uns dois anos, e mesmo que não tivesse, é aquilo que é. um vídeo parvinho, feito porque apeteceu e pela graça. Sim tem piadas parvas sim tem erros históricos, sim, brinca e goza com monumentos, personagens históricas, e oh meu deus imagine-se com o porteiro ou técnico lá do hotel... Mas não passa disso mesmo, de um vídeo nada de especial, para um programa daqueles lights, sem interesse nenhum. Qual é o drama? A minha auto estima não se joga há dois anos atrás.... acredito que a auto estima do meu País não se ponha em causa por causa de um vídeo.

2- Os portugueses que agora dizem que ela é uma puta, uma ordinária, que "abre as pernas no programa portanto só pode ser ordinarona" (oh god....), não são melhores. Aliás só mostram uma arrogância, uma brutalidade, uma má educação que me envergonham. Porque são os mesmo portugueses que todos os dias dizem que Portugal é uma merda, e isto e aquilo. E que riem imenso dos Contemporâneos e dos Gatos Fedorentos desta vida porque "ah aquilo não é dizer mal, é brincar, é muito diferente" e "ah nós podemos dizer mal, mas ela não que é brasileira e eles lá é tudo muito pior". Poupe-me. Poupe-me a tanta falta de nível, ignorância e mesquinhez junta. (Ou como li num blog "ah se ao menos fosse alguém da Suécia a dizer mal , esses podiam").

3- Não sei se me arrepio mais com os portugueses que dizem mal dela, ou de algumas bloguistas (uma em particular) que por acaso acham o mesmo que eu mas que o diz do género "ah eu sou melhor porque vivo fora do país, e como sou bué superior porque vivo fora do país acho que vocês no país não tem sentido de humor"... Bem, eu não precisei de sair do país para ter a opinião que tenho (devo ser bué especial...), nem tenho a mania que por ser jornalista posso dizer o que me dá na real gana (como vá, 80% dos jornalistas neste país... e fora dele).... e mais não digo porque vou passar por invejosa, e por não ter vida e mais um mundo de coisas, e pronto ao menos não pus isto como comentário do post da dita cuja, porque era esse o destino, mas vá, eu sou brutinha, mas não me apeteceu ser tanto.

4- Pessoal e vá lá.... O Miguel de Sousa Tavares não precisa de ajudas para ser parvo e convencido e arrogante e mesquinho e pessoazinha. Portanto parem de maltratar o homem por causa da Maitê. Há tanto lixo sobre o homem para se dizer. Sejam inventivos. (Nota-se que gosto muito dele não é?)


Uau, primeira vez a destilar veneno e ventos negativos neste blog. Prometo que será raro. E Maitê deixa lá, amanhã já ninguém se lembra disto, que o pessoal da "terrinha" (e eu sei que isto é no sentido carinhoso) é de rancores parvos mas superficiais. Tranquila =). Vais ver que com a novela nova voltas a ser a preferida de todos.

Espiral (contentinha porque desabafou)


terça-feira, outubro 13, 2009

Sobre a nossa alma a desatar II

Daqui.

Espiral

Como eu preciso mesmo de me sentir útil

1- Comprei um vestido cinzento tamanho m agora para o Inverno. Estava-me um bocado largo mas como tinha cinto pensei que era largo-com-estilo-e-na-moda.
Hoje fui a outra loja da mesma cadeia e vejo que o vestido que comprei está na sessão pré-mamã. Mas o vestido é giro, e nem se nota que é... disso... portanto vou usar. (e como não reparei eu nisto? já não sei ler????)


2- Tenho sonhos marados com pessoas que me entrevistam para os cargos mais estranhos, mas coerentes (?) com a minha profissão. Ora vejamos: trabalhar para uma empresa especializada nas doenças ligadas a dificuldades a nível da fala, vistas do ponto de vista cognitivo. (se calhar se não existe, deviam inventar, no meu sonho não percebi era o que exactamente a empresa fazia, mas ok)

3- Passo cerca de 5/6 horas por dia a ver tv. Tendo em conta que eu passava uma semana sem ligar a tv isto começa ser preocupante. E de certeza que tenho neurónios a morrer...

Espiral

quinta-feira, outubro 08, 2009

Em relação ao post abaixo

1-Realmente há muitas Cátias de Rio de Mouro.
2- Realmente o mundo não é linear (é confuso, muito confuso)
3- Efectivamente quando pedir o tal micro crédito e abrir a tal micro empresa haverá uma alínea no contrato em que saliento que não me responsabilizo por eventuais comportamentos menos éticos, ou considerados moralmente reprováveis das pessoas que são o objecto de desejo do cliente que contrata os meus serviços. Que isto nunca se sabe.
4- Realmente independentemente disto tudo, eu continuo a saltar de 7 andares (com todo o terror e loucura incluídos), a ser emocional e a deixar o coração correr. E que se lixe as racionalidades todas.
5- Um beijinho para a princesa, e um abraço, vá.

Espiral

Inspiração musical - Estranha forma de vida (Amália Rodrigues)

2 cafés uma imperial

Café com a M. e o R. Falando da confusão que é não saber o que se sente. Ou o que os outros sentem. R. confuso com o que sente.

Eu, com a brutalidade sincera que me caracteriza e que hoje tá realmente fantástica, digo, (mais ou menos isto, porque a minha memória não é das melhores) com todo o drama inerente:

"Diz-lhe exactamente aquilo que sentes. Que estás confuso em relação ao que queres, mas que te sentes um bocadinho mais contentinho se ela sentir alguma coisa por ti, e que ficas um bocadinho mais triste se não. "

Momento de pausa. M. com ar de sei lá o quê, e eu "Até parece que não gostavas de ouvir isto." E ela, "Pois, eu gostava.". R. não acha assim tão linear.

Mas, pronto, a vida se calhar não é assim tão fácil. Se calhar assim não se encontram respostas. Ou as que queremos. Mas que a sinceridade sincera é uma coisa bonita, e resulta com a M. e resulta comigo, lá isso resulta (resultaria).

Espiral

p.s. Acho que vou pedir um micro crédito e abrir uma empresa em que escrevo declarações personalizadas. É que podem achar que não, mas proclamar aquilo ali em cima alto fica bonito.

quarta-feira, outubro 07, 2009

O que uma mulher quer V

"Nós mulheres somos seres complexos, profundos, insondáveis, intrincados. Dizem que nos separa dos homens a distância que Vénus de Marte. Pessoa não nos compreendia, nem Oscar Wilde ou Shakespeare. E tentaram. Já Simone de Beauvoir atira com uma verdade absoluta como "Não se nasce mulher, torna-se" como quem pede um quilo de maçãs na mercearia. Porque ela é.
Entretanto, os homens perceberam que já não tinham de cortejar ou namorar raparigas com as tias delas a fazer de pau-de-cabeleira, nem trocar sinais escondidos por leques ou lenços. Não. Bastava pagar um copo ao Sábado à noite no Docks às Cátias de Rio de Mouro que elas abriam as pernas. Então, qual Pavlov a olhar para um cão salivante, acharam que tinham percebido as mulheres. Atenção aqui ao plural! As mulheres... Todas, portanto. E, ao 6º dia à noite, descansaram...
Nós por outro lado, pusémos os homens de lado, subvalorizando-os. Considerámo-los dispensáveis ou, no mínimo, substituíveis. Demo-los... por assim dizer... de bandeja às Cátias de Rio de Mouro, com todo o respeito que as Cátias de Rio de Mouro me merecem. Que existe na exacta proporção em que ela se respeitam quando aceitam copos ao Sábado à noite no Docks.
Voltanto aos homens, faço aqui o meu mea culpa. Tenho a minha (larga) quota-parte de responsabilidades. Sei que algumas amigas concordam. Aquelas que sabem que estão melhor (mais leves) sem eles. Não pode ser!
Não quero que deixem de dar voltas à cabeça para pensar em como nos surpreender.
Nós evoluímos, acompanhem-nos. Vocês também, vamos acompanhar. Nós tentamos. A sério! (Mas também não nos importamos mais com o que acontece ao Falcão, ou ao Lucho, ao Jesus ou ao "Zé Eduardo" Bettencourt do que com qualquer personagem do Grey's Anatomy...). Bem, nós simplificámo-nos. Agora, vocês compliquem-se.
Não digo para nos aparecerem montados em cavalos ao pôr-do-sol, para nos resgatar das nossas vidas de sucesso e casas confortáveis (as únicas bruxas más dos tempos modernos são sandálias com saltos 12 cm que, também por vocês, nos matamos a domar), mas passem no supermercado, comprem vinho e queijo e mandem-nos uma mensagem: "Picnic em frente ao rio daqui a 10 min?"
É assim tão difícil perceberem que não queremos que nos percebam?"




De um blog que li hoje por acaso. É mesmo isto! Especialmente a parte de os atirarmos de bandeja para as Cátias de Rio de Mouro. Vacassss! E nós somos parvas.

