Quickribbon Espiral: Setembro 2010

quinta-feira, setembro 30, 2010

Realisticamente falando, não é?


O meu sentido de humor é bom...




quarta-feira, setembro 29, 2010

Eclética mas com gosto.

Eu e a mania que leio de tudo...

Como é que eu passo do magnífico 1984 que foi dos melhores livros que li nos últimos tempos para Testemunho (da Anita Shreve)? É óbvio que é uma descida de qualidade literária enorme... nada contra a Anita Shreve, que talvez lendo depois de outro livro qualquer até acharia agradável, mas agora só acho boring, enquanto me arrepio com a má qualidade literária.

O contraste perceptivo sucks.

São Parcas, senhor, são Parcas...

Há o Primeiro, o UP, o que marca e o que fica (assim na bela teoria em que tudo corre bem)... e depois há aquele que nunca perceberás porque não foi o primeiro, O UP, e porque não marcou (dessa maneira) e porque não ficou... porque nunca sequer esteve.


Espiral

terça-feira, setembro 28, 2010

Sentidos

Começo a perceber que isto do gostar está muito relacionado com unhas roídas já que não há uma tablete de Carburys* à mão.


Espiral

*Estes porque depois de anos a achar que estavam piores, voltei a gostar imenso.


segunda-feira, setembro 27, 2010

"Vai por mim... todas as mulheres querem um homem que lhes cante, toque, ou que simplesmente sinta isto por elas." #2

domingo, setembro 26, 2010

Olha, a falarem de mim*

(*sim, já me disseram isto mas com outras palavras)

Espiral

Espelhos


Se eu pudesse ter escolhido queria ser este género de mulher, tanto física como psicologicamente( activem o estereotipo) . Linda, linda, linda.

Sou tão o outro extremo que até faz impressão.... matava para ter aqueles olhos.


Espiral

sexta-feira, setembro 24, 2010

Definições

Posso só achar que o que sinto é apenas como um balde com tinta a transbordar? Ou como mel derretido a escorrer?


quinta-feira, setembro 23, 2010

Equilíbrio do Universo

Se sou esperta e até há beijinhos que fazem cócegas o meu carro fica avariado.

Negócio fechado, parcas. Sem pestanejar.


É isto e whiskas saquetas....

Daqui



quarta-feira, setembro 22, 2010

Da tragédia que é duas pessoas pertencerem-se e não se "encontrarem"

Os homens tem um medo que se pelam. Disto (ver música). Da nossa força para apesar do medo andar para a frente. Das mulheres que se dão intensamente. Dá um medo pavoroso. As mulheres que mudam mundos. Eles não querem mudar mundos. Querem o mundo à maneira deles. Claro que mulheres assim assustam. Ao contrário do que se calhar se pensa, os homens (em geral, não matem) aguentam melhor o morninho, o meio cozido, o assim-assim.
É por isso que vocês são muitas vezes uns evitantes.Tanto na procura de ter o completo, como na certeza de que há um fim.





Espiral

Película parada

Um dia, exactamente um ano depois vi o mesmo filme. Engraçado como também lá estavas. Mas o momento era tão diferente.

O que mais me custou é que o filme continuava igual.

Espiral

‎"Vai por mim... todas as mulheres querem um homem que lhes cante, toque, ou que simplesmente sinta isto por elas." #1

Explicando, há uma semana coloquei uma música no facebook tendo este tema por base.

Ontem coloquei outra e achei que se adequava. Bem, acho que é serviço público.
Obviamente que isto tem muito daquilo que eu gosto, portanto vai haver foleirice (o amor é foleiro e ridículo), canções não românticas mas que me preenchem, etc ,etc

Portanto, tomem lá a primeira.






Espiral

terça-feira, setembro 21, 2010

Mood e Frases daquelas (já não me lembro o número bolas)

"Porque quem ama tem medo de perder..." (Pedro Abrunhosa num concerto dele qualquer....)

Até mete nojo não é? A mim mete. As verdades verdadinhas daquelas dolorosas metem sempre nojo.

Vou ali aprender a respirar e já venho.

Espiral

segunda-feira, setembro 20, 2010

Três casamentos e... espera já chega três casamentos

Acabei de me aperceber que tendo três casamentos nos próximos dois meses, logo vou ter três momentos Espiral-é-empurrada-com-força/jeitinho/agressividade-para-a-zona-de-lançamento-do-bouquet-porque-todo-o-mulherio-casadoiro-tem-de-estar-lá.

