Quickribbon Espiral: Junho 2014

segunda-feira, junho 16, 2014

Aprender a ser grata II

É difícil para mim ser grata quando tinha expectativas diferentes e outros sonhos.
Quando sabemos que sabemos mais, que seriamos mais felizes a concretizar outras funções.

Mas, realmente, acho que é esta a aprendizagem maior que tenho que fazer.

A ser grata. E a perceber (mesmo) que não é só aquilo que eu faço em termos profissionais que me define.

A partir de quarta volto a trabalhar (sem ser part times ou freelancer, que não ando parada e tenho-o feito enquanto tenho estado desempregada).

Não é na minha área. O ordenado é o que é (e se fizer contas ao que gasto em transportes, deprimo). Mas, volto a entrar numa rotina.

E parecendo uma daquelas cenas fajutas de auto ajuda, não vou deixar de tentar, e de procurar.

Agora estou só a tentar aprender a ser grata (e a parar de chorar a um canto, que a auto vitimização mesmo justificada é estúpida como o raio e opá, eu sou muito mais que isto.)


sexta-feira, junho 13, 2014

Aprender a ser grata.

"Nunca te esqueças do mundo, Zé Luís." 

(José Luís Peixoto, Abraço)

Se eu acreditasse em karmas, acreditaba que esta é a grande lição que tenho que aprender nesta vida. 

Lição difícil. 

segunda-feira, junho 09, 2014

Não sei como se define o amor

Mas sem dúvida que não existe sem confiança e sem transparência.

Do pouco que levo desta vida, levo esta certeza.


quinta-feira, junho 05, 2014

Breves

- Rock in Rio. Só vou mesmo pelos concertos. De resto apesar de adorar tralhar acho aquilo uma barafunda. QOTSA foram brutais.

- Participei no Correr por mais da Rexona. Acho que foi de longe a iniciativa de solidariedade social que mais mexeu comigo desde sempre. Talvez por ser concreta. Por ser transparente. Por ter um objectivo diferente, mas essencial e crucial. Porque não se limita à ideia de "caridade "  (apesar, de eu, ao contrário de muita gente. não ter nada contra esta palavra). Foram apenas 8kms. Corridos devagar. Mas adorei dá-los

- Sintra é o sítio onde sou sempre feliz. Com uma das melhores companhias que poderia ter, a A. estive em Monserrate again e na Pena pela primeira vez. Como disse uma amiga minha há muitos anos, éramos nós tennagers "Espiral, vai a Sintra, tem tudo a ver contigo."

- Já posso morrer feliz. Não escrevi um livro(ter vários começados e contos escritos não conta) nem tive um filho (ou vários)  mas já ajudei uma grande amiga no Quem quer ser milionário. E sim, vale a pena. =)

- É uma estupidez, uma estupidez ter tanta consciência de mim quando estás perto.  Mas "o tempo transforma tudo em tempo".

quarta-feira, junho 04, 2014

Eu leio de tudo. E em tudo se encontram as nossas verdades.

"- Ele ama-me? (...)
- A sua pergunta está errada. O que tem de saber é se está em condições de dar o amor que ele precisa. E o que vier, ou não vier, será na mesma gratificante. Saber-se capaz de amar já é suficiente."

(A bruxa de Portobello, Paulo Coelho)