Espiral

sexta-feira, outubro 02, 2009

Das ideias românticas que temos ao ver filmes

Começei agora a ver um filme que já queria ver há muito tempo. "The painted veil".

E já me questiono, se hoje em dia ainda existem homens assim. Que se apaixonam, com certezas que aquela é a mulher que querem, e que lhe dizem "Só te quero fazer feliz." com convicção. Porque é aquela a mulher porque esperaram a vida toda.

Se calhar sim, e andam aí, se calhar não e isto só se encontra nos livros e nos filmes.

Espiral

Adenda: mas reflectindo um bocadinho, um homem que mal me conhecesse e me dissesse isso levava logo uma resposta do género "deves dizer isso a todas não é?" por isso eu também não sou bem como as mulheres dos filmes e dos livros...

quarta-feira, setembro 30, 2009

Amizade

Saber, que ao dizer o que pensas o que sentes, podes fazê-lo sem qualquer tipo de censura, crivo, ou com receio que minorizem ou maiorizem aquilo que disseste e o que sentes.

Saber que vais ouvir um "Sim, percebo-te perfeitamente." E saber que é mesmo verdade. Mesmo sem os exemplos que te dão a seguir e te confirmam isso.

Espiral


p.s. E o Miradouro da Graça tem das vistas mais fantásticas sob Lisboa.

segunda-feira, setembro 28, 2009

Curtas

1º É complicado se o objectivo é avacalhar imenso num jogo de futebol do nosso clube do coração (Benfica olé olé) e chamar nomes ao árbitro, mesmo que nem tenhamos bem reparado na falta que foi feita, se na cadeira exactamente à nossa frente está sentada uma criança de olhos grandes que em vez de olhar para o jogo passa as duas horas a olhar para nós com ar inocente e a sorrir-nos com ar querido. É indecente. Uma pessoa nem pode dizer o que quer. "ó arbitro és um... palhaço.... vai vai... dar uma volta...". Fiquei frustrada. Mas happy. Ganhamos =)

2º Conclusões de conversas de messenger. As poções de amor estão sobrevalorizadas. As poções de desamor é que era uma grande ideia.

3º Mais 4 anos de Sócrates... Respira... com calma... com sorte só dura dois....


Espiral


sábado, setembro 26, 2009

Mood II




A verdade... eu sei lá o que é verdade a não ser que me digam....

Espiral

sexta-feira, setembro 25, 2009

Mood

"Se perguntarem por mim digam que voei." (título de um livro da Alice Vieira)

Só porque agora é um bocadinho doloroso pisar o chão.

Espiral



domingo, setembro 20, 2009

Frases daquelas IX

Estão enganados. Falam muito da solidão acompanhada como um mal contemporâneo, mas estão enganados. Os quartos não estão mais vazios. Os beijos não são mais raros. O que hoje é diferente, o que tem vindo a materializar-se como uma corda à volta do pescoço, é a lucidez. Ainda que não estrangule, faz-se notar. Não é que seja inata, mas já foi mais fácil contarmos mentiras a nós próprios.

Não sei se é bom ou mau. Mas é real. De um blog fantástico.

Espiral

Oprah ao Domingo de manhã

A minha amigdalite continua vivinha e de saúde.
Entretanto estou aqui a ver um programa da Oprah onde falam invariavelmente das relações entre homens e estou a a concordar com muita da coisa que o senhor que "percebe muito de homens e até tem um livro best- seller" diz.

Isto pode significar muita coisa
- a amigdalite está pouco a pouco a afectar-me o cerébro
- os meus neurónios estão a deixar de fazer sinapse por falta de actividade (já começava a mandar currículos)
- o homem até tem alguma razão...

E esqueçam a última hipótese... começaram a falar de uma regra qualquer acerca de 90 dias.... 90 dias....

Oficialmente a amigdalite está a afectar-me o cérebro ou os meus neurónios estão a deixar de trabalhar. Ou ambas.


Espiral

quinta-feira, setembro 17, 2009

E para o dia de hoje a música é....

A canção não tem literalmente nada a ver com o meu estado de espírito. Ou seja não estou em nenhuma drama da vida tuberculoso (aka a-morrer-de-amor-ó-deus-que-a-vida-é-cruel-por-isso-morro). (só para clarificar)

Mas no meu profundo estado amigdalítico, digo já que estou nostálgica e triste e mais um mundo de coisas.... e a canção é linda. Só isso já era motivo.

Espiral

p.s. E que o meu Benfica me anime hoje com pelo menos 4 golos. Não quero saber se o Jesus diz que isto não é sempre goleadas. Eu sou deus e digo "é pois." -_-

quarta-feira, setembro 16, 2009

Eu... só porque sim



Acabei de o receber em casa. Sinto-me feliz. Porque isto é muito daquilo que eu sou e me sinto. =)

Espiral

p.s. Já sem a TPM. Ainda com a amigdalite.

terça-feira, setembro 15, 2009

Amigdalite + TPM = Caos

Só para contextualizar o que vou dizer a seguir (e para me darem os devidos atenuantes):
- estou com uma amigdalite aguda lixada (daqueles que me fazem sempre receber os elogios mais bonitos dos médicos "estás com uma garganta tão linda" "estás bonita estás, como é que aguentas?" "ó dr. X, ó dra. A, venham ver a garganta dela que nunca vi nada assim....")
- estou com febre (e arrepios de frio, e má disposição, e fadiga muscular e vómitos, e não, não é gripe A)
- estou com uma grande TPM

Passado os esclarecimentos, é só para dizer que neste momento odeio o mundo, passando pela senhora da caixa do supermercado que demorou meia hora a fazer duas contas pequeninas, assim como a senhora que se esqueceu de pesar a m**** das uvas e lá teve que voltar atrás. Se eu tivesse uma arma naquele momento eram menos duas chagas no mundo. E também adorei às 18 horas da tarde mandarem-me trabalho via net. A parte do amigdalite, febre e contagioso e já agora, penicilina ao quilo deve ser complicado de processar, mas não, como estou on-line no messenger estou óptima. Ali pronta para bombar. Ah, e daqui a três dias bye bye, é preciso que se diga. E eu adoro os meus amigos a sério que adoro, sei que tão sempre aí mas é uma merda (olha esqueci-me das estrelinhas, que se lixe) não ter ninguém a quem dar mimos e de quem receber, agora que preciso tanto, e nem a quem passar amigdalites que é sempre uma coisa fantástica para dar a alguém.

Posto isto, eu sei que "há todo um mundo lá fora" e eu até sou toda corações, e juro que não acho que estou a sofrer o drama da vida, mas neste momento o mundo podia todo desaparecer. E se levasse a amigdalite, a senhora das uvas e a senhora da caixa com elas fantástico.


Eu avisei que estava com um grande TPM.

(e nem falei da pisadela no pé, e eu estou de havainas, nem do que me doí o rabo das injecções...)

Espiral

sexta-feira, setembro 11, 2009

Sobre "a nossa alma a desatar"

Sempre Para Sempre

Há amor amigo
Amor rebelde

Amor antigo
Amor da pele

Há amor tão longe
Amor distante
Amor de olhos
Amor de amante

Há amor de inverno
Amor de verão
Amor que rouba
Como um ladrão

Há amor passageiro
Amor não amado
Amor que aparece
Amor descartado

Há amor despido
Amor ausente
Amor de corpo
E sangue, bem quente

Há amor adulto
Amor pensado
Amor sem insulto
Mas nunca, nunca tocado

Há amor secreto
De cheiro intenso
Amor tao próximo
Amor de incenso

Há amor que mata
Amor que mente
Amor que nada, mas nada
Te faz contente, me faz contente

Há amor tão fraco
Amor não assumido
Amor de quarto
Que faz sentido

Há amor eterno
Sem nunca, talvez
Amor tão certo
Que acaba de vez

Há amor de certezas
Que não trará dor
Amor que afinal
É amor,
Sem amor

O amor é tudo,
Tudo isto
E nada disto
Para tanta gente

É acabar de maneira igual
E recomeçar
Um amor diferente
Sempre , para sempre
Para sempre

(Donna Maria)

Espiral

quinta-feira, setembro 10, 2009

Ver fotos no facebook dá nisto...

O meu cabelo tem uma cor natural tão parva, tão parva ("cor de mel" para os cabeleireiros gays", "cor de azeite" para os amigos honestos) que nas fotos com as minhas amigas, que têm, se não todas, pelo menos a maioria, cabelos pintados, madeixas, luzes, etc, eu sou a única que parece que o tem pintadíssimo e pior, mal pintado. Pareço aquelas gajas pimbas que querem ser loiras/ruivas/morenas/cor à escolha, à força =/

Qualquer dia deixo de ligar ao que dizem os cabeleireiros "ah-que-cor-tão-original-nem-pense-em-estragar" e pinto de castanho. Porque o meu cabelo é castanho mas é parvo. E pintado de castanho normal parecerá castanho-pintado, mas ao menos não parece mal-pintado-natural

Espiral

p.s. se calhar na linguagem deles (cabeleireiros) "original" significa o mesmo que "exótica" na a linguagem dos homens...