Nada contra estas tradições até acho realmente querido, mas tenho quase terror que me possa calhar o ramo. A ver:
- Não me quero casar (pelo menos para já)
- Irrita-me ouvir nos próximos tempos "és a próxima" (sabendo eu que não sou nada)
- A perspectiva de apanhar o ramo só teria um interesse médio se: tivesse ao lado um gajo garboso (assim o homem perfeito, aquele que não existe) que me olhasse para mim com toda a confiança e com um sorriso de charme e me fizesse crer no "é já a seguir"; e se eu tivesse mais uns aninhos que ainda me acho muito nova para estas andanças; e um desejo enorme daquela cena do estabilizar (nah...), estão a ver o enquadramento necessário? Muita fruta.


Portanto, acho que no momento do ramo vou estar:
- Enfiada na casa de banho a por bâton;
- No lado de fora da casa a aturar a crise existencial de uma amiga (imaginária ou não)
- A enfardar bolo (com três fatias nas mãos não dá para ir apanhar o ramo...ohhh)
- De olho nos gajos giros da festa (qual ramo, vamos à vertente prática da coisa)
- A fazer brindes aos noivos (alegria irmãos!)


Mais ideias, para o caso de nenhuma destas resultar, nos comentários, obrigada.


Espiral



Rir-me dos meus sonhos

Vou trancar neste momento toda a bílis que de repente explodiu em mim. Vou segurar a vergonha, o melindre, o pudor. Vou sacudir a revolta, a indignação e a raiva. Vou bater no fundo, e ainda magoar-me mais. Vou. Porque há coisas que se sentem sem realmente ter razões para isso.

E de seguida ter um momento de humor negro. Daqueles meus. Só para mim.





Espiral

p.s Não sendo uma mulher-furacão, sou sem dúvida de humores e de paixões.

Educação é...

Se nos dão boleia, e se ainda por cima só conheceste a pessoa hoje, não mandar bitaites sobre a arrumação/desarrumação que tem no carro. É indelicado, feio, e só faz a motorista querer dizer "então temos pena não entras".

Aconteceu-me isto duas vezes, com duas pessoas (amigos de amigas), no bairro. Não há muita pachorra. E a semi-bebedeira não é desculpa.

[Se eu ainda tivesse o carro sujo e cheio de treta... mas não, saco de cama e pólo da farda (duas coisas que necessito ter sempre à mão por causa do voluntariado), e duas revistas.]

Espiral


Acerca do tipo de mulher que somos (ou não somos)

Li, num livro juvenil (um da colecção Viagens no tempo) , há uns 15 anos, que há vários tipos de mulheres, entre as quais as mulheres-furacão. São aquelas que se estão alegres alegram a casa toda. Se estão zangadas levam tudo atrás. E penso nisto muitas vezes.


Conclusão: Sou? Não sou? Se sou, não queria ser? Se não sou, queria ser?

Dúvidas....

Espiral

p.s. Acho que não sou....


sexta-feira, setembro 17, 2010

Ora como as coisas mudam num segundo...

Eu mais duas amigas chegamos agora à conclusão que:

-Há coisas que nunca devem passar do imaginário para o concreto. Tudo muito bem, tudo muito bem mas às vezes há surpresas. E não muito agradáveis.

-Belo exemplo de como as primeiras impressões são uma treta; ouviram PSICÓLOGOS DESTE MUNDO?

-O mundo devia dividir-se em dois tipos de pessoas: as que escrevem bem com tudo o que é interessante associado e as que escrevem mal com tudo o que não é interessante associado.

Conclusão: Os cabrões só podem ser giros.


Espiral

p.s. Um kiss à L. e à A. com quem ri agora um bom bocado =)

quarta-feira, setembro 15, 2010

Mood





Porque é bonita. Porque é triste. Porque a adoro.. Porque adoro as suas letras. Porque adoro este tributo. Por tudo. Pelo que sinto. Pela saudade. Pelo desejo. Pela tristeza. Pela esperança.


Espiral

terça-feira, setembro 14, 2010

Talvez...

"...podemos mendigar amor, comprá-lo, recebê-lo de oferta, encontrá-lo na rua, mas nunca roubá-lo."

