quinta-feira, dezembro 30, 2010

Update

Espiral 2010

Espiral 2011

Conseguir ser sempre eu, mas melhor, mais alegre, mais feliz, mais intensa e mais completa. É só isto que peço. Lud., obrigada pela ajuda. Sem o teu presente a metáfora ficaria inacabada.

domingo, dezembro 26, 2010

Imperfeições

P- todos temos vícios e desequilíbrios
Eu- Pois, os meus são chocolates, blogs, o meu coração e pessoas.
P.- Somos seres humanos com um lado emocional ainda muito intenso então ficamos assim.
Eu- Ya... Não quero perder estas imperfeições.

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Egos

Anda toda a gente a esmifrar-se para ver quem consegue colocar no facebook e/ou mandar por email o video/imagem mais original a desejar boas festas.

Good luck ... e Bom Natal =D


Bandas que estão "aqui"



Vê-los. Sozinha ou bem acompanhada. (Quase) irrelevante. Vou.

Verdades, verdades,,.

"Lamento não poder dizer-lhe nada mais consolador, porque o amor vivo, em comparação com o amor sonhado é uma coisa cruel e assustadora."

Os irmãos Karamazov, Fiódor Dostoiévski

(ainda nem 100 páginas li e já o acho um grande livro)

terça-feira, dezembro 21, 2010

Cativar

Eu sempre gostei de raposas no abstracto. Animal pequeno, com ar patusco e giro, parecido com cães, mas sendo um animal selvagem, capaz de viver tanto na cidade como no campo, e não pertencendo bem a nenhum lado. Além disso, tem fama de animal inteligente e facilmente adaptável.

Mas realmente fiquei a gostar de raposas quando li o principezinho (tinha uns 10 anos).
E as ideias de cativar, responsabilidade e o gostar dos outros ficaram sempre comigo.

A culpa é da raposa.

sábado, dezembro 18, 2010

É Natal =D



Gosto de cozinhar mas não o faço muitas vezes.
Gosto de trabalhos manuais mas raramente os faço.
Portanto no Natal desforro-me =)

E fiquei tão orgulhosa das minhas caixinhas e trufas de chocolates que até mostro aqui =)



É Natal =D



sexta-feira, dezembro 17, 2010

Insights (ou algo semelhante)

A complementaridade emocional e intelectual são uma treta se o resto não vai/ não pode/ não deve /não consegue (ou tudo junto) acontecer.


quinta-feira, dezembro 16, 2010

Mood

Há momentos, (estúpidos momentos) em que se por acaso ouço as músicas erradas, volto a sentir-me tão tua. No nosso espaço, no nosso tempo, nos nossos momentos. E é como se fossem novamente reais, e tu e o teu cheiro e o teu toque estivessem comigo.




quarta-feira, dezembro 15, 2010

Resumo

- menos 15 cms de cabelo
- mais uma franja
- mais exposições
- mais jantares de natal
- mais alegria
- mais viver

É Natal =)

segunda-feira, dezembro 13, 2010

Do meu mau feitio (outro..)

Eu juro que acho imensa piada às pessoas que tem projectos giros como "andar à boleia durante 10 meses e ver no que dá" ou "tirei um ano sabático para me reencontrar" ou simplesmente "estou a deixar andar e ver no que dá" mas é óbvio, óbvio que na maioria dos casos essas pessoas não precisam de se preocupar com outras coisas, como o ter que pôr comida na mesa, ou ter que pagar mensalidades x ou y. É notório que têm rendimentos que vão para além disso e possuem dinheiro, fama ou carisma o suficiente para serem patrocinados de alguma maneira.

Por isso não engulo os "qualquer pessoa pode, basta querer" ou o "que ideia tão criativa e que coragem" ou ainda "uau que espírito livre".

Ainda bem que podem fazer essas coisas, mas não são melhores pessoas por isso. Simples.

Tudo se equilibra

Ir no feriado para o Chiado, aquele sítio cheio de gente gira e de gente estilosa, com ar de quem dormiu 3 horas, camisola cheia de borbotos e calças largalhonas porque são velhas, não é propriamente saudável para a nossa auto estima.

De qualquer modo fez com que o senhor do Santini pensasse "olha-coitadinha-dela" e deu-me uma bola de gelado enorme =D

Por mim pode ser assim, sim =)

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Momento de graça

É tão bom, tão bom quando sabemos que as pessoas que amamos (apesar de tudo, apesar do tempo, apesar dos mundos, apesar das contrariedades) têm pessoas em quem se apoiar.

Sinto que o meu coração abriu-se de tristeza pela distância e pela vida, mas fechou-se um bocadinho mais feliz.

Obrigada... (a vocês, que nem me conhecem bem, e nem sabem que este blog existe)


quinta-feira, dezembro 09, 2010

Vocação? Escrever...

E quando se devia e se tem que trabalhar e porque até se é responsável e adora o que se faz e até se tem jeito para o que se faz mas a tua mente saltita, o teu coração explode, os teus dedos travam e tu sabes que só precisas mesmo de uma folha de papel e uma música a rodar, a rodar e a rodar enquanto escreves páginas infinitas de coisa nenhuma?


música: "Uma das melhores baladas românticas de todos os tempos..."

terça-feira, dezembro 07, 2010

Segundo

Às vezes acho que as pessoas querem fazer mais coisas, viver mais coisas, sentir mais coisas porque por dentro muitas vezes estão vazias e sozinhas.


segunda-feira, dezembro 06, 2010

Reader

Descobri o google reader.

A minha vida mudou. Agora vou rechear a aplicação de blogs. Dos bons. Dos muito bons. E dos que dão jeito.

sábado, dezembro 04, 2010

Mood

Às vezes preciso de um bocadinho em que me despeço do mundo e finjo que não estou aqui.

Agora está a ser esse momento. Em que os meus medos soam, magoam-me e marcam-me..

Mas só aqui, só hoje, depois volto a sorrir.


quarta-feira, dezembro 01, 2010

Frases, para o menino e para a menina

"Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas… Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo."

Caio Fernando Abreu.

(retirado daqui. Como é que ainda não tenho este blog na minha lista?)

terça-feira, novembro 30, 2010

Em resumo

1- Andar à mil hora não me tem deixado cansada cansada cansada...

2- Percebi que adoro óleos corporais hoje, adoro adoro, como é que nunca tinha experimentado?

3- Os meus colegas de trabalho ficam "chocados" (sim, é essa a palavra que usam) quando descobrem a minha idade... acham sempre que sou mais velha.... sem comentários =(

4- Hoje pesei-me depois de umas duas semanas a comer pelo menos uma tablete de 600gramas e um pacote de bolachas de chocolate TODOS OS DIAS continuo com o mesmo peso (talvez até menos meio kilo). Confirma-se e reafirma-se, os nervos e a ansiedade são os melhores amigos da linha.

5-Descobri que gosto de dançar. Aliás no meu caso "dançar". Continuo a ter dois pés de chumbo e um problema com o ritmo, mas já não quero saber.

6- No meio do meu trabalho, curso, amigos, saídas e livros só as séries é que ficam a perder, sorry guys!

sábado, novembro 27, 2010

terça-feira, novembro 23, 2010

Sim Parcas eu sei que vocês estão aí...

Eu que participo em tudo o que passatempos na Internet que não exijam muito esforço (não se exaltem, "só" ganho livros) deixei de participar naqueles em que se ganha fins de semanas para duas pessoas no hotel x ou y.

Com a sorte que ando provavelmente até ganhava e aí é que deprimia de vez... agora não fazem falta.

Hoje só aguento o dia a pensar nisto...

Estar em casa quase à meia noite e ainda ir preparar um chocolate quente caseiro daquele que a colher fica de pé no copo.... (com cacau verdadeiro e do bom) e deitar-me a ler até de madrugada... (durmo quando morrer bah)

segunda-feira, novembro 22, 2010

A blogosfera tem graça

Acho graça às mulheres (especialmente na blogosfera) que referem que os ex são sempre a maior merda à fase da terra: ou são gordissimos ou feissimos, ou andam a arrumar carros ou com algum vício, ou realmente não prestam e pronto. E há sempre a famosa frase "o que é que eu vi nele, estava tão apaixonada e afinal ele é zero e eu sou tão boa."

A sério, mas ninguém namorou com rapazes normais? Dos que fazem a vida deles certinha, tem lá os seus empregos até são giros e sem grandes traumas de maior? Ou melhor ainda, namoraram com rapazes que até são os "certos", mas bolas, a vida não é justa?