O peixe morre pela boca

No Verão passado no fim de um jogo de futebol realizado por uns amigos, a que fui assistir, estava no meio do campo a conversar com umas amigas. Como era Verão estava de vestido e sandálias abertas. A bola do jogo estava mesmo perto de nós e um amigo que estava do outro lado do campo grita "Sónia, chuta aí." obviamente a brincar. Obviamente que eu chuto a bola. Um bom chuto. Que me deixou com os pés cheios de sangue. Da unha que se partiu. Não devia ter chutado a bola.

Eu sou assim. Em tudo. Mas é uma boa analogia com as coisas que eu digo. Deveria estar muitas vezes calada. Mas acho que é de família estas calinadas. O meu querido primo direito também as tem boas. Estamos muito orgulhosos um do outro. Sempre é um conforto saber que as vergonhas não morrem sozinhas.

Espiral

terça-feira, setembro 08, 2009

Frases daquelas VIII

“Tu és um bocado vendida a essa ideia do Amor, não és?” A mim, restará baixar os olhos e assentir: é verdade... to me, it's all that matters."

Hoje só me apetece ler Mec...

Espiral

Inspiração - "Love like you've never been hurt"

segunda-feira, setembro 07, 2009

Conversas de MSN

A. - tenho vontade de dizer ao...: és mt novela mexicana para mim
Eu - =)
A. - nao sei pq
A. - ahahah
Eu - LOLOL
Eu - gostooo
Eu -depois dizes "eu sou mais uma boa obra literária com um final realista mas feliz"
Eu - eu pelo menos sou =)
A. - gostoo!
A- eu tb!


Algumas (muitas) conversas que tenho com as minhas pessoas (ehehe) deviam ser marcadas para a posteridade... esta, entre outras.

Espiral

Frases daquelas VII

"Há tanto mundo lá fora."

(frase dita por uma grande amiga a propósito de viagens. Agora entendo-a inteiramente. Mas não em relação a viagens.)

Espiral

Banda sonora:

sábado, setembro 05, 2009

Momentos que ficam

Ontem passava eu na praça da figueira às 21h00, em passo apressado para ir apanhar a boleia para um jantar de amigos quando ouço uma voz de criança a dizer alto. "Lua!! Anda cáaaaa" . Viro-me e vejo um miúdo ao colo da mãe, que também atravessava a praça da Figueira a pé, com os braços estendidos em direcção ao céu. E continuava, num tom alto e doce "Luaaaaaaa! Anda cá!!!".

Olhei o céu e estava uma lua fantástica. Juro, juro que também queria uma lua assim para mim. Tenho é vergonha de pedir como ele.

Espiral

sexta-feira, setembro 04, 2009

Do que me faz feliz

Hoje comprei isto:


Bons autores. Bons livros.

Espiral

quinta-feira, setembro 03, 2009

A complexidade (aka confusão) que sou eu

Enquanto estou aqui sentada a comer gelado negro de chocolate com laranja (um brinde à carte dor) e a ouvir bossa n' roses percebo que tenho espalhados pelo chão à minha frente uns sapatos pretos clássicos de salto alto, sabrinhas vermelhas rasas giras, uns tênis confortáveis todo o terreno e umas sandálias azuis rasas com pedras muito fashion.

Se isto (para além de mostrar que sou desarrumada) não é uma completa metáfora daquilo que sou, então a minha capacidade para encontrar significados e aprendizagens em tudo e todos é um completo fracasso.

Espiral

Cada um é para o que nasce

Imaginem uma praia fantástica (sim, gosto de Santa Cruz), com um tempo fantástico, apesar do mar um bocadinho nada violento e um bocadinho nada frio. Eu que costumo ser a primeira a ir independentemente da bandeira vermelha, do mar gelado e dos "és doida, fica mas é quietinha", neste sábado estava um nada "o sol tá tão bom, nem molhar os pés me apetece" portanto estava na toalha em amena cavaqueira (leia-se corte e costura) com duas amigas.
Muito perto de nós estava uma familia de emigrantes a fazer o arraial do costume. Era o miúdo de meses com os pezinhos a espreitar do carrinho, eram os putos a cirandar por ali, eram as jovens alegremente, era o avô, era a mão e o pai, uma festa por si só.

Estando eu e as minhas amigas a conversar alegremente, sendo eu a que estava mais longe da dada família, e com óculos escuros postos, o que não abona muito para eu ter um ar juvenil e descontraído, quando chega um dos miúdos, para aí com 4 anos, devidamente munido com um balde e uma pistola de água ao pé de nós. Fica muito sério a olhar com ar pensativo, decide-se, chega-se ao pé de mim com ar de "levas uma murraça se dizes que não" e diz "Toma, enche isto..." estendendo-me o balde e a bela da bisnaga.

Eu faço um ar "mas o que raio tenho eu que atraio sempre as criancinhas?", suspiro, olho para o miúdo, rio-me, pego no balde e lá vou eu encher de água enquanto a I. só diz "Estava-se mesmo a ver, és bruxa e os miúdos gostam, já sabes.". Quando volto, com o ar mais digno que consigo fazer, a carregar o balde (que ficou pesado para o miúdo, aliás, para o Dani, ficamos grandes amigos ora essa) e depois de encher devidamente a bisnaga de água, vira-se a S.:

- Olha lá, agora lembrei-me, não eras tu que nem querias molhar os pés porque não querias ficar com areia?
- Pois, era essa a ideia... mas desde quando é que eu digo que não a putos?
- Tás tramada....

Nasci para ser escrava das criancinhas. Se eu alguma vez tinha dúvidas fiquei sem nenhumas. E elas de algum modo obscuro sabem-no. Malandras...

Espiral

p.s. Também pelos vistos nasci para ser a motorista para o pessoal beber uns copos no Cinco e no Lux. Mas a noite estava linda por isso valeu a pena =) (além de que muitas vezes também sou eu nos copos sem stress.)

terça-feira, setembro 01, 2009

Frases daquelas VI

"Tudo tem que voltar a ser feito com a loucura possível e o terror de estar a cair de um prédio de sete andares."

daqui


(Às vezes penso que devia escrever mais sobre o amor. Que não o faço aqui. Depois lembro-me que tudo, tudo o que escrevo, é, de um modo ou de outro, sobre o amor. Mas qualquer dia destes faço mesmo um post acerca dele. Assim à séria.)

Espiral

p.s. Há tantos blogs bons....

Dias como estes.... cheios

Imaginem a cena:

Lisboa com uma temperatura de 30 e muitos graus, um carro estacionado ainda um bocadinho longe do destino, e uma caixa de livros para carregar. A caixa de livros rebenta (ah ah ah isto é tão típico) a meio caminho entre o carro e o destino. De alguma maneira consigo levar tudo de volta ao carro e retirar aqueles que estão a fazer peso a mais. Felizmente que a caixa não se rasgou, apenas se abriu. E tenho que arranjar uma solução qualquer para os levar ao destino. Até me apetecia fazer um manguito ao mundo e ir-me embora. Mas desde quando é que eu opto por soluções viáveis? Os livros chegam onde têm de chegar. Depois de ter feito duas viagens a pé. Com várias paragens pelo meio para descansar (sou mesmo fraquinha). Fiquei com os braços a tremer, alagada em suor e com a t-shirt preta cheia de pó dos livros.

Realmente este tipo de situação é mesmo minha. Muito boas intenções, mas muitas peripécias pelo meio.

Mas estes dias "tão-eu-que-faz-confusão" acabam por ter coisas boas para além da acção em si (que chegava e sobejava para me sentir bem^^)

- Descobri uma loja com roupa interessante pelo trajecto.
- Compensei as calorias perdidas com um magnífico gelado artesanal à hora de almoço. Uma pessoa tem que se compensar (como se eu precisasse de motivos para comer gelados)
- O Benfica ganhou, daquela maneira muito saborosa, que nos faz ter esperança.
- Suecada e conversa até às três da madrugada com o D., a M. e o R. Gosto de sueca, e gosto destas conversas sobre a vida....


Espiral

p.s. Doi-me os braços e as costas hoje...

sexta-feira, agosto 28, 2009

Soltas

- Adorei o novo filme do Tarantino. Envolvi-me no filme como há muito tempo não me acontecia num cinema. Personagens bem desenvolvidas, dialógos perfeitos, timings interessantes e situações caricatas prenderam-me completamente. Para além claro da morte e do sangue do costume. E do Brad Pitt com um sotaque cómico. E das situações tão sem sentido. E não me posso esquecer do leite.

- Não tenho jeito para resolver mistérios. Especialmente envolvendo flores amarelas, paus de canela e bilhetes referindo toques no carro.

- Mas quem é que no seu perfeito juízo (e sendo gaja) se vai meter num sotão daqueles com caixas e caixas cheias de pó, já vestida para ir trabalhar?? Só eu! (E porque raio é que os meus livros de infância estão nas caixas do fundo? Aquelas debaixo de quilos de pó?)