Hesse, Hermann, Siddhartha

Espiral

segunda-feira, setembro 13, 2010

Aos traumatizados/divididos/etc da vida...



É isto. Se for preciso copiem a letra para um caderninho, sim? É preciso explicar tudo, bolas...


Espiral

domingo, setembro 12, 2010

"Nem Deus tem o dom de escolher..."



Porque já a ouvi em momentos em que precisava de carregar no batom, e em momentos em que sorri demais. Agora? Nem sei bem....

Espiral

Inception

A., lembras-te do que me disseste acerca deste filme? Tinhas toda a razão.


Espiral

p.s. Se conhecer alguém que tenha dito "Não percebi nada do filme, era muito complexo." vou começar a duvidar da sua inteligência.

sábado, setembro 11, 2010

Limpezas de sábado

Há dias

... em que o copo não só não está meio cheio, como não sabemos bem que quantidade de água resta no copo.

... em que apetece pegar em tudo o que são momentos, velas, postais, recordações, presentes e enfiar tudo em caixas.

... há dias que só apetece ficar deitada...

... em que como não dá para ficar deitada arruma-se tudo, casa, quarto, corpo, apenas porque não conseguimos arrumar o que está cá "dentro".


Espiral

quinta-feira, setembro 09, 2010

Mau feitio pois

Irrita-me psicólogos com "voz de psicólogo". Irrita-me a entoação "somos-todos-humanos-e-com-fraquezas-e-forças-e-vamos-lá-dar-as-mãos".

Por isso irrita-me ouvir o Eduardo de Sá e o outro parvo que agora não me lembro o nome, há espera, é o Júlio Machado Vaz, mas que para justificar cada palermice que diz na rádio manda a boca do "isto não sou eu que digo, é tudo científico", quando tudo o que ele diz não tem ponta de racionalidade nenhum quanto mais de ciência.

E lamento se tem um currículo fantástico, e se calhar até são bons no seu dia-a-dia. Mas deviam ter mais cuidado com o que dizem na rádio. Não falam para especialistas.

Espiral

quarta-feira, setembro 08, 2010

Às vezes

Sinto que isto dos blogs é exactamente como no liceu.

Há a vertente pop, as que falam de marca,s são in, na moda, têm o gajo x e obviamente tem a betalhada (ou leia-se antes carneirada) toda atrás a dizer que eles são fenomenais.

Depois há o grupo dos que se acham "diferentes" e acima dos "pop". Porque tem piadas mais inteligentes, ou falam de assuntos mais intelectuais, ou criticam de modo mais mordaz, ou fazem coisas mais artísticas. Mas são um grupo à mesma com a sua popularidade própria (e claro carneirada associada).

Depois há os que são realmente diferentes e melhores. E nem falam muito disso, nem precisam de comentar os dos outros. Podem ser sociais e até se dão com todos, mas estão ali à margem sendo eles próprios.


Deve ser o grupo que mais admiro.

A maioria dos meus blogs favoritos são deste grupo.
Depois tenho três ou dois do segundo grupo, mas sabendo com o que conto, e acho que só para aí um do primeiro.... assim como no liceu, aqui há pessoas que valem a pena em todos os grupos, mas obviamente com percentagens bem diferentes.

O meu blog? Oh, é como eu era no liceu. Outsider. E não muito popular lol. Somos aquilo que somos. Na internet ou fora. E aqui também é como lá fora. Há sempre com quem contar. =)

Espiral




Então é assim

Conhecem o verbo mascar? Devia de haver o verbo desmascar.

Assim, imaginem uma pastilha toda mastigada, com saliva e bactérias de uma boca, mas a seguir, desmascando, ela volta, pouco a pouco a ficar inteira, lisinha, com o doce todo do principio.

E o bónus é que se pode ser saboreada por outra pessoa, no original.


Pois, devia ser possível....


Espiral

Sofrer por antecipação...




Espiral

terça-feira, setembro 07, 2010

Não foram precisos nem 2 minutos...

Já me passou. Fiquemos apenas pela primeira parte da frase.

Espiral

Ao conversar com uma amiga num chat...

percebi que estou numa fase "Os homens são uma merda mas desportivismo é preciso."


Não gostei..... Sou revoltada por personalidade e eles não precisam de paninhos quentes.