E ok, digamos que namoram mesmo com as aves raras de que falam... mas então a que pardieiro foram buscá-los? E como é que de repente o gosto muda tanto que já namoram com o gajo "mais perfeito, mais giro, mais bem sucedido" do mundo?

Mistério enorme para mim.






terça-feira, novembro 16, 2010

E tudo aquilo que eu demoro a responder...

Quando me questionam "Ah, foste tão corajosa" ou "Ah, como é que sabes que não te arrependes" ou "Ah, mas gosto dele/dela", o meu querido e único primo resume da melhor maneira possível.

"As relações não se fazem de copos meios cheios"

Beijo Grande P. Só podias ser meu primo. (para quando um sushi?)

segunda-feira, novembro 15, 2010

Murphy

Ideia disparatada a de pensar, mesmo que por um segundo, que, no momento, as coisas não podem piorar, quer dizer, mau aspecto, uma pessoa já está ali quase por um fio...

É claro, claramente, que podem.

sexta-feira, novembro 12, 2010

Falando de coisas realmente importantes

Aqueles potinhos de lata com brilho para os lábios não foram definitivamente feitos para quem usa unhas medianamente compridas. (Mas são tão giros e cheiram tão bem!)

quarta-feira, novembro 10, 2010

Ocupada mas não tanto...

É tão bom sair de casa as 8 da manhã e só chegar a casa quase a meia noite. Ocupar o dia com trabalho, a hora de almoço com ginásio, e o fim do dia com um curso. E chegar à meia-noite e ainda ter trabalhos para fazer- É óptimo. Nos transportes aproveito para ler e isso sempre me distraí.

Uma pessoa cansada não pensa.

Pena que ainda não saiba bem como ocupar o pensamento no caminho a pé entre o comboio e o escritório; e nos momentos em que vou a conduzir (são os piores), ou nas 6 horas em que devia estar a dormir, ou nos momentos em que percorro o hipermercado à procura dos chocolates que me acalmam...

Tantos tempos mortos que devia ocupar de alguma maneira para deixar de pensar o que sinto todos os dias.

segunda-feira, novembro 08, 2010

Já agora...

A "Coragem" pesa demasiado sobre os ombros. Não recomendado a quem os tenha fracos. Nem fortes. Até porque, para quem pense que sim, Não, não consola.

É mais ou menos isto...

(daqui)

....

Às vezes gostava mesmo que aquele bocadinho bonito dentro de nós que se entristece com músicas deprimentes e que se apaixona loucamente e ama intensamente pudesse saltar cá para fora. Porque assim ninguém me responderia "Vá, anima-te, não podes ficar assim." quando eu respondo "Triste" ao "Como estás?"

sábado, novembro 06, 2010

Coisas que não queria aprender II

O primeiro dia não custa nada.... Ainda o camião não passou completamente por cima e a anestesia é grande.

Depois é que se instala o vazio e a dor em camadas cada vez mais espessas.



Parte do humor negro:

Ainda bem que eu sou como as crianças e somatizo, quer dizer isto de não se conseguir respirar e ter brutas dores de estômago só pode ser bom! Se arde cura, sempre disse a minha avozinha....


sexta-feira, novembro 05, 2010

Coisas que não queria aprender

Quando um primeiro amor acaba ficamos no fundo do poço, a dor é tanta, tanta que sabemos que algum dia, preferencialmente perto, não vamos aguentar tanto dor e só podemos morrer daquilo que estamos a sentir.

Quando um segundo acaba única diferença é que não aguentamos a dor mas já sabemos que não vamos morrer disso.


E usando humor negro que é a única forma que tenho de lidar com isto (ou é isto ou é ficar num cantinho a morrer aos poucos sem morrer), uso as palavras de uma grande amiga:


"Ao menos é um filme feito por um bom realizador." (L.)

(Intensamente bonito e intensamente triste L.)




quarta-feira, novembro 03, 2010

Poemas daqueles...

Porque mesmo sem certezas é preciso seguir....


PUEDO ESCRIBIR LOS VERSOS MÁS TRISTES ESTA NOCHE (POEMA 20)

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.

Escribir, por ejemplo: "La noche está estrellada,
y tiritan, azules, los astros, a lo lejos."

El viento de la noche gira en el cielo y canta.

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Yo la quise, y a veces ella también me quiso.

En las noches como ésta la tuve entre mis brazos.
La besé tantas veces bajo el cielo infinito.

Ella me quiso, a veces yo también la quería.
Cómo no haber amado sus grandes ojos fijos.

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Pensar que no la tengo. Sentir que la he perdido.

Oír la noche inmensa, más inmensa sin ella.
Y el verso cae al alma como al pasto el rocío.

Qué importa que mi amor no pudiera guardarla.
La noche está estrellada y ella no está conmigo.

Eso es todo. A lo lejos alguien canta. A lo lejos.
Mi alma no se contenta con haberla perdido.

Como para acercarla mi mirada la busca.
Mi corazón la busca, y ella no está conmigo.

La misma noche que hace blanquear los mismos árboles.
Nosotros, los de entonces, ya no somos los mismos.

Ya no la quiero, es cierto, pero cuánto la quise.
Mi voz buscaba el viento para tocar su oído.

De otro. Será de otro. Como antes de mis besos.
Su voz, su cuerpo claro. Sus ojos infinitos.

Ya no la quiero, es cierto, pero tal vez la quiero.
Es tan corto el amor, y es tan largo el olvido.

Porque en noches como ésta la tuve entre mis brazos,
Mi alma no se contenta con haberla perdido.

Aunque éste sea el último dolor que ella me causa,
y éstos sean los últimos versos que yo le escribo.



segunda-feira, outubro 25, 2010

Intermitências

Há quem nasça a ser esperto, a perceber as voltas que há-de dar para se safar. Aqueles que mormente ou não lá se safam. Com planos definidos ou não. Talvez haja consciência disso ou não. "O mundo é dos espertos", já me disseram tantas vezes. Mas eu não sou "esperta". Continua a chocar-me, hoje, como há 10 anos a injustiça, a falsidade, a mesquinhez. Simplesmente agora já não choro, já não sofro horrores com a "maldade" humana. Aprendi a entender que faz parte da humanidade, essas coisinhas, essas fraquezas. Aprende até a compreender, a não dar tanto valor. A ver os cinzentos. Mas choca-me. No fundo de mim ainda há uma criança que arregala os olhos porque não é suposto o Pai Natal arrebentar o balão. Por isso, eu percebo tudo tudo tudo. Não me peçam é para fazer parte disso.



"Assim não ficas cá muito tempo". Eu fico, os melhores é que, infelizmente, vão à frente. Os espertos safam-se, os bons morrem primeiro.... Eu faço parte de uma espécie menor ali no meio que nem se safa nem morre, aguenta-se portanto.

"Não penses que mudas o mundo". Alguma vez... o mundo é que tá lixado porque não me muda a mim.

Eu adoro ser eu, mas às vezes canso-me a mim própria.

Eu e a humanidade

As pessoas não sabem a diferença entre "julgar", ter uma "opinião diferente" e o "não concordo, mas tu é que sabes".
No fundo no fundo querem é que lhes passem a mão pelo pelo. E obviamente querem concordância.

Não sei se me surpreenda, se compreenda ou se tenha pena.
Nunca precisei de validação externa para fazer o que acho certo ou errado. Especialmente o errado.

Mas isto sou eu e as minhas circunstâncias.


terça-feira, outubro 19, 2010

Das cicatrizes que todos trazemos

Ao ler um post sobre tatuagens e piercings e não só apenas isso e fazendo uma reflexão sobre todos os significados que pode ter, desde os mais superficiais "ah é giro" aos mais profundos "é uma marca de vida", percebo, que pelo menos no meu caso, tem muito de poder.