- Parte boa da saga do sotão. Descobri que tenho dois gira-discos lá. Um que era meu (eu tive um gira discos? -_-) e um dos meus pais, mais antigo. Algo me diz que vêm cá para baixo com uma certa celeridade e que vão ter que trabalhar.

Espiral

Assim são os sonhos

Se contasse o sonho que sonhei esta noite....
Uma caça ao tesouro. Mete companheiros de jornada, e outros que nem sei se conheço. Coloca-me numa jangada a percorrer um riacho, a atravessar um jardim, a ver crianças com balões. Vejo flores, muitas. Há quiosques e livros. E envelopes fechados. Para mim e para quem me acompanha. Lá dentro apenas palavras. Tão sem hipotéses. Tão sem sentido. Tão sem razão.

Para onde foge o que fortemente desejamos, para lá do sentir, do sentido, do que queremos? Acho que para os sonhos...

Espiral

quarta-feira, agosto 26, 2009

Queda

Talvez esta mania de quando estar a cair, começar a pensar no modo como se vai subir, e de como de certeza que se vai subir seja completamente errada. Talvez quando se cai, só se deva pensar na queda, no tempo que demorara a cair, até que ponto cairemos, gritar, gritar muito, perder-nos enquanto caimos, sentir a queda, a dor, tudo aquilo que nos faz cair a 100%. Afinal, como podemos querer subir se ainda não sabemos o quanto caimos? Nem a força do impacto. Nem se conseguimos ver o céu. Nem se vamos sobreviver. Mas sobrevivemos. Com feridas. Muitas. Que podem nunca cicatrizar. Mas respiramos. Que tal nesse momento, em que a poeira ainda nem assentou, começou primeiro por pensar, "sobreviveste" e só depois tentar olhar para o longo caminho que teremos que subir. E só depois, talvez, tentar escalar. Tentar. Porque se vai cair. Uma e outra vez. Mas vamos voltar a erguer-nos. Mesmo que doa. Porque é mesmo assim, não é? E depois recomeçamos a escalada. E talvez quando subirmos alguma coisa, já possamos pensar no modo como iremos subir o resto. E talvez esse seja o momento em que pensamos "é por aqui." Mas só aí. E não antes. Porque as quedas doiem muito. E tentar parar uma queda a meio pode deixar ainda mais cicatrizes, ainda mais dores. Acho que essa ideia de parar quedas a meio está sobrevalorizada.

(Dissecação da opinião que se tem de determinada música. Não é para ter sentido. É acerca do que fazemos. Como lutamos. Do que sobrevivemos.)

Espiral

terça-feira, agosto 25, 2009

Olha o gajo giro que me passou ao lado durante tanto tempo....

Confesso-me hoje aqui, uma mulher extremamente vulgar em relação aos meus gostos estéticos.

Hoje foi o dia em que me perdi ("finalmente" diriam muitas, "só agora diria a generalidade, "sónia tás a perder-te" diriam as amigas honestas, lol) pelo ícone (?) do cinema mais transversal dos anos 80/90/afins entre as mulheres dos 8 aos 80 anos.



Eu que já vi todos os filmes dele, e sempre o achei um grande actor, sempre o achei demasiado boneco para o meu gosto. Sim muito giro, sim, muito multifacetado. Mas... parecia que faltava um qualquer je ne sais quoi para eu achá-lo.... aquela coisa.



E pronto, assim meio desprevenida vejo o Estranho Caso de Benjamin Button (brutal o filme, intenso). E fico agarrada. Aquilo é homem para ter ao pé de nós a dar e a receber mimos sim senhor. E para casar e filhos e para agarrar a mão na velhice. E percebo isto agora. Será que ainda vou a tempo de colar posters nas paredes? (nop).



Algo me diz que esta quinta quando for ver o "Inglorious Bastards" vou fazê-lo com outros olhos (passem-me a bacia para a baba por favor).









Espiral

segunda-feira, agosto 24, 2009

Daquilo que sonhamos acontecer-nos...

Soube agora que uma blogger com quem simpatizo imenso, virtualmente falando, provavelmente casou.
O blog dela não está aqui ao lado simplesmente porque desde que é feliz escreve mesmo muito pouco (que bom para ela, mas tenho pena de não a ler), por isso não vou lá regularmente.
Mas do que li parece-me uma pessoa autêntica, bonita e sincera.

E nunca me vou esquecer de um post dela que fala disto "....Mas afinal não. Ele não é tudo o que sempre sonhei. Não pode ser. Porque eu não sou, nem de longe, tudo aquilo com que ele sempre sonhou. " e do tanto que isto me marcou quando li.

Por isso fico muito feliz por ela estar feliz. Porque todas nós queremos ser "arrebatadas". Tenho a certeza que ela foi.

Um beijo cheio de desejos de felicidade para esta blogger.

Espiral

Ora então, vendo as coisas em perspectiva

- Tenho mais uma semana de férias porque não há trabalho para mim esta semana (olha que chato).
- A minha mãe teve hoje alta.
- O café mocha de hoje de manhã sabia divinalmente.
- A vida tem imensas hipóteses e possibilidades.
- Continuo a adorar o sol de Lisboa.

As férias apesar de tudo (e se foi grande este tudo), ainda tiveram direito a amigos, caipirinhas e risos.

Por isso, embora lá ser feliz =)

Espiral

sexta-feira, agosto 21, 2009

Como eu também sei fazer um post acerca de roupa e/ou sapatos e/ou afins

Eu que até nem uso muito ténis gosto desta marca. Ténis engraçados que quase ninguém conhece, e muito resistentes. Tenho uns há quase 5 anos, amarelos girissimos, que ainda hoje me perguntam onde raio os encontrei. Não tem muito que saber. Salomon. E há no Colombo.


E se os encontro com um desconto de 70% (tamanhos únicos) lá tem que se fazer uma comprinha...


São simples. E dão para usar em caminhadas, em corridas, e nas situações em que

me apetece usar ténis (que não são muitas lol...).


Espiral


p.s. A Onitsuka Tiger é que podia fazer umas promoções destas (ténis que gosto desde o primeiro filme do Kill Bill,mas que na altura não havia em portugal. Oh...)

quinta-feira, agosto 20, 2009

Achado

Às vezes as pessoas que pensam que estão perdidas não estão. Só é preciso que alguém lhes diga "achei-te".

Espiral

Influência literária: o cão do livro que estou a ler

sábado, agosto 15, 2009

Regras das pulseiras, velas e estrelas

Eu sei que o que vou dizer é contra todas as regras subjacentes a estrelas cadentes, a pulseiras de nossa senhora do raio que o parta e de todas as velas de bolo de aniversário trincadas, mas a sério, pedir desejos, sonhos, enfim, algo que supostamente não está nas nossas mãos e iremos deixar nas mãos do destino, é algo que acabei de perceber me ultrapassa.


Ou então é o destino que se está a lixar para os meus desejos pessoais. É justo. Eu e ele nunca tivemos lá grande relação. De certeza que tem gente muito mais simpática para ele.

Portanto, resolução tomada: nunca pedir desejos a pulseiras, velas ou estrelas que não dependam única e exclusivamente de mim.


Antes






Depois


E que me desculpem caso me voltem a dar pulseirinhas destas. Não uso, ou então faço desejos do género "espero lavar os dentes amanhã de manhã" ou "desejo que amanhã haja um anoitecer".

Tenho dito

Espiral

terça-feira, agosto 11, 2009

Razão (uma das mil) porque não escrevo

Queria muito escrever ali. Mas falta-me inspiração. Falta-me... muita coisa.

Enquanto vou rascunhando palavras soltas que não escrevi, deixo a música que cantaria se soubesse cantar,



e a frase que escreveria se soubesse escrever.

Não é sobre a solidão. É sobre a tua ausência no lugar íngreme da minha pele.
(Valter Hugo Mãe)

Vou ali para um canto chamar pelas musas (tenho direito a uma não?)

Espiral

p.s. Inspiração nos blogues 21 gramas e menina limão (adoro adoro adoro os dois).

quinta-feira, agosto 06, 2009

Porque a vida pode ser tanta coisa

Porque é Verão. Porque o sol de Lisboa é o mais bonito do mundo. Porque estou quase quase de férias. Porque há sempre motivos para achar que a vida é maravilhosa (tenho que gritar isto a mim própria ^^). Porque vou à praia. Porque vou ver pessoas que não vejo há muito tempo. Porque tenho os melhores amigos do mundo. Porque eu sonho sonhos improváveis e corro atrás do vento. (Chamam-se esperança e saudade. E então?) Porque vou ao sushi para a semana. Porque vou ter tempo para ler clássicos. Porque vou beber caipirinhas. Porque vou conversar. Porque vou arranhar na viola a tentar encontrar o mi certo. Porque ainda não tenho grandes planos para as férias. Porque isso não interessa. Porque adoro sentir. Porque o amor é isto. E não só =)

Por isto tudo e muito mais aqui está a letra:

Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa
Quero sua alegria escandalosa
Vitoriosa por não ter
Vergonha de aprender como se goza
Quero toda a sua pouca castidade
Quero toda a sua louca liberdade
Quero toda essa vontade
De passar dos seus limites
E ir além, e ir além
Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa
Que a vida pode ser maravilhosa
(instrumental)
Quero toda a sua pouca castidade
Quero toda a sua louca liberdade
Quero toda essa vontade
De passar dos seus limites
E ir além, e ir além
Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa
Que a vida pode ser maravilhosa

(Ivan Lins)


E o "ao vivo" que é bem melhor...

