Avançar para o conteúdo principal

Cada um é para o que nasce

Imaginem uma praia fantástica (sim, gosto de Santa Cruz), com um tempo fantástico, apesar do mar um bocadinho nada violento e um bocadinho nada frio. Eu que costumo ser a primeira a ir independentemente da bandeira vermelha, do mar gelado e dos "és doida, fica mas é quietinha", neste sábado estava um nada "o sol tá tão bom, nem molhar os pés me apetece" portanto estava na toalha em amena cavaqueira (leia-se corte e costura) com duas amigas.
Muito perto de nós estava uma familia de emigrantes a fazer o arraial do costume. Era o miúdo de meses com os pezinhos a espreitar do carrinho, eram os putos a cirandar por ali, eram as jovens alegremente, era o avô, era a mão e o pai, uma festa por si só.

Estando eu e as minhas amigas a conversar alegremente, sendo eu a que estava mais longe da dada família, e com óculos escuros postos, o que não abona muito para eu ter um ar juvenil e descontraído, quando chega um dos miúdos, para aí com 4 anos, devidamente munido com um balde e uma pistola de água ao pé de nós. Fica muito sério a olhar com ar pensativo, decide-se, chega-se ao pé de mim com ar de "levas uma murraça se dizes que não" e diz "Toma, enche isto..." estendendo-me o balde e a bela da bisnaga.

Eu faço um ar "mas o que raio tenho eu que atraio sempre as criancinhas?", suspiro, olho para o miúdo, rio-me, pego no balde e lá vou eu encher de água enquanto a I. só diz "Estava-se mesmo a ver, és bruxa e os miúdos gostam, já sabes.". Quando volto, com o ar mais digno que consigo fazer, a carregar o balde (que ficou pesado para o miúdo, aliás, para o Dani, ficamos grandes amigos ora essa) e depois de encher devidamente a bisnaga de água, vira-se a S.:

- Olha lá, agora lembrei-me, não eras tu que nem querias molhar os pés porque não querias ficar com areia?
- Pois, era essa a ideia... mas desde quando é que eu digo que não a putos?
- Tás tramada....

Nasci para ser escrava das criancinhas. Se eu alguma vez tinha dúvidas fiquei sem nenhumas. E elas de algum modo obscuro sabem-no. Malandras...

Espiral

p.s. Também pelos vistos nasci para ser a motorista para o pessoal beber uns copos no Cinco e no Lux. Mas a noite estava linda por isso valeu a pena =) (além de que muitas vezes também sou eu nos copos sem stress.)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Eu nunca liguei muito a isto, mas...

Sou só eu que acho um bocadinho escandaloso que as marcas façam apenas 3/4 tamanhos de roupa?
Estive a ver a Zara e pelo menos nos macacões, só tem 4 tamanho - XS, S, M, L respectivamente.
Tendo em conta que eu tenho 1,68 e peso 60 kilos e que o meu tamanho é um M penso nas pessoas que tem um bocadinho mais de peso que eu e que são um bocado mais altas.. o que fazem elas?

De salientar que tenho uma estrutura regular, vulgo forma ampulheta, com ancas e rabo e, para mal dos meus pecados, pernas grossas (não há ginásio ou corridinha que me salve). Ou seja mesmo com menos 4 kilos, onde fico com 56, o que muita gente consideraria magro ou pelo menos normal-magra, uso à mesma o M e calças pelo menos 38. Por isso, serio, como fazem as pessoas um bocadinho maiores? E nem falo das pessoas realmente gordas, falo só das pessoas que são mais fortes porque sim, porque nasceram assim, é constituição e pronto.

Nem todas as mulheres são estrutura rectângulo  vestem roupas como se fossem cabides,  ess…

Ando a ler imenso

E a voltar ao meu ritmo normal de leitura para ao fim do ano ler o meu normal (entre 100 a 140 livros, sim isto é o meu normal, com excepção feita ao tempo de faculdade em que lia cerca de 60 por ano). .
Adoro ler e felizmente apesar de não poder comprar todos os que gostaria aproveito tanto  feira do livro, onde na hora H (livros a 50%) deste ano comprei mais de 11 livros, que já li quase todos.
Para além disso sou assídua frequentadora de bibliotecas, sendo a minha favorita a Fábrica das Palavras em Vila Franca. É uma biblioteca recente e muito bonita arquitectonicamente, que tem tanto os clássicos como as últimas novidades, o que é uma grande vantagem pois raramente compro novidades devido ao preço. Ao mesmo tempo e fantástico para descobrir autores que não conheceríamos de outra forma: por exemplo li recentemente um livre da Patti Smith  que adorei e nunca teria dado com ele de outra maneira.  Tenho o hábito de escolher não só livros que quero ler mas também livros ao acaso. Dá qu…

Pergunto

Como é que se pode perceber com tanta convicção, com tanta certeza, tão intensamente, que existem grandes histórias de amor, que dolorosamente, não são para acontecer?