Tenho uma tatuagem. Também tenho uma "doença de pele". Entre aspas porque um médico diz que deve ser, outros que não é aquela doença especifica. Já foi uma cicatriz, afinal não é, já foi uma má formação na aponevrose, fez-se uma pequena operação local, afinal não era, e a juntar à extensão horrorosa de qualquer coisa numa das minhas pernas tenho agora uma cicatriz pequenina no meio da "cicatriz" enorme (de novo entre aspas porque não se sabe). E agora é qualquer coisa ali no limbo. Que é auto imune, não contagioso, e não tem cura. E que tem aumentado. Não é perigoso (em teoria). Apenas é uma porcaria esteticamente. Em que penso sempre que estou na praia. Que não me faz sentir feminina (qualquer mulher quer ter umas pernas bonitas) e que me faz sentir deslocada em n situações. Desde as perguntas mais simples "Ah o que é isso", ao olhar de nojo, aos mentirosos (e piedosos) "ah, não se nota assim tanto". Nota-se. Noto eu quando escolho entre vestir uma mini-saia e uma saia comprida. Noto eu quando em vez de ir correr ou jogar voleibol na praia fico deitada na toalha. Noto eu quando, se me dizem que "tens um corpo bem feito" e só me apetece gritar que é tudo mentira, que o que vestimos é uma carapaça conveniente, e que assim até disfarça, quando no fim é só defeitos.

Mesmo que não sejam só defeitos. Mesmo que haja imensa coisa em mim que goste. A nossa atenção é selectiva. E grande parte da minha vai para esta "coisa". Que não é um drama. Ninguém vai morrer, e não fiquei sem um braço. Mas é algo que não controlo. Que odeio. Que faz parte de mim não me pertencendo. É demasiado visível, demasiado grande. Há sempre coisas que queremos esconder não é?

Por isso tenho uma tatuagem (já com alguns aninhos). Porque escolhi. Porque quis. Porque tive o poder para isso. Porque acredito em coisas eternas. E boas. A que tenho vai ser "remodelada" aumentada e aperfeiçoada, porque tudo se transforma, mas o significado continua o mesmo.

Há marcas que escolhemos ter e essas mesmo que doam são "nossas"; com as que não escolhemos e nos apanham, lá teremos que aprender a viver com elas.

Música...

É sempre interessante quando projectamos desejos, emoções, sonhos em músicas. Quase, quase que se torna real.



terça-feira, outubro 12, 2010

Assim à bruta...

Ter o melhor amigo que uma pessoa pode ter é todo que é preciso.

E como diria uma profe minha "quem tem amigos não precisa de psicólogos"

(felizmente ela está errada senão eu não tinha emprego, ah ah ah... estou a brincar...)

Mas perceberam a ideia....

Aí, raciocínio saltitante é uma treta, porcaria de redes associativas próximas e/ou reforçadas e/ou salientes....




segunda-feira, outubro 11, 2010

Primeiro de três:veredicto

- Vestido: adequado (e tem três anos em cima) e pelos elogios estava gira;

- Fuga ao bouquet: Semi-conseguida. Vieram-me buscar, mas fiquei numa das pontas do grupo e fiquei sossegadita quando se lançaram todas ao ramo;

- Dança: Eu tenho dois pés esquerdos, falta de ritmo, sou robótica. Mas mesmo assim, obrigaram-me a "dançar". E tentaram-me pôr a dançar semba! Foi bonito foi.... Consegui fazer algo decente quando puseram Xutos (aka saltar, saltar e saltar);

- Fotos. Sofrível. Não sou fotogénica e em casamentos ainda menos;

- Comida: o habitual, transformei-me no monstro do costume e embora alambazar (curiosamente nem toquei no marisco);

- Subidas de ego: Algumas, mais que o habitual. Alguns dos convidados do noivo acharam-me piada. Mas tudo no tranquilo e com descontracção.

Conclusão: Casamento giro e familiar tornando-se acolhedor. Noivos fantásticos e dados para a brincadeira (a parte do strip do noivo foi demais);

Venham os próximos =)


sexta-feira, outubro 08, 2010

Descobri agora....

Que ter feito uma tese em que escrevi 20 mil vezes a palavra estereótipos (era só o tema principal da tese... com a palavrinha ad-hoc à frente) não me habilitou a escreve-la bem: automaticamente escrevo sempre esteriótipos.



sábado, outubro 02, 2010

Película de filme II

E depois há aquelas palavras como "porra" que, parecendo que não, dão tão mais sentido às coisas, tornando-as mais verdadeiras, mais acutilantes, mais marcantes.


Lendo...


Luz e escuridão, o primeiro volume da saga Crepusculo lê-se razoavelmente. É um bom livro para adolescentes.

Mas, para mim, é uma versão alargada disto:




Sem tirar nem pôr. O modo como se descreve as situações e as personagens é igual. Tem é mais páginas.

A sorte é que aquilo se lê rápido (ontem li 260 páginas, acho que hoje o acabo)

quarta-feira, setembro 29, 2010

Eclética mas com gosto.

Eu e a mania que leio de tudo...

Como é que eu passo do magnífico 1984 que foi dos melhores livros que li nos últimos tempos para Testemunho (da Anita Shreve)? É óbvio que é uma descida de qualidade literária enorme... nada contra a Anita Shreve, que talvez lendo depois de outro livro qualquer até acharia agradável, mas agora só acho boring, enquanto me arrepio com a má qualidade literária.

O contraste perceptivo sucks.

São Parcas, senhor, são Parcas...

Há o Primeiro, o UP, o que marca e o que fica (assim na bela teoria em que tudo corre bem)... e depois há aquele que nunca perceberás porque não foi o primeiro, O UP, e porque não marcou (dessa maneira) e porque não ficou... porque nunca sequer esteve.


Espiral

terça-feira, setembro 28, 2010

Sentidos

Começo a perceber que isto do gostar está muito relacionado com unhas roídas já que não há uma tablete de Carburys* à mão.


Espiral

*Estes porque depois de anos a achar que estavam piores, voltei a gostar imenso.


domingo, setembro 26, 2010

Olha, a falarem de mim*

(*sim, já me disseram isto mas com outras palavras)

Espiral

Espelhos


Se eu pudesse ter escolhido queria ser este género de mulher, tanto física como psicologicamente( activem o estereotipo) . Linda, linda, linda.

Sou tão o outro extremo que até faz impressão.... matava para ter aqueles olhos.


Espiral

sexta-feira, setembro 24, 2010

quarta-feira, setembro 22, 2010

Da tragédia que é duas pessoas pertencerem-se e não se "encontrarem"

Os homens tem um medo que se pelam. Disto (ver música). Da nossa força para apesar do medo andar para a frente. Das mulheres que se dão intensamente. Dá um medo pavoroso. As mulheres que mudam mundos. Eles não querem mudar mundos. Querem o mundo à maneira deles. Claro que mulheres assim assustam. Ao contrário do que se calhar se pensa, os homens (em geral, não matem) aguentam melhor o morninho, o meio cozido, o assim-assim.
É por isso que vocês são muitas vezes uns evitantes.Tanto na procura de ter o completo, como na certeza de que há um fim.





Espiral

Película parada

Um dia, exactamente um ano depois vi o mesmo filme. Engraçado como também lá estavas. Mas o momento era tão diferente.

O que mais me custou é que o filme continuava igual.

Espiral

‎"Vai por mim... todas as mulheres querem um homem que lhes cante, toque, ou que simplesmente sinta isto por elas." #1

Explicando, há uma semana coloquei uma música no facebook tendo este tema por base.

Ontem coloquei outra e achei que se adequava. Bem, acho que é serviço público.
Obviamente que isto tem muito daquilo que eu gosto, portanto vai haver foleirice (o amor é foleiro e ridículo), canções não românticas mas que me preenchem, etc ,etc

Portanto, tomem lá a primeira.






Espiral

terça-feira, setembro 21, 2010

Mood e Frases daquelas (já não me lembro o número bolas)

"Porque quem ama tem medo de perder..." (Pedro Abrunhosa num concerto dele qualquer....)

Até mete nojo não é? A mim mete. As verdades verdadinhas daquelas dolorosas metem sempre nojo.

Vou ali aprender a respirar e já venho.

Espiral

segunda-feira, setembro 20, 2010

Três casamentos e... espera já chega três casamentos

Acabei de me aperceber que tendo três casamentos nos próximos dois meses, logo vou ter três momentos Espiral-é-empurrada-com-força/jeitinho/agressividade-para-a-zona-de-lançamento-do-bouquet-porque-todo-o-mulherio-casadoiro-tem-de-estar-lá.