Não dá uma vontade louca de amar? A mim dá =)

Espiral

terça-feira, julho 28, 2009

Beijos na testa

Não sabendo bem porquê, não gosto de beijos na testa. Há qualquer coisa nos beijos na testa que me soa terrivelmente paternal. Assim um paternal "cala-te mas é, vá, tadita.".
Ontem chamei-os pudico-parvos. E é exactamente aquilo que eles são.

Isto tudo porque os beijos na testa que me deram só me trazem recordações estranhas e não muito felizes. Seja um teste de português onde tive má nota aos 12. Ou de situações estranhas que não sei bem se deviam ter acontecido ou não (deviam, devem sempre).

Potencialmente os beijos na testa são estranho especialmente se vêm de pessoas de quem quereriamos mais que beijos na testa, ou ainda mais curioso, de pessoas que quereriam mais de nós do que dar-nos beijos na testa. De certeza que isto seria giro de estudar. O Fred estava enganado ao falar da fase oral e anal e afins. Fase testal é que era.

Mas, quero apenas alegar, que apesar do meu ódio pelos beijos na testa, não tenho nada contra beijos nas têmporas. Só para assinalar.

Espiral

terça-feira, julho 21, 2009

O que uma mulher quer IV (por atacado)

E para não dizerem que não damos dicas suficientes ora vão aqui 11.

Minha modesta contribuição para o Cuidado ao abrir.


Espiral

segunda-feira, julho 20, 2009

Começo de semana

Realmente não sou uma pessoa que consiga andar a dormir 4 ou 5 horas por noite assim uns dias bons seguidos e que consiga andar fresquissima.

Um concerto, um casamento, um cinema tardio, e mais um par de conversas até altas horas da noite, com praias, caminhadas e trabalho pelo meio, são o suficiente para eu estar a sentir-me podre, podre.

Grande segunda-feira...

Espiral

quinta-feira, julho 16, 2009

Jorge a encerrar

Que desilusão que foi o concerto do Jorge Palma ontem =/.
Raio de convidados (salva-se Fausto, Godinho e uma girl que não sei quem é...)
Raio de clima.
Raio de acústica.
Raio de som.
Raio de tudo.

Onde parou o sentimento? Sou uma criança a quem prometeram um chocolate, levaram a uma loja de doces, mas não deram...

Espiral

p.s. Volta ao Coliseu... e ao Seixal =P (afinal margem sul até rulla)

Escolhas

"Saberias escolher entre o amor da tua vida e a pessoa que amas?" - pergunta-me o meu cérebro.

E eu respondo "Sem dúvida." (ok, com dúvidas talvez, mas sem hesitação...)

Espiral

terça-feira, julho 14, 2009

Porque

"Porque tivemos sempre boas intenções, porque tentámos sempre proteger aquilo que nos era mais precioso e aqueles que conhecíamos como importantes e válidos, aqueles que tínhamos visto sempre perto de nós a acharem-nos importantes, válidos e a protegerem-nos também. Mas isto que acontece connosco acontece também com aqueles que não conhecemos. Também esses acreditam que têm boas intenções e que tentam escolher o melhor. E, se escolhem um mal, tentam que seja um mal mínimo. E também eles choram às vezes. "

José Luís Peixoto

Porque no aqui e no agora, tudo o que sinto é denominado de saudade.


Espiral

Inspiração musical - Tool "Parabol"

Frases daquelas V

"A culpa não é dos filmes que viste, dos livros que leste, das letras das músicas que gravavas repetidas nas cassetes de fita preta. A culpa foi desse momento - onde raio foi esse momento - em que deixaste de acreditar que mereces o princípio, o meio e o fim da mais romântica, foleira, pirosa e linda história-de-amor."

Daqui

Espiral

quarta-feira, julho 08, 2009

Bimby

Descobri há uns mesinhos que a Bimby faz mais por uma relação do que qualquer contrato nupcial vulgo casamento.

Mas algum casalinho se separa depois de comprar uma Bimby? NENHUM! Como é que se dividia o raio do robot de cozinha? Não dá.

Portanto meninas, se querem segurar o moço, comprem uma bimby e façam caipirinhas (sim, a bimby tem jeito para caipirinhas).
Portanto meninos se querem que a moça não olhe para outro lado oferecam-lhe a bimby e façam gelado de filipinos (a bimby também tem jeito para gelados).


Pronto, acho que já fiz, com este post, mais pelo abaixamento (lol) da taxa de divorcio deste país do que todos os padres, tias chatas, amigos reprovadores e filhos nos últimos 20 anos.

Podem agradecer.

Espiral

ps. agradecimento especial à Bimby dos Nelos (que não precisavam de uma) sem a qual não teria feito a degustação das caipirinhas e do gelado e um agradecimento especial à Fi, à R. e à L. que foram as que ouviram as primeiras ideias acerca da Bimby. Porque primeiro a Bimby era uma turn-off (private joke), mas eu gosto de ver o lado positivo das coisas...

terça-feira, julho 07, 2009

As palavras que nos emocionam

Hoje a R. disse-me uma coisa muito queridinha. Que só não transcrevo aqui porque este blog é estupidamente público (não muito visitado mas público).

Obrigada R. Juro que vou tentar =). Combinado. E para a próxima não me faças quase desmanchar a chorar no meu local de trabalho. =P

Espiral

segunda-feira, julho 06, 2009

Um dia de febre

Para que serve um dia com febre:

1ª Ficar uma manhã na cama, como se tivesse de ressaca/pedrada/doente a pensar "parem o mundo que eu quero descer"
2ª Para só conseguir comer uma torrada sem manteiga lá para as 3 da tarde (agora já está aconchegadita com chocolate milka e uma sandes de queijo fresco)
3ª Para traduzir e editar uns capitulozinhos de manga (que saudades que tinha...)
4ª Para pintar as unhas dos pés (e das mãos) de "azulejo português", que para quem não sabe é azul.
5ª Para não ter podido ir beber café com my best friend I., com quem não tenho uma conversa decente há meses. =(
6ª Para ouvir 1122 vezes está música.

Até o dia acabar faço uma actualização...

Espiral


sexta-feira, julho 03, 2009

O que eu leio e as aparências

Acho que é fascinante quando querendo dar uma boa impressão a alguém só acontece é barraca...

Hoje vi um dos meus professores favoritos de faculdade quando ia apanhar o comboio em Santa Apolónia. Esse meu professor é muito inteligente, tem sentido de humor, e é um supra sumo na área, sendo também humilde. Como escrevi na minha tese, é um exemplo.

Tendo em conta o elevado respeito e apreço que tenho pelo senhor, cumprimentei-o alegremente, tentando sempre dar um ar "eu controlo e sou muito intelectual" quando ele se vira "Ah, também lês Filipe Faria". O meu cerébro pára uns momentos e depois penso "Oh-não-raio-de-livro-que-eu-tinha-que-trazer-hoje-para-ler-em-vez-de-trazer-algo-inteligente" dizendo rapidamente "Sim, mas eu leio muita coisa.". Acho que não salvei a honra do convento....

Sniff. Porque é que não me apanhou num dia em que ando a ler Alexandre Dumas, Vergilio Ferreira ou assim do género, ou em que não ando a ler nada e ando só a ouvir música? (ah, é verdade o meu mp3 estragou-se...)

Foi hoje que percebi um bocadinho aquelas pessoas que forram os livros para ninguém saber o que estão a ler (hábito que acho snob e parvo e que não, afinal não compreendo).

Tendo em conta isto vou começar a colocar orgulhosamente a minha leitura do momento, independentemente do livro que for.
Espiral

p.s. Agora falta saber se me desenrasco com o html o suficiente para isso...


quarta-feira, julho 01, 2009

Colecções

Sempre achei giro as colecções. Seja do que for. Ainda faço colecção de calendários. E tenho uma caixa enorme no sotão com aqueles bloquinhos de cheiro.

Conheço quem faça colecções super giras e interessantes. Eu para além de fazer de marcadores de livros (e não é nada uma coisa organizada) não faço de nada interessante.

Mas é engraçado como com uma simples brincadeira pode começar algo, e só me apercebo disso anos depois.

