Quickribbon Espiral: Setembro 2015

quarta-feira, setembro 30, 2015

E ver um grande filme em vez de trabalhar

É um bocadinho parvo, mas eu assim..

E rever o Casino Royale era uma prioridade, parva, mas era.

James e Vesper =)

terça-feira, setembro 29, 2015

Do ter escrito que nunca me fizeram juras de amor

Sim é verdade. Mas antes de pensarem "ó coitadinha", explico:

Acredito que tenha mais a ver com a minha personalidade e com o que projeto do que com a veracidade e genuinidade dos sentimentos de quem esteve comigo.

Não que eu não não acredito que pode existir um para sempre e que também existe nuncas. Mas acredito muito mais que existem possibilidades, infinitas, e que o crer é uma coisa fantástica, mas não basta crer, há muita "ses" que tem que correr bem e muitos alinhamentos do planeta também. Por isso o crer muito no momento, o tentar sempre, o estar ali incondicionalmente (apesar das condicionantes) para mim chega.

Por isso ninguém me fez juras. Devo mesmo projectar um ar de "não me venhas com merdas".  Mas ao mesmo tempo também projeto um ar de "pah comigo não há merdas, mas para ser é a sério". Uma autêntica senhora eu.  Se calhar por isso nunca me pediram em namoro. Assumiram que éramos e pronto (os homens são uns tansos fofinhos)  =)

E apesar de saber das incertezas do para sempre e dos nuncas não confundir isso com o gostar de viver ao sabor do vento em termos emocionais. Em termos emocionais não gosto de talvez, do cinzento, das indecisões. Gosto de envolvimento, de ir sem pensar em agendas secretas ou projetos predefinidos, de confiar, de ser do outro em pleno, dos primeiros sorrisos, dos primeiros toques, do primeiro parar do coração, dos primeiros significados, da continuação, da afinidade, da intimidade, do conhecimento que só conseguimos com horas, dias, semanas, meses ou anos. Das certezas que se acimentam mesmo com todas as incertezas.

Mesmo que isto parece contraditório.

Falando de amor (eu lá sei falar de outra coisa)

Para muitos a língua do amor é o francês, mas a mim nada me cativa tanto como o italiano.

Mas não, nunca me juraram juras de amor em italiano, ou em qualquer outra língua.

segunda-feira, setembro 28, 2015

A sério

Sou a única a achar que antes deste Bond, o melhor da série era o Roger Moore?

Sou a única a não adorar o canastrão do personagem feito pelo Sean Connery (que fez uma excelente versão, mas pronto, não adoro) e imitado pelos outros todos?

Bah.

Sobre o 007 - Razões de sucesso do casino royale

Assim de repente podia falar do Daniel Craig que é um pão, e da história bem montada e mais fiel ao livro do Fleming, e que o Daniel Craig é um duro e dá murros e não tem medo de se sujar e blá blá blá, mas não se iludam, a abragência do sucesso é tão simples como,

Uma história de amor trágica.

E do que desenrola a partir daí.

sábado, setembro 26, 2015

E não interessa l mesmo o tempo que passe:
- há pessoas que vão sempre achar que tu te ligas com determinada pessoa - e o teu coração bate
- os sonhos também acham que determinada pessoa e tua, e pessoa dá ar da sua graça.  - e o teu coração pára
- e o presente mistura tudo com bónus suplementar - e tu ris.

Enquanto o mundo desenrola dás passos de bebé,  mas tão importantes que desligas disto e dás atenção ao que importa - aos factos e a quem amas e te ama a ti.

Porque tudo o que idealizaste,  sonhaste, encontraste e perdeste faz parte do teu caminho. Mas o mundo que te tornou mais dura e cínica tornou te também mais focada no importante.

E no momento sei o que é.


terça-feira, setembro 22, 2015

Tenho dias com a futilidade em alta

Sim, adorava e se pudesse tinha um Smeg.


Isto dos feminismos e machismos e coisas

Não sei bem onde me coloco.