Nada contra estas tradições até acho realmente querido, mas tenho quase terror que me possa calhar o ramo. A ver:
- Não me quero casar (pelo menos para já)
- Irrita-me ouvir nos próximos tempos "és a próxima" (sabendo eu que não sou nada)
- A perspectiva de apanhar o ramo só teria um interesse médio se: tivesse ao lado um gajo garboso (assim o homem perfeito, aquele que não existe) que me olhasse para mim com toda a confiança e com um sorriso de charme e me fizesse crer no "é já a seguir"; e se eu tivesse mais uns aninhos que ainda me acho muito nova para estas andanças; e um desejo enorme daquela cena do estabilizar (nah...), estão a ver o enquadramento necessário? Muita fruta.


Portanto, acho que no momento do ramo vou estar:
- Enfiada na casa de banho a por bâton;
- No lado de fora da casa a aturar a crise existencial de uma amiga (imaginária ou não)
- A enfardar bolo (com três fatias nas mãos não dá para ir apanhar o ramo...ohhh)
- De olho nos gajos giros da festa (qual ramo, vamos à vertente prática da coisa)
- A fazer brindes aos noivos (alegria irmãos!)


Mais ideias, para o caso de nenhuma destas resultar, nos comentários, obrigada.


Espiral



Rir-me dos meus sonhos

Vou trancar neste momento toda a bílis que de repente explodiu em mim. Vou segurar a vergonha, o melindre, o pudor. Vou sacudir a revolta, a indignação e a raiva. Vou bater no fundo, e ainda magoar-me mais. Vou. Porque há coisas que se sentem sem realmente ter razões para isso.

E de seguida ter um momento de humor negro. Daqueles meus. Só para mim.





Espiral

p.s Não sendo uma mulher-furacão, sou sem dúvida de humores e de paixões.

Educação é...

Se nos dão boleia, e se ainda por cima só conheceste a pessoa hoje, não mandar bitaites sobre a arrumação/desarrumação que tem no carro. É indelicado, feio, e só faz a motorista querer dizer "então temos pena não entras".

Aconteceu-me isto duas vezes, com duas pessoas (amigos de amigas), no bairro. Não há muita pachorra. E a semi-bebedeira não é desculpa.

[Se eu ainda tivesse o carro sujo e cheio de treta... mas não, saco de cama e pólo da farda (duas coisas que necessito ter sempre à mão por causa do voluntariado), e duas revistas.]

Espiral


Acerca do tipo de mulher que somos (ou não somos)

Li, num livro juvenil (um da colecção Viagens no tempo) , há uns 15 anos, que há vários tipos de mulheres, entre as quais as mulheres-furacão. São aquelas que se estão alegres alegram a casa toda. Se estão zangadas levam tudo atrás. E penso nisto muitas vezes.


Conclusão: Sou? Não sou? Se sou, não queria ser? Se não sou, queria ser?

Dúvidas....

Espiral

p.s. Acho que não sou....


sexta-feira, setembro 17, 2010

Ora como as coisas mudam num segundo...

Eu mais duas amigas chegamos agora à conclusão que:

-Há coisas que nunca devem passar do imaginário para o concreto. Tudo muito bem, tudo muito bem mas às vezes há surpresas. E não muito agradáveis.

-Belo exemplo de como as primeiras impressões são uma treta; ouviram PSICÓLOGOS DESTE MUNDO?

-O mundo devia dividir-se em dois tipos de pessoas: as que escrevem bem com tudo o que é interessante associado e as que escrevem mal com tudo o que não é interessante associado.

Conclusão: Os cabrões só podem ser giros.


Espiral

p.s. Um kiss à L. e à A. com quem ri agora um bom bocado =)

quarta-feira, setembro 15, 2010

Mood





Porque é bonita. Porque é triste. Porque a adoro.. Porque adoro as suas letras. Porque adoro este tributo. Por tudo. Pelo que sinto. Pela saudade. Pelo desejo. Pela tristeza. Pela esperança.


Espiral

terça-feira, setembro 14, 2010

Talvez...

"...podemos mendigar amor, comprá-lo, recebê-lo de oferta, encontrá-lo na rua, mas nunca roubá-lo."

Hesse, Hermann, Siddhartha

Espiral

segunda-feira, setembro 13, 2010

domingo, setembro 12, 2010

"Nem Deus tem o dom de escolher..."



Porque já a ouvi em momentos em que precisava de carregar no batom, e em momentos em que sorri demais. Agora? Nem sei bem....

Espiral

Inception

A., lembras-te do que me disseste acerca deste filme? Tinhas toda a razão.


Espiral

p.s. Se conhecer alguém que tenha dito "Não percebi nada do filme, era muito complexo." vou começar a duvidar da sua inteligência.

sábado, setembro 11, 2010

Limpezas de sábado

Há dias

... em que o copo não só não está meio cheio, como não sabemos bem que quantidade de água resta no copo.

... em que apetece pegar em tudo o que são momentos, velas, postais, recordações, presentes e enfiar tudo em caixas.

... há dias que só apetece ficar deitada...

... em que como não dá para ficar deitada arruma-se tudo, casa, quarto, corpo, apenas porque não conseguimos arrumar o que está cá "dentro".


Espiral

quinta-feira, setembro 09, 2010

Mau feitio pois

Irrita-me psicólogos com "voz de psicólogo". Irrita-me a entoação "somos-todos-humanos-e-com-fraquezas-e-forças-e-vamos-lá-dar-as-mãos".

Por isso irrita-me ouvir o Eduardo de Sá e o outro parvo que agora não me lembro o nome, há espera, é o Júlio Machado Vaz, mas que para justificar cada palermice que diz na rádio manda a boca do "isto não sou eu que digo, é tudo científico", quando tudo o que ele diz não tem ponta de racionalidade nenhum quanto mais de ciência.

E lamento se tem um currículo fantástico, e se calhar até são bons no seu dia-a-dia. Mas deviam ter mais cuidado com o que dizem na rádio. Não falam para especialistas.

Espiral

quarta-feira, setembro 08, 2010

Às vezes

Sinto que isto dos blogs é exactamente como no liceu.

Há a vertente pop, as que falam de marca,s são in, na moda, têm o gajo x e obviamente tem a betalhada (ou leia-se antes carneirada) toda atrás a dizer que eles são fenomenais.

Depois há o grupo dos que se acham "diferentes" e acima dos "pop". Porque tem piadas mais inteligentes, ou falam de assuntos mais intelectuais, ou criticam de modo mais mordaz, ou fazem coisas mais artísticas. Mas são um grupo à mesma com a sua popularidade própria (e claro carneirada associada).

Depois há os que são realmente diferentes e melhores. E nem falam muito disso, nem precisam de comentar os dos outros. Podem ser sociais e até se dão com todos, mas estão ali à margem sendo eles próprios.


Deve ser o grupo que mais admiro.

A maioria dos meus blogs favoritos são deste grupo.
Depois tenho três ou dois do segundo grupo, mas sabendo com o que conto, e acho que só para aí um do primeiro.... assim como no liceu, aqui há pessoas que valem a pena em todos os grupos, mas obviamente com percentagens bem diferentes.

O meu blog? Oh, é como eu era no liceu. Outsider. E não muito popular lol. Somos aquilo que somos. Na internet ou fora. E aqui também é como lá fora. Há sempre com quem contar. =)

Espiral




Então é assim

Conhecem o verbo mascar? Devia de haver o verbo desmascar.

Assim, imaginem uma pastilha toda mastigada, com saliva e bactérias de uma boca, mas a seguir, desmascando, ela volta, pouco a pouco a ficar inteira, lisinha, com o doce todo do principio.

E o bónus é que se pode ser saboreada por outra pessoa, no original.


Pois, devia ser possível....


Espiral

Sofrer por antecipação...




Espiral

segunda-feira, setembro 06, 2010

Associações...

Estão a ver aquela música dos Xutos "Para sempre"? É poderosa, é forte, lamechas,"ah e tal momentos", "ah e tal dramas da vida".

Concordo e sinto isto tudo.

Por isso é um bocado parvo que a minha principal associação a esta música seja eu a vomitar tudo o que tenho no estômago na queima de Coimbra 2009 porque tive a bela ideia de estar mais de doze horas sem comer e depois enfardar pizza como se não houvesse amanhã (e não tinha bebido uma gota de álcool para as mentes mais desconfiadas).

Aí, aí associações...

Espiral

sexta-feira, setembro 03, 2010

Vipes III

Odeio os momentos em que, sem aviso e sem minha expressa autorização, há músicas que me pegam de surpresa e me atingem com dores antigas, novas ou daquelas que já não me lembrava que existiam.