Há 4 anos e meio mesmo no começo da faculdade, um amigo de lá, o M., foi a Barcelona e trouxe-me um baralho de cartas, porque "Sónia, tu estás sempre a jogar à sueca.". O baralho é muito giro, a parte de trás tem um desenho relativo a um pintor. O baralho já foi muito usado, para imensos jogos, imensas tardes de praia. Convém ir procura-lo, mas está lá =)

Passado pouco tempo, outro colega de faculdade, o L. comentou que a irmã tinha um baralho de cartas dos Pôlo Norte. Eu gostava (e gosto lol) de Pólo Norte. Depois de o azucrinar para me dar o baralho ele lá deu.

No Natal passado uma amiga, a I., que sabe que gosto de jogar às cartas ofereceu-me um baralho com figuras maritimas.

Agora, nos meus anos, o L. (o mesmo do baralho dos Pólo Norte) e a A. ofereceram-me um baralho de Fernando Pessoa com frases dele.


A piada, é que não jogo tantas vezes cartas assim. Mas há coisas que ficam coladas aquilo que somos. E eu gosto de jogos, de cartas, e de pessoas.

Oficialmente, começei uma colecção de baralhos de cartas. Todos eles são especiais à sua maneira.

Espiral

Dos blogs que me marcam

Adoro ler. Acerca de tudo. Acerca de todos. Opiniões compativeis ou divergentes das minhas. Gosto de ler acerca de dores que reconheco. Acerca de alegrias que também me caracterizam. Gosto de ler.

Gosto de arte. De poesia, de fotografia, de moda, de pintura, de música, de cinema...

E apesar de muitas vezes sentir que não gosto da humanidade, sei que gosto de pessoas. Na generalidade ou especificamente. Por aquilo que são, por aquilo que foram, por aquilo que poderiam ter sido, mas sobretudo pelo que criam.

Por isso gosto de blogs. Por isso, começo agora a dar voz a todos os blogs que vejo por dia. Muitos. De todos os tipos. Devagarinho colocarei todos os que me dizem algo.

A minha singela homenagem é mesmo dar-lhes um espaço aqui. Por tudo o que me ensinam, e mais importante, por tudo o que me fazem sentir.

Espiral

sexta-feira, junho 26, 2009

Yogi Pijama (matava para perceber o significado deste título)

Só porque me apetece....e porque adoro esta música de Jorge. Não é mais romântica, nem a favorita... mas é uma que é muito eu.

Vídeo, é cover, mas a ideia é que interessa... se gostarem, sacam o tempo dos assassinos do Jorge. Brutal.






Apetece-me escrever mais coisas. Mas fica para outro dia. Noutro blog =P

Espiral

quarta-feira, junho 24, 2009

Disfarce

Acho que sou o Dexter sem a parte do matar gente.

"Os relacionamentos são tão confusos."

De facto.


Espiral

Inspiração televisiva: Dexter season 1 episódio 5

domingo, junho 14, 2009

O que uma mulher quer III

Um homem que escreva (cante, improvise, sinta, não somos esquisitas) uma porcaria daquelas. Se for ao som daquele som (ou igualmente romântico, não somos esquisitas) ainda melhor.

Bem, vou continuar a ver a série e a deprimir mais um bocadinho

Espiral

Inspiração televisiva - Californication season 02 episódio 10

Inspiração musical - Nothingman (é só a minha favorita de Pearl jam... só..)

quinta-feira, junho 11, 2009

Notícia chocante

Acabei de saber que o meu Manel é casado e pai de filhos. A minha alma tá parva. Pronto, morreu agora a minha paixão platónica por ele. Mulher e 4 filhos é muita fruta. É de homem. Portanto, só faço um largo sorriso e desejo felicidades.

Um homem destes "como uma mulher quer" só podia estar ocupadissimo =).
Fico feliz. De certeza que há mais por aí. =)

Espiral

O que uma mulher quer II

Um homem que afinal saiba tudo sobre os nossos desejos, manias, gostos e fantasias mais profundos, mas que nós pensemos que não. E que um dia nós diga, assim meio de surpresa.



Espiral

Inspiração televisiva: Californication season 01 episódio 07

p.s. Está série está a tornar-se um manual ah ah ah. É muito mais do que o que parece. =)

O que uma mulher quer

Assim de repente, o que uma mulher quer mesmo é um homem se porte bem porque ela lhe disse para se portar bem, e deixe de se portar exactamente no momento em que a dita mulher não é tratada bem.

Nota. Um murro bem dado a quem tratou mal, dá pontos bonús

Espiral


Inspiração televisiva - Californication season 01 episodio 4

quarta-feira, junho 10, 2009

Manel =)

Completo. Envolvente. Intimista. Permitiu-me estar ali, tão presente. Ao mesmo tempo vooei.
Foi tudo aquilo que eu queria. E talvez um pouco mais.

Obrigada pelo grande concerto Manel.

Espiral

p.s. E é giroooo, giro e ainda por cima, muito o meu tipo (como a L. diz "trolhinhas e peculiares"). E canta e escreve.. o que que uma girl quer mais?

p.s.2 Takeaway, és sempre uma óptima companhia. =). Tu ficas com o outro ok? =P

terça-feira, junho 09, 2009

Finalmente, Manel

A contar as horas, os minutos e os segundos para as 21h e 30 minutos de hoje.
Porque sei que vou sentir, emocionar-me, pensar em todos os passados e futuros. Em todos os presentes. E é nestes momentos que sei que sou feliz.

Manel, o teu melhor concerto vai ser hoje. =) Só porque eu quero ehehe.

Espiral

p.s. Para os distraídos, Manel Cruz, hoje, no São Jorge, Às 21 e 30. Esgotadíssimo (segundo as más linguas).

quinta-feira, junho 04, 2009

Frases daquelas IV

Gosto de frases com impacto, é um facto. E quando nos cai no colo uma frase que parece ter tudo a ver com o nosso mood no momento acho que passamos a acreditar em sinais.

Ontem ao pequeno almoço, num daqueles pacotes de café, estava escrito uma frase que, não caindo que nem gingas naquele momento exacto do meu dia, acabou por fazer todo o sentido muito poucas horas depois.

E graças a isso fui disparadissima, na minha hora de almoço, até à Fnac mais próxima (adoro, adoro estar a estagiar na Baixa) à procura do tal livro do sr. X. Apesar de saber perfeitamente que frases "xaran" estão feitas para deixar as pessoas embeiçadas, lá fui, não ligando aos neurónios que me diziam "olha que se calhar o livro nem é nada de especial."

Chego à fnac, peço o livro, e trazem-me um exemplar. Torci logo o nariz à capa, muito ar light para o meu gosto. Depois reparei melhor. Era um romance histórico.... de um D. Diogo com uma judia liberta. Fiquei desanimada. Não me interpretem mal. Eu gosto de romances históricos. E o sr. escritor do livro deve perceber muito do assunto. E aquilo deve estar tudo muito rigoroso. Mas devido à frase eu ia à espera de algo mais actual e mais vá arrebatador. Ainda por cima em livro para umas 260 paginas no máximo. Um romance histórico para mim tem que ser maior. Não comprei. O meu mood passou de triste e deprimida para isso tudo e ainda por cima desanimada. Nem um livro me salva.

A frase? A frase faz tanto sentido que até chateia:

"Que estranho destino é o meu que apenas me consente paixões ardentes e me faz esgotar em amores improváveis."


Espiral

quarta-feira, junho 03, 2009

Há coisas...

Que não deviam doer e doem. Assim visceralmente. De repente e de surpresa. Só porque sim.


Espiral

terça-feira, junho 02, 2009

No sushi e relembrado no indiano

Estava eu com mais um casal amigo (o J. e a A.) e uma amiga (a I.) a ir de carro para ir comer sushi aqui há umas duas semanas, quando ao passar pelo jardim da Estrela decorreu a seguinte conversa:

J. - "ah.. vim aqui com alguém... não foi contigo?" (para a namorada)
A. - "(risos) Não...."
J. - "Hum... com quem é que eu vim... deve ter sido contigo... (A.)...hum..."
todas - "...."
J- "Ah já sei, vim cá com gays."

(risada geral)

Errata - O tal encontro foi por causa de um trabalho (diz o J. =P).

Espiral

p.s. - suspiro.. o meu jeito para escrever diálogos reais que tiveram imensa piada não existe.

sábado, maio 30, 2009

Informação útil

Eu sou assim uma pessoa que acha que as coisas boas são para compartilhar. E as úteis também. 

Informação importantissima para os dadores de sangue que ainda não encontraram o sítio ideal para dar sangue: 

Hospital de São José. Ar condicionado, enfermeiras competentes (que não aleijam, que não são parvas, que não nós lixam o braço) e bem dispostas (que não se comportam como se nos estivessem a fazer um grande favor). 

A sério, muito bom. Não fico mal disposta, é rapidinho e toda a gente é simpática e agradece no fim. E eu gosto de pessoas bem educadas.

Para quem não é da zona de Lisboa, e está ligeiramente mais para o centro do país, hospital de Abrantes é nice =D. Enfermeiros competentes e bom ambiente. 

Os sítios não simpáticos não digo porque eu acho que tive azar. Com o dia, com o meu cansaço, com a enfermeira que me calhou em sorte, etc. 