Espiral

Também quero que seja esta a minha receita

Aqui!



Espiral

Livros....

Será que hoje tenho correio? =)


Espiral

segunda-feira, setembro 06, 2010

Associações...

Estão a ver aquela música dos Xutos "Para sempre"? É poderosa, é forte, lamechas,"ah e tal momentos", "ah e tal dramas da vida".

Concordo e sinto isto tudo.

Por isso é um bocado parvo que a minha principal associação a esta música seja eu a vomitar tudo o que tenho no estômago na queima de Coimbra 2009 porque tive a bela ideia de estar mais de doze horas sem comer e depois enfardar pizza como se não houvesse amanhã (e não tinha bebido uma gota de álcool para as mentes mais desconfiadas).

Aí, aí associações...

Espiral

sexta-feira, setembro 03, 2010

Vipes III

Odeio os momentos em que, sem aviso e sem minha expressa autorização, há músicas que me pegam de surpresa e me atingem com dores antigas, novas ou daquelas que já não me lembrava que existiam.

As lágrimas saltam-me invisíveis dos olhos, o meu peito mirra e dilata mais rápido, imagens desordenadas e epilépticas violam-me a mente e emoções dão murros no meu coração.

O medo está sempre aqui. Eu sei... Felizmente que um pouquinho de coragem também....

Espiral


E é por isso que na barra ao lado só estão os verdadeiramente interessantes

E ela explica muito melhor que eu aqui.


Espiral

quinta-feira, setembro 02, 2010

Há rádios e rádios

A C- costuma dizer-me que os pais que vivem numa vila alentejana (naquelas onde o Judas comprou as botas) para lá do sol posto já ganharam muitos prémios com a rádio lá do sítio. Vales para mobiliário, jantares no restaurante x....

O L. também diz que na rádio lá da terra dele (lá para os lados de Alcobaça, naquelas sítios onde o Judas perdeu as botas) também há passatempos e ganha-se bilhetes e cds e que já ganhou algumas vezes....

Eu ouço isto e fico indignada. Como é, senhores das rádios aqui da minha zona?? Só servem para passar música pimba e para as senhoras-amigas-vizinhas-das-vossas-mães telefonarem a dizer que querem mandar beijinhos e que adoram o vosso "programa"?

Eu sei que provavelmente um jantarzinho no D. Nuno já era "ehhh lá" para vocês, mas nem um bitoquezinho no "Bichezas"???? Nem uma bifana com "molho especial" no "Carioca da Gema"???? Como é? ??? Sinto-me injustiçada.


Pronto, já desabafei.

Espiral


Ao menos é mais literário

Duas pessoas. São almas gémeas mas não sei se sabem. Conhecem-se quando ainda são jovens e belos e ainda pensam que aguentam todas as dores do mundo. Quando ainda não conhecem um milésimo das dores do mundo. Amam-se, choram-se, acarinham-se, ofendem-se, matam-se um pouco. Fazem algumas cicatrizes. Muitas. Magoaram-se. Demasiado. Talvez não se mereçam. Talvez não mereçam. Talvez já não sejam almas gémeas. Mas têm fé.


ou

Duas pessoas. São almas gémeas. Elas sabem. Mas não são jovens (em corpo e/ou espírito e/ou coração). Já sentiram muitas das dores do mundo. Duvidam que aguentem mais (apesar de aguentarem). Andaram sempre desencontrados mesmo quando as suas vidas se cruzaram. Ele na vida dele. Ela na dela. Também já magoaram e já foram magoados. Choraram e fizeram chorar. São almas gémeas. Mas não sabem se ainda merecem. E se é possível passar por tudo aquilo que uma vida escreve no corpo e na alma da gente. A fé é para os caloiros.


A maioria das pessoas prefere a primeira história. Romeu e Julieta ou afins. Não está bonitinha porque obviamente já estão lá os meus juízos de valor. Mas se estivesse a maioria preferiria. É mais bonita. Mais redentora. Mais propicia à felicidade.

Eu prefiro a segunda. Mas está arranjada e bonitinha. Não simpatizem assim tanto com eles porque eu os coloquei bonitos. Não são bonitos. E fizeram tanta ou mais merda que os primeiros. Simplesmente são diferentes.


E pronto, era só isto que tinha para escrever.

Espiral