As lágrimas saltam-me invisíveis dos olhos, o meu peito mirra e dilata mais rápido, imagens desordenadas e epilépticas violam-me a mente e emoções dão murros no meu coração.

O medo está sempre aqui. Eu sei... Felizmente que um pouquinho de coragem também....

Espiral


E é por isso que na barra ao lado só estão os verdadeiramente interessantes

E ela explica muito melhor que eu aqui.


Espiral

quinta-feira, setembro 02, 2010

Há rádios e rádios

A C- costuma dizer-me que os pais que vivem numa vila alentejana (naquelas onde o Judas comprou as botas) para lá do sol posto já ganharam muitos prémios com a rádio lá do sítio. Vales para mobiliário, jantares no restaurante x....

O L. também diz que na rádio lá da terra dele (lá para os lados de Alcobaça, naquelas sítios onde o Judas perdeu as botas) também há passatempos e ganha-se bilhetes e cds e que já ganhou algumas vezes....

Eu ouço isto e fico indignada. Como é, senhores das rádios aqui da minha zona?? Só servem para passar música pimba e para as senhoras-amigas-vizinhas-das-vossas-mães telefonarem a dizer que querem mandar beijinhos e que adoram o vosso "programa"?

Eu sei que provavelmente um jantarzinho no D. Nuno já era "ehhh lá" para vocês, mas nem um bitoquezinho no "Bichezas"???? Nem uma bifana com "molho especial" no "Carioca da Gema"???? Como é? ??? Sinto-me injustiçada.


Pronto, já desabafei.

Espiral


Ao menos é mais literário

Duas pessoas. São almas gémeas mas não sei se sabem. Conhecem-se quando ainda são jovens e belos e ainda pensam que aguentam todas as dores do mundo. Quando ainda não conhecem um milésimo das dores do mundo. Amam-se, choram-se, acarinham-se, ofendem-se, matam-se um pouco. Fazem algumas cicatrizes. Muitas. Magoaram-se. Demasiado. Talvez não se mereçam. Talvez não mereçam. Talvez já não sejam almas gémeas. Mas têm fé.


ou

Duas pessoas. São almas gémeas. Elas sabem. Mas não são jovens (em corpo e/ou espírito e/ou coração). Já sentiram muitas das dores do mundo. Duvidam que aguentem mais (apesar de aguentarem). Andaram sempre desencontrados mesmo quando as suas vidas se cruzaram. Ele na vida dele. Ela na dela. Também já magoaram e já foram magoados. Choraram e fizeram chorar. São almas gémeas. Mas não sabem se ainda merecem. E se é possível passar por tudo aquilo que uma vida escreve no corpo e na alma da gente. A fé é para os caloiros.


A maioria das pessoas prefere a primeira história. Romeu e Julieta ou afins. Não está bonitinha porque obviamente já estão lá os meus juízos de valor. Mas se estivesse a maioria preferiria. É mais bonita. Mais redentora. Mais propicia à felicidade.

Eu prefiro a segunda. Mas está arranjada e bonitinha. Não simpatizem assim tanto com eles porque eu os coloquei bonitos. Não são bonitos. E fizeram tanta ou mais merda que os primeiros. Simplesmente são diferentes.


E pronto, era só isto que tinha para escrever.

Espiral


terça-feira, agosto 31, 2010

O que se encontra na triagem de currículos...

Signo Touro. Se há coisa que se pode dizer do elemento deste signo é que é forte. Pode-se sempre contar com ele. É um óptimo conselheiro. É muito ponderado e parco nas palavras. Não gosta de ser perturbado e detesta ser pressionado. E atenção, porque aí ele é demolidor. Tem uma extrema necessidade de segurança material, daí ser um trabalhador obstinado. É um esteta, gosta de tudo o que é belo. Adora a sua família. Nunca tem medo de expressar aquilo que sente.


Mas é mesmo assim (ok, talvez não seja parca nas palavras...). Adoro ser deste signo.


Espiral

Em relação ao segundo post abaixo...

Também me disseram que eu às vezes parece que quero mostrar qualquer coisa. Que sou maior, melhor, a primeira.

E eu que sou toda inseguranças, acredito. Porque tem grande parte de verdade.

E logo a seguir dizem-me "Não precisas disso."

E eu quero acreditar que sim.

Espiral

p.s. Também sou teimosa, respondona, com mau feitio, e às vezes inflexível.

p.s.2 Eu sou lá capaz de colocar aqui um elogio que me fizeram sem a seguir matar tudo com as críticas que também me fazem...

Pensamento da manhã

Os não pequenos pormenores é que são fodidos....

Beijinho M.*


Espiral

segunda-feira, agosto 30, 2010

O que me deixou sem palavras este Verão....

"Claro que tu irritas as pessoas. Claro! Tu não tens noção... S., és daquelas pessoas que não se esquecem, que tem qualquer coisa que se destaca. Claro que tu não procuras os palcos. Mas é mesmo isso que irrita as pessoas. Tu não precisas de procurar mostrar-te."

dito por A. (aquele tipo de amiga frontal como um calhau, que diz mal de toda a gente, que não gosta assim de muita, que critica o meu gosto para homens de um modo mais corrosivo do que os meus piores inimigos; adoro-a; não por este brutal elogio, mas por tudo o que somos há 24 anos - assim até pareço velha, mas as minhas amizades são assim, duradouras, e para sempre.)


E temos mesmo que combinar aquele café em Lisboa que deixamos sempre passar*

Espiral

Chamem-me tradicional....

Ou "Mas-o-que-é-que-tu-sabes-acerca-do-amor-profundo-contra-tudo-e-todos" mas quando sei que x traiu y, penso sempre "Aquilo não vai resultar."

Espiral

domingo, agosto 29, 2010

Sinceramente...

Agrada-me pensar que sou o assunto tabu de alguém.


Espiral

Como eu também adoro sapatos...

(em castanho escuro)
(em cinzento)

Três pares (em saldo, e só paguei dois devido a uma promoção da Aldo "Leve três pague 2")-

E ainda comprei outro par na Mishuo, umas sandálias para levar a um casamento, em que em todas as lojas que fui ver de vestidos para o dito, as vendedoras achavam o máximo....

Estou a sentir-me ligeiramente consumista, e a achar um abuso 4 pares de sapatos assim de repente... nunca tinha feito isto. Mas pronto, há alturas em que acontece e não vou estar a massacrar-me por isto.

Obviamente agora compras para mim só para o Natal, que nos entretantos tenho três casamentos (!), e duas ou três datas a celebrar...

Espira

p.s. Ó-MEU-DEUS-EU-ESTOU-A-FAZER-UM-POST-À-BLOG-DE-GAJA-VOU-ALI-VENTILAR-E-JÁ-VOLTO

sexta-feira, agosto 27, 2010

O meu dia em telegrama

"Muito trabalho. Muito calor. Muitos telefonemas. Poucos contactos. Pouco retorno. Muito eu. Mas ao menos já comi bolo de chocolate hoje. "


Espiral

O vosso sentido de humor é refinado Parcas....

Olá, sou a Espiral, mas o meu segundo nome é "sou-a-melhor-a-dar-barraca-ou-como-cagar-o-pé-todo-mas-com-classe"


Espiral

quinta-feira, agosto 26, 2010

Frases daquelas XX

“Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar. Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente para me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las. Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso estar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo pensando o que não devia. Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crer que é para sempre quando eu digo convicto que “nada é para sempre”.”

Gabriel García Márquez


Porque eu sou isto e ponto.


Espiral

Também tenho mau feitio

Faz-me um bocadinho de confusão aquelas pessoas que quando falamos de alguma coisa que é cultura geral (tipo, Gabriel Garcia Marqueszou algo do género) ficam todas picadinhas por mostrar-mos surpresa por não saberem;

Tenho vindo a reparar que são exactamente essas pessoas que fazem todo um ar "oh meu deus como é que não sabes mete nojo" quando falam de nomes ou acontecimentos que só quem é especialista em determinada área ou aficionado normalmente sabe (ex: adoro a Laura Laine, mas só quem gosta muito de ilustração é que sabe quem é... e mesmo assim, com tanto ilustrador brutal por este mundo fora....)

Apetece-me fazer essas pessoas em picadinho.

Espiral

terça-feira, agosto 24, 2010

Frases daquelas IX

"O mais difícil de ultrapassar quando conhecemos alguém com quem queremos ter um futuro é percebermos que não fazemos parte do seu passado."