***

Outra coisa boa de partilhar. O concerto de Rita RedShoes. 
Muito giro, ir à borla ainda melhor (bigada D.) 
Cómica a parte da M. ter-se deslumbrado ainda antes de entrarmos no concerto "É o Paulo Bento! Olha olha!". Aqui a benfiquista convicta a pensar "aí, já cá faltava, ainda se fosse o Paulo Pires...". Mas fora estes momentos hilariantes "Ah será que ele tá aqui perto?" o concerto foi girinho, começou pela minha música favorita, mas deixando aqui um cheirinho de outra música que adoro e que tá mais para o meu estado de espirito...




(ah ah ah finalmente aprendi a pôr videos ^^)

Espiral

p.s. Sem contar com o café com a L.  Para quem tava morta de cansaço, cheia de calor e com o braço direito muito fragilzinho, o dia acabou em beleza =)

sexta-feira, maio 29, 2009

Sentimentos se pudessem um som soltar

É interessante quando encontro parecenças entre as temáticas das músicas de alguns dos cantores que gosto de ouvir.

Só porque me apetece partilhar:

"Essa miúda" do Jorge Palma e o "Vocé é linda" do Caetano Veloso.

"Esquina de rua" de Camané e "Junto à Ponte" (brutal, brutal esta música) de Jorge Palma.

"Flutter girl" de Chris Cornell e "Borboleta" de Manel Cruz.

Espiral

quinta-feira, maio 28, 2009

Só mais um começo

A minha cabeça e restantes estão uma confusão.
Sinto-me a puxar uma corda e do outro lado não sei se está alguém ou alguma coisa.
Tinha um post enorme já escrito sobre viver, as coisas a 100% e sobre relevâncias e irrelevâncias.
Mas apaguei. Isto de se viver com o coração nas mãos, na boca, e no sítio certo é muito bonito e tal, mas é um sofrimento dos diabos. E por norma, completamente inútil e pueril.
Enfim, só mais um dia.

E o que retiro daqui? Que lutarei pelo que quero, ora pois.

Espiral

p.s.- música do momento

segunda-feira, maio 25, 2009

Lá vai uma tentativa de metáfora....

Eu sei que o meu jeitinho para metáforas acabou para aí no momento em que nasci. Mas mesmo assim vou tentando. Sem o estilo inegável da M. é um facto, mas ninguém diga que não tento.

Portanto é assim algo como...

Os melhores pasteís de nata de que já comi na vida são os da minha faculdade (FPCEUL) e os da pastelaria Costa Azul na rua da Madalena. Aliás, desconfio que são os mesmos.

As melhores bolas de berlim (com creme) são as da praia de Monte Gordo (sim, já comi as de outras praias da costa algarvia, mas aquelas são mesmo as melhores)

O melhor mil folhas é o da pastelaria Flor de Santo Estevão em Alenquer.

A melhor delícia folhada é da Pastelaria Chiado, no Chiado.

(E depois deste momento gratuito de publicidade.... tenho que pensar em arranjar patrocínios... segue já de seguida o resto da ideia "e tás bem?... queres um copo de água?"--> private joke, desculpem não resisti)

Portanto, eu sei quais são os melhores bolos. Não sei é quem é o pasteleiro que os faz ou quem é o fornecedor. O mesmo se aplica aos homens.


Pronto era só isto. Tá aqui a metáfora para gáudio dos meus muitos (lol) leitores.


Espiral


p.s. Se eu dissesse a quantidade de títulos parvos que me passou na cabeça para pôr neste post...

Ainda sobre os 24

No sabádo dia 16 de Maio perguntaram-me que idade tinha. Disse "24". E soube-me bem.

Arranjaram-me o carro e isso soube-me bem.

Sonhei. E soube que nem gingas.

Fantasiei. As fantasias sabem a amora madura (digo eu...só porque acabei de beber sumo de amora...).

Entretanto mudou a semana. Sabe mal.

Mas continua a saber bem os 24. Ao menos isso.
Espiral

p.s. Jeff. alguém que faça um cover decente das tuas músicas para eu conseguir ouvi-las ao vivo.... (ao som de "Lover,you should have come over")

terça-feira, maio 12, 2009

24

Cu cu. Só para dizer que continuo aqui =). Resistente.
...
Olá 24. Só para variar tenta fazer o teu melhor que eu também vou tentar =). Mas pronto, caso me tragas algumas coisinhas chatas, eu gosto de ti à mesma. 

Espiral


p.s. Podia agradecer a todos os que me apoiaram este ano (e desconfio que é o que vou fazer), que me sorriram, que me puseram a rir  quando eu só queria chorar. Que me arrastaram para festas e para bubas quando eu só queria ficar a um cantinho. Para quem disse que eu conseguia acabar uma porcaria de uma tese (mas para isso leiam os meus agradecimentos da mono, que é a única coisa decente que tá lá). Para as pessoas que conheci nos entretantos. Que são incríveis. Que já fazem parte de mim. Agradecer às pessoas que fizeram parte da minha vida e que por cá continuam. Agradecer a quem acreditou em mim quando eu não acreditei. À minha familía, aos meus amigos. Porque foi um ano cheio de sangue, suor e lágrimas. E tenho imenso orgulho nas pessoas que fizeram e farão parte deste caminho. Ao D. que é um dos meus maiores orgulhos, melhor amigo e lutador, à A. e à I.,  amigas que amo, que mantenham a felicidade que alcançaram, ao T., por sem saber, ter-me mostrado que eu sou valiosa, numa altura em que me sentia um trapo. À L., à T., à P. que me ouviram sempre. À S. que tenha coragem, porque dias melhores virão. 
E a todos os outros (iria passar por quase todas as letras do alfabeto, menos para aí o X) que me acompanharam este ano, voltem sempre. Hoje, a caminhada continua. =)

p.s.2 lição de ontem --> acabar o que começas ou pelos vistos os confrontos não são assim tão maus =)

p.s3 e correndo o risco de me repetir: Viva o meu grupo de Londres (tuga time!!!!) =) viva o gogga! Viva a Takeaway e Aquela do cabaret! viva o Porto! (cidade não clube, que eu sou muito vermelha), Viva Porto Côvo (grande catarse, ò A. fartaste-te de trabalhar!). Viva a praia da Comporta! Viva todas as praias! Viva as tretas! Viva os cafés giros! Viva a amizade! Viva o amor! Viva a paixão! E viva todos os meus amigos =)




domingo, maio 10, 2009

Lições....

Conheci a Tânia. Uma menina que quando falamos com ela, ri-se muito. Não faço ideia se me vê. Se me reconhece de alguma maneira. Mas se ouve alguma voz, mesmo a minha que nunca ouviu, ri-se e mexe-se parecendo contente. 

A Tânia tem paralisia cerebral causada "por complicações durante o parto", diz-me a mãe dela. Não sei com exactidão como, nem porquê, nem quanto, mas olhando para o corpo deformado da menina, percebendo a sua dificuldade ou incapacidade em falar, entende-se que deve ser extensa e grave. E que aquela vida e as vidas à sua volta não devem ser nada fáceis, nem leves. 

Conheci a Tânia na terça à noite. num transporte do hospital para casa. "A Tânia já é vossa cliente há muito tempo.", diz a mãe. Com calma. 

Conheci a Tânia e as vidas à sua volta num dia em que as coisas não me corriam bem. Em que escrevi um post a falar disso. Ironicamente cruel não é? O que são todas as minhas  pequenas coisas comparadas com isto?

 Aconteceram-me coisas chatas na quarta. Na quinta também. Na sexta também. Sim, a vida não é fácil.

Mas, acho que tenho que aprender a sorrir mais. A não ser tão "lamechas" como diria um amigo meu. E conhecendo estás histórias, sinto que me deram uma bofetada na cara. E penso "Devias ter vergonha, Sónia.". A minha vida é muito fácil. Com muitos momentos felizes. E é horrivel pensar que só pensamos nisso quando somos confrontados com o verdadeiramente díficil. Serei, mais feliz. Mais agradecida. Lutarei pelo que quero. E aprenderei todas as lições. Uma a uma. 

Obrigada. 


Espiral

terça-feira, maio 05, 2009

8 dias a contar...

Até ao momento, posso dizer que o ano dos meus 23 anos foi assim para o doloroso e difícil.

Não vou começar a dizer "uff já passou" porque ainda faltam 8 dias para isso acontecer. Até porque continuam a acontecer coisas menos boas (dentro das más e muito más que me aconteceram este ano) e pelo andar da carruagem não parece que vão parar até dia 13...

Lições a retirar?

"O diabo mora nos pormenores."
"Dá o melhor de ti em tudo o que fazes."

Porque as boas intenções não chegam. Porque as boas atitudes não chegam. Porque os bons sentimentos não chegam. Porque no final, às vezes nem com bons/correctos/certos comportamentos lá vamos.

Sim, é um bocado amargo. Sim, vou demorar a aprender as lições. E sim, mesmo que as aprenda, vai sempre haver momentos difíceis. Mas passo a passo vou tentar resolver o que ainda se pode resolver e tentar ultrapassar o que já não se pode.