Homens e mulheres são diferentes, acho que o que é senso comum, empírico e também cientifico,  não tem refutação possível e não tenho paciencia para parvos que tentam refutar.

Fora isso tudo somos humanos e tendo isso em conta, os mesmo direitos e deveres, logo igualdade em todas as coisas que serão na minha ótica, axiomáticas (como o respeito, igualdade laboral, blá blá blá).

E agora que fiz todos os apartes que achei convenientes, posso rir-me de piadas machistas, dizer também piadas machistas,  e já agora também feministas, pensar e escrever e acreditar  "boys will be boys", nós é que não podemos ser parvinhas e  temos que nos manter espertas e pensar naquilo que queremos e merecemos ter,  achar que as mulheres são fantásticas (somos pois), adorar o cavalheirismo, odiar o paternalismo, achar que só porque sou mulher não tenho que ser o prototipo de feminilidade e graciosidade, mas ao mesmo tempo ter uma pena danada de não ser sensual e ter dois pés esquerdos e corpo robótico, adorar a objectividade dos homens, amar a nossa complexidade, etc etc sem que me venham chatear, enfastiar com a conversar de "estás a rotular e generalizar, nho, nho nho"?

Grata.


"Dou-te o meu amor, sem qualquer condição, por hora..."

Ou como o amor é incondicional com condicionantes, e para sempre enquanto dura ou como o mundo me foi tornando mais cínica e/ou mais realista e/ou mais pragmática Ou como mesmo assim, com todo este saber e conhecimento, e cambalhotas da vida, porra, o Amor é a melhor coisa do mundo e hei de vivê-lo sempre, independentemente das condicionantes, de peito aberto e correndo em direcção ao precipício, porque como disse uma vez, só sei amar assim.


quarta-feira, setembro 16, 2015

Em caixas arrumadinhos,

Tenho que subir a um escadote para as ver.
Nem sempre me lembro da importância delas.
Mas limpo-lhes o pó regularmente.
E de vez em quando lá abro uma ou outra e recordo-me do que foram para mim. Do que ainda são. Fica sempre um bocadinho dos outros em nós quando partem.
 As minhas caixinhas. Nem muitas, nem poucas. Todas diferentes. Dei muito, mas,  de um modo ou de outro recebi sempre em dobro. 

Sou emocionalmente uma felizarda.

Isto de ter 30 anos

E corar em n situações como se tivesse 6, 10 ou vá 15 é coisa que não joga muito bem, pois não?

(É isso e mostrar logo pela cara o que sinto, o que concordo ou não concordo....)

Cortei o cabelo no sabádo

Lá foram 30 e muitos cms de cabelo para o lixo.

Dizem que pareço mais nova e também mais profissional.

Fantástico como os dois termos se juntam numa única frase que poderia ser contraditória.

p.s. Acredito que o facto de alisar o cabelo ajuda bastante (mais curto, mais fácil), digam o o que disserem o cabelo ondulado dá sempre um toque informal a qualquer situação

domingo, setembro 13, 2015

Acabei de ouvir isto no programa Peso Pesado Adolescentes

"Já me disseram que se eu não fosse gorda era perfeita."

E ficou-me atravessada, presa na minha garganta.

Fico com tanta pena destas pessoas que ouvem estas coisas, como se a gordura matasse a sua personalidade, o seu eu e a sua beleza.

E quem diz a gordura, diz qualquer outro indício corporal que podemos ou não controlar (e não me venham com tretas que é fácil emagrecer, e que é preciso é força de vontade, e ser fortes e blá blá blá que isso cansa-me mais ainda).

E não consigo deixar de me identificar. Porque na adolescência tinha óculos, acne, cabelo encaracolado em forma de tenda e aparelho. Não era de todo o protótipo ideal. Para além disso, tinha/tenho localizado em toda a área  interna  da minha perna esquerda uma "lesão" feinha, com aspecto de celulite em décimo grau mas pior, que piora com contracção e que ainda não teve diagnóstico definitivo (causado por uma queda? esclerodermia?), e que não vai lá nem com operações estética/cirúrgicas, porque efectivamente há ali qualquer coisa que parece ser um problema / doença e também porque efectivamente tenho devido a isso ou não uma muito má cicatrização da pele. ...