Espiral

Ainda bem que eu não acredito em "ses"....

Parcas....


dfjsdfjsdpofkdspofkdpfkdopvkpdfkvpfomdpbgmdpgokfpkf+psldf+plsdfs+pdlf+pd
fopvopmdropvmpjgpogbmpgom,bh,ghln,pyhkbpfombopm,opçbm,fbgmopbkopk
obmdfopbmopm,bopmtpbrmkoptpgtpbgkmtobroptfrbporeb,kbmoplmrtbh,mbto
bmrporbropbmkopbrmkpçbepvgjkopkfjergermogogkjgorgoperogkpgokerpgokkpe
fmepfkspdfvokbpmthpo+gkwope+pwwq+l+alscpl,tk,+phyjly+jl+kn+p,k+pgoropb

Atentamente,

Espiral

Opá... opá... opá...

'Então queres ser escritor?

se não sai de ti a explodir
apesar de tudo,
não o faças.
a menos que saia sem perguntar do teu
coração da tua cabeça da tua boca
das tuas entranhas,
não o faças.
se tens que estar horas sentado
a olhar para um ecrã de computador
ou curvado sobre a tua
máquina de escrever
procurando as palavras,
não o faças.
se o fazes por dinheiro ou
fama,
não o faças.
se o fazes para teres
mulheres na tua cama,
não o faças.
se tens que te sentar e
reescrever uma e outra vez,
não o faças.
se dá trabalho só pensar em fazê-lo,
não o faças.
se tentas escrever como outros escreveram,
não o faças.

se tens que esperar para que saia de ti
a gritar,
então espera pacientemente.
se nunca sair de ti a gritar,
faz outra coisa.

se tens que o ler primeiro à tua mulher
ou namorada ou namorado
ou pais ou a quem quer que seja,
não estás preparado.

não sejas como muitos escritores,
não sejas como milhares de
pessoas que se consideram escritores,
não sejas chato nem aborrecido e
pedante, não te consumas com auto-
-devoção.
as bibliotecas de todo o mundo têm
bocejado até
adormecer
com os da tua espécie.
não sejas mais um.
não o faças.
a menos que saia da
tua alma como um míssil,
a menos que o estar parado
te leve à loucura ou
ao suicídio ou homicídio,
não o faças.
a menos que o sol dentro de ti
te queime as tripas,
não o faças.

quando chegar mesmo a altura,
e se foste escolhido,
vai acontecer
por si só e continuará a acontecer
até que tu morras ou morra em ti.

não há outra alternativa.

e nunca houve.'


Charles Bukowski

(roubado de um comentário de um blog, etc etc)

E ontem, isto voltou.

Espiral

segunda-feira, agosto 23, 2010

Dia (Quase) Perfeito

Começou pelas 3 e tal da madrugada a ir para o Lux ter com o Z. que vai ser feliz em Barcelona. As despedidas deviam ter sempre amanheceres que parecem wallpapers e bolos e torradas Às 7 da manhã. Juntamente com risos e uma co-pilota experiente mas sem carta.
Um pouco mais tarde, e sozinha, subo ruas com nomes de antigas colónias e chego a um miradouro. Lá encontro uma senhora daquelas fascinantes que só costumamos encontrar nos livros. E nesse miradouro ainda vou a tempo de ficar com alguns livros que alguém muito generosamente resolveu ofertar.
Sigo depois, já com algum sono de quem não vê cama há mais de 26 horas, até à terra onde está uma das pessoas que mais admiro e que fazia anos nesse dia. Beijos, doce de ovos e uma cama onde durmo 20 minutos.
Volto para baixo, durmo mais uma hora e tal e chego a tempo de ver a derrota do meu clube.

Mas não foi isso que fez o dia ser (quase) perfeito.

Gosto de mim quando faço o que me apetece sem pensar se fazem muito ou pouco sentido.

Espiral

sexta-feira, agosto 20, 2010

Vipes II

Não ouvir músicas do Pedro Abrunhosa quando estamos com o coração pesado e triste. Especialmente se for aquela tristeza mansa.... sabem?

É um bom aviso.

E assim, de repente apetece-me sair do trabalho e ir correr, correr, correr....


Espiral

Estudasses...*

Há situações em que é complicado perceber se estamos a ser brutalmente corajosos ou brutalmente cobardes.


Espiral


*Comentário apropriado a tudo e mais e umas botas de um amigo recente (mas que já está "aqui") e que vai para Barcelona (parvo)

Corações remendados.

Quando se tem uma ou duas cicatrizes numa tela limpa nota-se mais. Toda a gente repara. É uma ou duas cicatrizes a desfear um coração tão limpo. E doí muito. Pelo contraste.
Quando se começa a ter mais, é só mais uma ou duas ou muitas cicatrizes. Já nem se nota. E chega um dia, a um ponto, que já nem se sabe como era ter um bocadinho de tela limpa.

Espiral

quinta-feira, agosto 19, 2010

Simplicidade

Ontem quando passava por um jardim a caminho do carro, e com o coração oscilante e apertado, vi um miúdo de 3/4 anos e caracóis a olhar esbabacado para mil e um pombos. De vez em quando, aquele que supus ser o pai do miúdo batia palmas. Esse barulho fazia os pombos voarem e o miúdo ria assim como o pai.

A felicidade é definitivamente simples.

Espiral

terça-feira, agosto 17, 2010

sábado, agosto 14, 2010

O meu momento bimbo 2010


Este praia é bonita. Ao pôr-do-sol então, fantástica.

Mas o momento alto é quando estou prestes a chegar a ela e olho para o areal e vejo pessoas despidas... muita gente nua, mas também algumas de fato de banho.

5 segundos de hesitação e um ar embasbacado serviram para uma senhora ao passar dizer "Não se preocupem, é mista, eu já estive lá, podem ir."

E depois de 10 minutos em que estamos lá a gozar um bocado e a sentir um bocado a estranheza até se está lá bem e até é muito natural. De fato de banho. Nudismo (por enquanto, nunca digo desta água não beberei) não é a minha cena.

Espiral



Férias (breves) 2010

Escaldões, minis, risos, lágrimas, conversas, momentos intensos, sangrias, bolas de berlim, abraços que valem pelo mundo, momentos zen, Õ Padrinho, amigos, praias ao pôr-do-sol, internet, sudoku, momentos em que quase se ganha ou quase se perde tudo.

Não sei se preciso mais de férias, ou se prefiro ir já trabalhar.

As parcas não tiram férias? Não percebo. Os sicilianos é que se calhar têm razão... há "raios" mas ao menos enquanto há azar, ao menos não usamos a sorte. Estou a usar a sorte? Ou a usufruir do azar?

Espiral





sábado, agosto 07, 2010

Eu tenho sentido de humor, mesmo que não pareça.

Descobri o mundo Monty Python já relativamente tarde... e posso dizer que ria imenso quando me descreviam filmes como o "Sentido da vida", "A vida de Brian" ou o "Em busca do cálice sagrado".
Mal pude, vi o "Em busca do cálice sagrado" e não contive a minha desilusão. Fui a única a não achar piada aos cocos a fazer de cascos? E a cena do monstro que afinal é coelho tem muito mais piada vista sozinha (como vi num programa qualquer) do que vista no decorrer do filme.

Acabei de ver agora a "vida de Brian" e apesar de ter achado piada, não amei. Percebo as piadas todas, mas não as acho assim tão hilariantes....
Estou a olhar desconfiada para o dvd do "E agora algo completamente diferente"....
Bem, acho que vou dar um descanso ao humor e inglês e continuar a ver 24 ou a ler Tolkien...

Espiral

sexta-feira, agosto 06, 2010

Eu curto estar sozinha, mas....

A parte chata de não ter ninguém em casa é estar com um escaldão enorme depois de um dia de praia bom, e não ter ninguém que nos ponha creme nas costas...

Espiral

sexta-feira, julho 30, 2010

As cores de mim....

Não sou azul, límpida, fresca. Muito menos verde. Nem preto, nem branco, e muito menos cinzento. Sou cores quentes, vivas, mas com um toque (quiçá grande) de castanho. Terra-fogo. Por isso o Outono (tão confortável), por isso a Primavera (que me cheira sempre a amarelo).

É bom saber quem somos, mesmo que só a cores.

Espiral

"Viver com um coração cheio um mundo vazio"

Sim sou daquelas pessoas que acha que os melhores e os verdadeiramente bons, partem mais cedo... Ninguém disse que viver era fácil...