8 dias a contar...

Espiral

domingo, maio 03, 2009

Odiar.

Disse há pouco tempo a uma amiga que não odiava quase nada. Menti-lhe. Não sou assim tão boa pessoa. Simplesmente acho a palavra muito pesada e muito forte. Mas...


Odeio as minhas paragens de digestão. Impedem-me de me divertir, impedem-me de me soltar, impedem-me de usufruir de boa música. 
Odeio irritar-me com as pessoas mesquinhas. Porque raio hei-de irritar-me tanto com pessoas mesquinhas e egoístas. Só perco anos de vida com isso.
Odeio sofrer. Odeio mesmo. Odeio ir-me abaixo. Odeio mesmo.
Odeio não saber lidar com os meus fracassos. 

E devo odiar mais mil e uma coisas que agora não me lembro. (entre elas o Elton John e os concertos com menos de meia hora, ah ah ah)

Espiral


domingo, abril 26, 2009

Post que deu jeito ^^

Começo a perceber algumas vantagens em escrever algumas coisas no blog.
Devido a este post  (e não só, tenho mesmo amigos queridos) um amigo meu, o T. , que andou a saltitar de país em país por esta Europa fora nas férias da Páscoa trouxe-me uma caixa maravilhosa cheia de bombons belgas! Eram óptimos, adorei a atenção e é sempre bom saber que pelo menos tenho um leitor atento ^^

Obrigada T.! Amanhã como agradecimento eu e a I. obrigamos-te a comer pizza! Ah ah ah =)

Espiral

terça-feira, abril 21, 2009

Tempo, já esticavas

Bem, fazendo assim um pequeno balanço...

Se virmos o tempo que dedido a certas coisas, eu só poderei vir a ficar uma excelente profissional, uma excelente socorrista, uma excelente guitarrista e uma excelente bilingue no fim deste ano.


Mas, desde quando é que na minha vida o investimento que faço em algo ou em alguém dá assim frutos tão saborosos? Quase nunca (sim, dou valor às excepções).

A precisar de um lado B. E de vida social. 

Mas bem dispostinha. Amanhã começo aulas de guitarra. =D

Espiral

sábado, abril 18, 2009

Eu, no meu lado A, a pensar no lado B

Hoje de manhã quando ia no meu carrinho, debaixo de um tempo horrível (eu gosto de sol),para ir  trabalhar (sim, trabalhar), lembrei-me de uma pergunta que ouvi algures.

"O amor tem prazo de validade?"

Imediatamente a resposta que pensei foi:

"Não faço ideia. O meu é selado a vácuo."

Isto só significa que estou toda queimada dos miolos. Trabalho a mais dá nisto. Quero uma vida e um lado B please.


Espiral

quinta-feira, abril 16, 2009

Franquezas

Uma das minhas fraquezas é, confesso, sentir-me mesmo bem quando pessoas que eu considero inteligentes, cultas, emocionais, boas pessoas, carismáticas, artísticas (podem só ter uma destas qualidades), ou que tenham qualquer outra caracteristica que eu admire (serem "parvas" por exemplo) têm gostos iguais aos meus. E não de coisas género "ah a minha cor favorita é o amarelo" ou "gosto muito do cheio da terra molhada" (mas também não é mau...). Mas gostos iguais em coisas mais particulares. Em coisas especificas. É bom.


Hoje, vi com agrado, que uma das minhas blogistas favoritas (escreve bem, bolas, muito bem) gosta imenso de um cantor que eu também adoro. Até aqui nada de novo. Se eu dissesse o nome do cantor, milhares de pessoas viriam dizer que também o adoram. Claro. Normal. Mas a questão é que ela também prefere aquela que é a minha música favorita dele. E isso já é menos normal. Porque apesar de conhecida nunca foi das mais faladas, nem das mais amadas, nem das mais reconhecidas.



Outra das minhas fraquezas é corar. Coro do que penso, coro do que fantasio, coro do que me dizem, coro das barracas que dou. Mas também coro do que falo, das palavras que digo, "ponderadamente", dos nomes que pronuncio tentanto ser banal. Pois, esse corar não é fixe. Quem é que cora por tudo e por nada? Acuso-me.


Espiral





terça-feira, abril 07, 2009

Frases daquelas III

"I find it hard to believe you don't know the beauty you are, but if you don't let me be your eyes."

Velvet Underground

Espiral

domingo, abril 05, 2009

Correr

Assim como assim, a minha vida deixaria de fazer sentido sem uma corrida quinzenal pela rua da Madalena abaixo. Seja porque estou atrasada para cafés, seja porque tenho pouco tempo (hora e meia de almoço não dá para tudo...), ou porque me apetece, já começa a tornar-se um hábito. E se no meio da correria for perdendo echarpes pelo caminho e tiver  os senhores condutores dos carros a buzinar para avisar-me do facto, a coisa ainda se torna mais significativa. E se mete saltos altos ainda piora a coisa. Mas vá, está última não meteu. 
Não sei porque gosto tanto de correr. Mas arranjo sempre um pretexto qualquer para o fazer. Tenho é que pensar que se calhar teria mais piada sem obstáculos, sem a bela da calçada portuguesa, sem as subidas e descidas da baixa, sem as pessoas a olhar como se eu fosse doida. 
Ou então a piada é mesmo isto tudo.

Espiral





segunda-feira, março 23, 2009

"Não sei."

Há coisas a que direi sempre não sei. 

"Não sei. Sinto-o." E atirem as pedras que quiserem... Porque é a melhor explicação que tenho.

As coisas que as crianças nos ensinam....


Espiral

quinta-feira, março 19, 2009

Sentido da vida

Para todos aqueles que já se perguntam qual é o sentido da vida, e outras questões igualmente pseudo profundas, fiquem a saber que eu descobri hoje a resposta! =D
Mas como não sou egoísta vou já dizer ao mundo. O setido da vida é simplesmente o de poupar recursos cognitivos. Pronto, já está. É isto. POUPANÇA COGNITIVA. 

Desiludidos? Mas é mesmo. 
Fazes o mesmo caminho todos os dias? Dá muito trabalho pensar noutro --> economia cognitiva
Sonhas, sonhas, sonhas e não fazes nada do que sonhas? Dá muito trabalho realiza-los--> poupança cognitiva
Martelas sempre nos mesmos problemas? Resolves estes, arranja-se logo outros portanto..--> Poupança cognitiva.
Não superas traumas/dissabores/desamores? --> Ao menos só pensas nesses... outros viriam =P --> Poupança cognitiva 

Pronto. Está aqui. Às vezes é tão irritante ter que saber modelos. Mas quem me mandou a mim querer seguir psicologia? Ainda por cima social. Ainda por cima cognitiva. 

Espiral

p.s. amanhã já volto à minha visão mais sonhadora e bonita do mundo. Hoje estou assim, meio agridoce...

terça-feira, março 17, 2009

Assim a modos de resumo...

As viagens de carro a longas distâncias e à noite em auto estradas fazem-me ficar melancólica demais da conta. Invento mais futuros, sonho com mais passados e moldo mais os presentes, exactamente nesses momentos.

Posso perder mil vezes o céu (e sofrer sempre mais de cada vez), mas dificilmente sobreviveria sem o meu chão. (ver um poema engraçadito de Shakespeare...).


Adorei Londres. As ruas. A mistura. A arte tão integrada. Os edificios. O vai e vem tão diferente. Os parques. Os mil e um Eros espalhados pela cidade. O mercado escondido pela igreja. A vista do London Eye. As margens uma da outra tão perto.

Gosto de vestidos conjugados com botas.

Alexandra Dumas pai, escreves bem, porra!

Eu acho que vale (quase, quase) sempre a pena.


Assim como assim esta misturada toda sou eu.

Espiral

terça-feira, fevereiro 24, 2009

Músicas pimbas que gostamos =P

E porque toda a gente "tem direito à sua quota de músicas foleiras, ora pois"  descobri que eu e a takeaway temos a mesma eleita para a nossa "lamechas mas foleira" (somos tão amiguinhas 4ever nós, lol)

Para os curiosos de plantão é esta =)

Espiral

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Bah e duplo bah (ou como diria uma amiga, boh)

É.. é quanto julgamos que até fazemos coisas bem que o mundo conspira para nos mostrar que não é bem assim. E lá cai a pessoa do nívelzinho moderadamente bonzito a que se permitiu colocar...

E já agora...  só mesmo as  pessoas simples e/ou felizes em muitos campos da vida e/ou com muita paz interior é que acham que a vida é simples. Porque não é. Tem demasiadas nuances a cinzento... 

Mas há algo que não muda. As nossa decisões podem ser simples. Mesmo que cá dentro morram (ou pior, mordam) muitas emoções complexas.

E fora estas considerações sobre a minha vida profissional (bah) e emocional (duplo bah), vamos lá viver a vida, que é a única que temos. Com um sorriso se conseguirem.

Espiral