Bem, este discurso todo só para dizer que a auto estima até aos meus 18/20 e poucos nunca abundou para estes lados. Mas que estes defeitos todos, que odeio, são também parte de mim. E que os óculos que tirei (uso lentes) os cabelos que ficaram mais decentes porque quiseram, a acne que nunca vai deixar-me realmente, acho que nem na menopausa, os dentes que nunca vão ser perfeitos apesar do aparelho (que já não uso) , a merda da porcaria que tenho na perna que me desfeia terrivelmente, os 5/7 kilos a mais nas zonas parvas e a celulite que apareceu nos últimos anos não fazem de mim realmente o pacote completo. Fazem metade dele, e o resto, quem eu sou fora o estético também interessa e faz mais por mim do que apenas esta carcaça que vai alimentar bichinhos.

Isto para dizer, que com o meu mau feitio, que, miúda do concurso, as pessoas que te disseram que se não não fosses gorda era perfeita não são tuas amigas, e deviam levar uns bons estalos na cara. Tu és tu. Nunca vais ser perfeita. Porque ninguém é. Mas não és menos nem mais por seres gorda.


p.s. Acho muito bem que tentem emagrecer se não se sentem bem com o corpo que têm, e também por motivos de saúde. Mas não se iludam. A nossa imagem física depende tanto da nossa imagem mental. Que nós somos aquilo que queremos ou desejamos ou percepcionamos (obviamente que também isto está dependente do que os outros projetam em nós, não vivemos em cavernas). Por isso há dias que me sinto podre de boa (com os defeitos todos acima incluídos) e outros que me sinto um patinho feio. Mas independentemente disso, não sou mais nem menos perfeita por isso. Sou eu e pronto.

sábado, setembro 12, 2015

Calzedónias, tezenis, intimissimis e womans secret's hello?

Por motivos irrelevantes, num fim de semana longe de casa e num sitio recondito (mas que tinha chineses, estão em todo o lado eles), tive de comprar cuecas em loja dos chineses. Comprei as primeiras que apareceram, em preto, branco e bege.

Tenho a dizer que são as mais confortáveis, práticas e que "caiem bem" que tenho.

MEDO.


quinta-feira, setembro 10, 2015

Já não gosto do spotify - Adenda

Vá... tem Ornatos.

Sobre a inteligência III

Até porque na minha linha de pensamento (e de muitos psicólogos) inteligência está relacionado directamente com adaptabilidade e desde quando é que ser profundo por si só, é adaptável?

Pois...

Sobre a inteligência II

Se calhar o problema é meu que pensava que gostava de pessoas inteligentes e vai-se a ver e não. Gosto é de pessoas profundas ( o que raio que isto signifique).

Sobre a inteligência

Como pessoas muito inteligentes academicamente podem ser umas profundas nódoas em argumentação quando se fala de assuntos que fogem da linha de conhecimentos delas.


Inteligência não está directamente ligada a camadas de profundidade intelectual.
Eu é que achava que sim .

Sou assim "esquisita"

Há mulheres que precisam de validação estética. Há outras que que precisam de validação intelectual.

Pertenço indiscutivelmente às segundas.

Já não gosto do spotify

Não tem Manel Cruz -_-

segunda-feira, setembro 07, 2015

Volto sempre às músicas onde pertenço

quinta-feira, setembro 03, 2015

Comprei, li e amei


Más coisas de tirar férias em Setembro

- Há imensas praias onde já não vai o senhor das bolas de Berlim =(

Coisas boas de tirar férias em Setembro

- Menos pessoas
- Bom tempo em geral
- Menos confusão
- Sensação real de férias