A ti, António Feio, por tudo.

Espiral

quarta-feira, julho 28, 2010

UPS e não só....




Esta música aplica-se a demasiadas pessoas/momentos/contextos/vivências da minha vida. Provavelmente aplicar-se a mais de uma já é demais.

Ou sou eu que me identifico com as músicas que têm a ver comigo, estado de espírito e pronto, ou então ando a repetir processos, a repetir sentimentos e emoções e só muda pessoas/momentos/contextos/vivências parecendo que banalizo estas variáveis.

Sinto-me um bocado chula, a prostituir esta (e outras músicas) consoante o que calha.

Talvez possa só achar que as músicas não tem propriedade nem exclusividade. E que todos as nossas variáveis especiais (e não banalizadas), se nossas, cabem nelas.

Afinal "Are you there?" é tão universal não é?

Espiral


terça-feira, julho 27, 2010

Falsas memórias

Graças à Internet, à RTP Memória, e à repetição de programas, eu posso falar dos anos 80 como se estivesse estado realmente lá (isto é, com uma idade decente), como se tivesse visto aquilo tudo, e tivesse manipulado os objectos que falam, e comido toda aquela comida que já não existe. Sou uma verdadeira especialista dos anos 80, eu. Pena ter 5 anos quando eles acabaram....

Isto porque consigo responder a todas as perguntas que fazem na rádio sobre os anos 80. Para quando umas sobre os anos 90 para eu me sentir realmente viva?


Espiral

Tristeza sobre a felicidade

Acho que as pessoas que já estiveram muito muito tristes e que já tiverem mesmo maus momentos pensam, sentem, que estão desencantados. Que perderam qualquer coisa que já não voltam a ganhar. Que já não vão rir como riam. Que já não vão sentir como sentiam. Que já nada vai ser como dantes.

E é verdade. Um vaso arranjado depois de quebrado não fica igual a um vaso que nunca foi partido.
E é quando bocadinhos desse tipo de tristeza voltam que achamos que a verdadeira alegria já não volta.

Mas talvez não seja verdade. Talvez quando isso acontecer, sintamos que estamos mais desiludidos, mas não mais desencantados, com maior amplitude para sentir a tristeza, mas com maior generosidade para todo o tipo de alegrias.

Talvez, o aprender que há tristezas enormes nos ensine a abraçar tudo aquilo porque devemos sentir-nos gratos. E a dar importância desmedida aos momentos bons.

Espiral

sexta-feira, julho 23, 2010

Frases daquelas XVII

"A saudade é uma tatuagem na alma. Só nos livramos dela perdendo um pedaço de nós." (Mia Couto)


daqui

Como as palavras andam aqui entaladas, a esquecerem-se de sair, socorro-me nas dos outros.

Espiral

p.s. Tenho que retocar a minha (aquela à flor da pele) e fazer mais...

Frases daquelas XVI

"Não acredito na inevitabilidade de nos tornarmos desconhecidos após uma relação, não sempre. Essa é uma crença para fracos de espírito."


É, não é?... A vida tem muita piada..

Espiral

segunda-feira, julho 19, 2010

Por exemplo, este pode ser um dos meus quartos de sonho


Espiral


O meu sonho é ter uma biblioteca assim ou ainda maior, mas igualmente gira:


Se ganhar três livros em passatempos por mês, como aconteceu neste, mais os livros que compro, talvez não demore muito =D

Enquanto não tenho muitos livros, nem o meu próprio espaço para os ter (sniff) vou salivando por aqui.

Espiral

domingo, julho 18, 2010

Fim de semana foi

1- Estar com metade do pó do meco dentro dos pulmões e doer quando respiro, mas fora isso o SBSR ontem foi muito bom =). Praia e concertos bons são uma fórmula ideal =)

2- Comprovar aquilo que pensamos através dos erros dos outros dá muito jeito. Vemos que temos toda a razão em não cair neles.

3- Ouvir "Pedra Filosofal" na rádio, enquanto se faz a marginal numa noite fantástica depois de ter ido ver Gotan Project a um jardim bonito.

Espiral



quinta-feira, julho 15, 2010

Eu não acredito mas que as há, há...

Esse poema que escolhi ontem de manhã voluntariamente mas sem consciência, marcou de modo ou de outro o resto do meu dia.

Sinais? Eu sei lá... É tão forte como descobrir que a nossa escrita é mental quando a pensávamos sempre emocional. Vamos lá descascar cebolas.

Príncipe, o que me dizes tu agora?

Espiral


(Poema - Príncipe de José Luís Peixoto)

quarta-feira, julho 14, 2010

Escusam de fazer caras de pânico

Obviamente se eu soubesse que enfiar 5 brufenes 600 no espaço de 24 horas é caminho andado para ir desta para melhor, não tomava 2 de seguida e às vezes 3/4 no espaço de 24 horas, ok? Sabia lá que a capacidade hepática do fígado ficava fragilizada, ok senhores farmacêuticos?

Gostava que tivessem as minhas enxaquecas para verem...

Agora já estou com migraleves na bolsa.... já podem parar com os ares escandalizados de "oh-meu-deus-ela-não-sabe-o-que-faz-e-está-a-matar-se-aos-poucos."

Espiral

domingo, julho 11, 2010

Eu quase que me engasgo a ouvir rádio

Quanto é que pagam ao pessoal da rádio comercial para dizer "e agora uma das melhores músicas do momento" em relação a uma música de Lady Gaga ou de outra cantora/cantor de música popularucha com imagens pimbas e aprostituizadas?

Suponho que muito.

Espiral

segunda-feira, julho 05, 2010

Parcas vão-se matar.

"Um galego é um português que se rendeu. O português é um galego que nunca se rende."

Pertenço, sem reserva, aos segundos. Agora, em que raio é que isso me ajuda? Concretizações da teoria precisam-se.

Espiral

quinta-feira, julho 01, 2010

Antecipações

Sofro imenso por antecipação. Antes mesmo de saber se algo vai acontecer, se tenho um prenúncio disso, sinto logo um aperto atroz no estômago, uma vontade louca de gritar, o meu coração bate mais rápido, fico com os olhos húmidos e completamente incapaz de me concentrar. Sinto-me não quase a explodir, mas no meio da explosão.

Mas é uma explosão interna. Uma combustão lenta a temperaturas altas. E apesar de externamente ficar lívida, olhos húmidos e voz tremente, é raro alguém conseguir sequer alcançar um pouco daquilo que estou verdadeiramente a sentir.

E por isso vou ali comer um chocolate, ler 100 páginas de um livro e desabafar com alguém. Que são as únicas coisas que me acalma.

Espiral

p.s. Devia ser proibido gostar como eu gosto.





quarta-feira, junho 30, 2010

É o mundo, aguenta

Percebi na última semana que se desculpa muito mais rapidamente a falta de responsabilidade do que a falta de jeito (independentemente do esforço que se faça).

Sim, pois, ninguém disse que isto era justo.

Espiral

domingo, junho 27, 2010

Filmes de infância


Ya... não se entusiasmem muito com os filmes porno, meninos, duvido que aquela gente tenha assim muito prazer e além disso a mulher real não é assim tão tesuda na maioria dos seus dias. Não sei se tenho pena ou se dou graças por isso.

Ya, não se entusiasmem tanto com os filmes da Disney, meninas, se virem bem os príncipes são quase todos uns bananas (excepção feita ao da Bela e o Monstro). E nos gostamos de Homens.


Espiral

quinta-feira, junho 24, 2010

Babo por ilustração



E falando em vícios, um vício que ando a cultivar é a minha paixão por ilustração. Descobri este senhor, Nuno da Costa, e adorei o traço dele. =)

Espiral


Vícios

Não me coloquem à frente livrarias com personalidade. É certo e sabido que entro e compro qualquer livro apenas porque a livraria emana carisma.

Não posso descobrir sites que vendem livros na net sem portes de envio e ainda com descontos e ainda com promoções.
Apetece-me comprar todos os livros, todos aqueles que sempre quis ler, aqueles que nunca pensei ler e aqueles que no momento me apetece comprar.

E tenho ainda uns 70 a 100 livros meus para ler, mais uns 20 emprestados...

Sem contar evidentemente com os 4 que estou a ler no momento que estão ali ao lado...

Sou uma consumista de livros..... que irei ler obviamente =)

Espiral

terça-feira, junho 22, 2010

Dizerem-me

"Aconteceu uma coisa, depois conto-te." aka "Tenho uma coisa para te dizer." aka "Tudo mais ou menos, já falamos." e deixar-me em compasso de espera é das piores coisas que me podem fazer.

Faço logo os piores cenários possíveis e imaginários, o fim do mundo e o diabo a sete, e fico nervosa o tempo todo.

Quando finalmente me contam o que se passa, mesmo que seja qualquer coisa chata e desagradável, eu não consigo expressar muito pesar pois não chega aos calcanhares do que imaginei. Por isso é possível que às vezes passe por insensível ou por indiferente. Não é isso. Simplesmente quando pensamos que vai acabar o mundo ficamos um bocadinho a leste da cabana de ferramentas que ardeu.

Espiral

domingo, junho 20, 2010

Apercebi-me agora

Que é "chique", de "bom tom", "muito intelectual" e "na moda" toda a gente que pensa que lê, e porque leu meia dúzia de livros gostar de Saramago.

Ora, parece que é meia dúzia de motivos para eu não gostar. Mas gosto das ideias criativas. Do modo diferente de escrever, e de algumas coisas da sua personalidade.

Lá está, eu gosto do que gosto. Porque sim, porque as sinto e porque as penso.

Espiral

sexta-feira, junho 18, 2010

Eu gosto do que gosto II

Enquanto vou comendo a caixa de bombons frutos do mar do lidl vou lendo post, noticias e artigos no facebook acerca da morte de Saramago.

Em relação ao gosto pessoal de cada um, de gostarem dele ou não enquanto pessoa, de gostarem ou não da escrita dele, de dizerem que foi enxovalhado ou não, que era idolatrado, que era bom porque era comunista, que era mau porque era comunista, que já era velho, que não merecia morrer, que só gostavam dele porque dizia mal da igreja, que era horrível porque dizia mal, quero lá saber, é só opiniões, batalhas de egos, metade das pessoas nem o leram, outra grande maioria nem o conheceu, portanto é tudo opinião pessoal vale o que vale, e fica tudo contentinho por expressar a sua opinião. E ainda bem que isto é um país democrático.

O que já me faz um bocadinho de confusão é as bocas do "ah, ninguém liga a morte de uma pessoa importante culturalmente, e depois se fosse o Ronaldo estava toda a gente a chorar, é o país que temos".

Ora bem, não percebo bem o ponto de vista destes senhores e acho-os no mínimo tacanhos.

Ponto 1: Tanto a literatura como o desporto são cultura portanto não vejo desprimor em gostar de uma coisa e de outra. Eu, pessoalmente, gosto das duas.

Ponto 2: Do mesmo modo que Saramago levou o nome do nosso país mais longe também grandes jogadores de futebol levaram. Acho-os igualmente motivo de orgulho sem desprimor para um ou para outro.

Ponto 3: Tanto Saramago como Cristiano Ronaldo têm pontos em comum: vêm de famílias humildes e tiveram que conseguir o sucesso que alcançaram através do seu próprio esforço. Porque nem um nem outro tiveram apenas talento. (Ide ver documentários sobre o Cristiano Ronaldo: Gostava de saber quantos de vocês iriam mais cedo trabalhar e sairiam mais tarde para fazer o melhor possível, ou iriam trabalhar nos feriados, ou quando o vosso chefe vós dissesse "vocês nunca vão conseguir ser bons na área x", se arregaçavam as mangas e mostravam-lhe que estava enganado.)


Eu admiro sempre e qualquer pessoa que consegue as coisas com o seu próprio esforço, especialmente se não tiveram as vantagens óbvias de status social ou monetário.

Por isso um brinde, não só ao José Saramago, mas também a todos os que tornam este país à beira mar plantado um país reconhecido, não só lá fora, mas principalmente por nós Portugueses.

E tenham vergonha.

Espiral

Eu gosto do que gosto

Estou neste momento com desejos de bombons frutos do mar do Lidl. Sim, precisam de ser do Lidl. Prefiro o sabor dos falsos do que os verdadeiros. Afinal o verdadeiro e o falso tem pouco a ver com autenticidade acho. E com a qualidade, e com o gostar.

Espiral








A ignorância não é felicidade

Devo ser a única pessoa que ainda não percebeu a piada do ketchup. E estou com vergonha de perguntar.


Espiral

quarta-feira, junho 16, 2010

Momento "weird"

Acabei de receber um telefonema para o meu telefone de trabalho em que o senhor do outro lado da linha me disse "Está lá, é do professor Bambo?"

Depois do meu balbuciar "Não, é engano." lá pediu desculpa e desligou.

PROFESSOR BAMBO? Tá tudo doido? Tenho que ir cuscar se o número é tão parecido assim.

Mas talvez seja um sinal a mostrar-me que assim ganhava uma pipa de massa. Também dou conselhos aka bitaites sobre tudo.

Espiral

Frases daquelas XVI

Em Utrecht, no coffeshop mais giro do mundo e arredores (como se tivéssemos corrido todos os coffeshops da Holanda) eu, a L. e a A. falávamos das vicissitudes da vida e das relações (uau, esta quase que foi profunda) e surgiu o tema do "tipo de homem".

E nesse momento surgiu um momento de inspiração profunda, talvez do maravilhoso cappuccino, talvez de outras substâncias,talvez da companhia, talvez mesmo só de mim própria:

"O meu tipo de homem é aquele que mesmo que não tenha mais certezas nenhumas me veja como uma certeza na vida dele."

E pronto, é isto, porque também mereço uma frase minha no "Frases daquelas."

Mais ideias, peripécias e notícias da Holanda algures quando me apetecer.

(Ainda ponho aqui uma foto do coffeshop)

Espiral


Reter

Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram. Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram. Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram. Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram. Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram. Não deixar coisas que gosto ao sol, no carro, elas descoloram.

Espiral


quinta-feira, junho 10, 2010

As minhas pancas

Tenho pelo menos 6 a 7 blocos ou caderninhos como quiserem chamar. Aqueles que normalmente se anda na mala ou se tem na secretária para se escrever o que se apetecer.
Adoro esses cadernos. Compro-os, oferecem-me e vão-se acumulando. Gosto de os folhear e vê-los lindos e maravilhosamente limpos sem a parva da minha letra a estragar.
E eu vou usando os mais reles, por exemplo no momento uso um dos que vêm nas selecções.

Mas agora tomei a decisão de ir usar os giros. Já tirei da mala o meu caderno das selecções e pus um giríssimo que me ofereceram no natal de há 3 anos da paperblanks (adoro, por mim comprava todos)com gatinhos mediterrâneos.


Depois virão os moleskines, restantes paperblacks e mais uns cadernos super fashions que comprei/recebi. Agora vai este =D

<-- Não é giro? =D


















Espiral

terça-feira, junho 08, 2010

Voltando a assuntos sérios....


Depois de amanhã estarei aqui =)

E quero andar de bicicleta e ir aos célebres cafés e ver os museus que devem ser maravilhosos e passear muito perdendo-me pelas ruas observando as pessoas. E perceber porque quase toda a gente que a visita volta e diz-me "Tem tudo a ver contigo."

Espiral

Como-também-gosto-de-sapatos-e-de-saltos-tomem-lá

As pessoas que acham muita piada a ver-me escorregar (mas não a cair) no passeio e acham que é por causa dos saltos de 10 cms, gostava que calçassem os ditos e fossem andar na calçada portuguesa especialmente nos sítios em que ela é inclinada e escorregadia. Tentem, tentem, a sério.

Os saltos são confortáveis e estáveis. Obviamente que não planeados para a calçada portuguesa. Mas a culpa é da calçada.


Depois do momento irritante-ó-fútil juro juro que virão temáticas interessantes.


Espiral

Acho bonito à mesma...

"E como um truque de uma insólita magia..."

Vamos todos acreditar que conseguimos tudo o que sempre desejámos?

Mas e quando aquilo que sempre desejaste já passou de prazo?




Espiral

terça-feira, junho 01, 2010

As canções que já não passam na rádio...


O que leva uma canção que não me lembra nem bons nem maus nem esquisitos momentos a provocar-me uma reacção completamente pavloviana?

Vai entender os processos automáticos do corpo.



Espiral

Like a boss

Portanto, daqui a 10 anos gostaria  estar num tal nível que faria e trataria como meus secretários particulares, o presidente português de u...