Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2011

Resumo antes do Ano Novo

Até tenho medo. Porque mal eu acho que não acontece mais nada, acontece.

Foi um mês de Dezembro que valeu pelo ano todo. Tudo aconteceu. E eu sem tempo para nada. Com rombos emocionais e profissionais. Com dramas a acontecerem e mesmo assim o mundo avança e havia/há aniversários e jantares de Natal para ir e solicitações para responder.

E esta semana vai continua a ser a montanha russa.

Aqui estou eu neste fim de 2011. Com o coração amachucado.Com o cérebro frito. Mas com decisões tomadas.

Que venha 2012.

Simples, assim...

BTW, é Natal =)

Acabo de saber que posso contribuir para que uma pessoa amiga possa ter a oportunidade de tirar a carta de condução.

Sinceramente, é até agora, a melhor prenda de Natal que poderia dar a alguém. E já me aqueceu o coração por hoje.

"Podia amar-te"

Há cerca de 5 anos e uns meses num contexto bonito, atingiu-me (e escrevi, depois de reflectir sobre isso) "Podia amar-te."

Mas tu estavas em outros voos, eu ia começar um (o meu maior de todos). E não pensei mais nisso. Ficou guardado nas caixas. Naquelas caixas que nem precisam de escadotes, porque sabes que é só uma caixa em que não se vai tocar. Porque está cada um no seu mundo e os Universos Paralelos são isso mesmo. Universos paralelos. Utopias e conversas bonitas.

Mas o mundo dá voltas. E eu já caí e magoei-me algumas vezes. E tu estavas ali, sempre algures.
E sem perceber bem como (entre risos, conversas e cumplicidades), este condicional tornou-se um presente. Deixei que acontecesse. Mas não há futuro, nem esperança. Porque há caminhos escolhidos e sentimentos não correspondidos. E isso vale tanto. Vale tudo....

Ver o copo meio cheio

Ao menos não posso dizer que não tenha parcas competentes, nem 20 minutos demoraram para me contrariar  desde o meu desabafo das 17 e 44.....~


Sou uma batedeira gigante tal é a tremedeira. Desde sábado seja por motivos pessoais ou profissionais estou no mais avançado estado de Parkinson....

...

As despedidas mais difíceis são aquelas que não queres fazer.

Especialmente se partes com bagagem tão pesada e não tens para onde seguir.

Mas segue. E não olhes para trás.

Eu gosto de livros...

E há capas que me fazem comprar livros. Fútil? Talvez. Mas trás quase sempre bons livros agarrados.

É como bons títulos. Pelo-me por bons títulos. Um bom título quase que salva um livro sofrível.

E há dois títulos que são fantásticos.

"E dizer-te uma estupidez qualquer como por exemplo amo-te." - livro juvenil da colecção Minoria Absoluta (muito boa colecção Juvenil, melhor que esta só uma da Caminho que não me lembro o nome mas que os livros eram sempre brancos com uma ilustração a meio da capa.)

Este título é o meu título favorito de todos os tempos. E apesar de o livro ser um romance adolescente banal pah, o título é lindo.

Outro título é o:

"Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?" do aclamado António Lobo Antunes. Infelizmente ainda não li porque leio António Lobo Antunes por ordem cronológica. Mas só o título dá-me ganas de ir compra-lo.

Em contraste, não gosto de ler resumos de livros. Tira-me toda a surpresa que poderá daí advir. Gosto da expectativ…

Natal

Todos os anos penso "é desta que vou reduzir a minha lista de pessoas que é um abuso, sou doida dos cornos é o que é".

Mas não. E a lista aumenta. Uma ou duas pessoas. Talvez 5 pessoas.... Claro que não dou prendas grandiosas a ninguém. Mas gosto de dar um bocadinho de mim às minhas pessoas. E se não a todas pelo menos às principais. As que estão aqui desde sempre. Às que estão aqui há 10  anos. Às que foram importantes no último ano.

E por isso dou lembranças. Porque não quero ganhar nenhum prémio do melhor presente. Apenas porque quero dar um bocadinho de mim.

E porque sou uma criança a escolher prendas para as pessoas que gosto e quando sei que vão gostar =D

p.s. Até ao momento, 32 pessoas... (e acho que me faltam duas...)

Tom Cruise =D

Não quero saber se está feio, ultrapassado, velho, se é mau actor, blá blá blá...

Gosto dele. É o  "Jerry Maguire" =)

Por isso lá vou eu ao cinema ver este filme =D (apesar de parecer igual aos outros todos, eu gosto dele mas não sou cega)

E se hoje não houvesse medo?

Declarava-me com as palavras mais lamechas.. Ia dar uma volta ao mundo. Construía a minha casa de sonho. Fazia um ano sabático. Mostrava tudo aquilo que escrevo. Falava outras línguas. Dizia "Tenho medo de...". Metia conversa com as pessoas na rua. Dizia "Não interessa o que pensam, vou amar-te sempre." Soltava-me. Olhava nos olhos. Comprava uma mota. Pintava. Dedicava-me a crianças pobres. Mostrava-me com todos os parênteses. Gastava o dinheiro todo. Concretizava 2 projectos. Dava tudo de mim em todas as áreas. Era mais generosa com desconhecidos. Mostrava mais vezes as pernas. Fazia todos os desportos radicais. Usava óculos. Tirava outro curso. Cortava o cabelo muito curto. Fazia mais tattoos. Procurava um bom cirurgião. Tocava mais na pele dos outros. Vivia em África, na Argentina, no Japão e na  Índia. Acreditava mais em mim. Dizia "Quero ter filhos contigo."

daqui

Continuo a não perceber

As pessoas que escolhem a "pedra basilar da casa" ou o "perfume dos dias" em desprimor do "grande amor da vida que nos faz descobrir quem somos" apenas porque "temos de continuar com as nossas vidas".


Ou antes, percebo. Mas nunca será a minha escolha.


(Reflexão descaradamente usurpada tendo em conta as palavras de Jung no filme Um método perigoso")

Eu juro

Que gostava de ser daquelas pessoas muito zen, muito descontraídas, muito "isto-é-só-mais-uma-experiência-.de-vida-e-olha-eu-a-transformar-me-num-ser-mais-completo-que-é-para-isto-que-a-vida-serve".

Mas não pah. Eu sou intensa. Eu, como diria a A. só quero "o puto a correr pela relva".

Por isso hoje até tenho muito orgulho de mim, porque cresci  um bocadinho e ultrapassei uns traumas e beca beca, mas dê-me dois segundos para pensar um bocadinho, ou uma noite mais mal dormida, um poema parvo lido ou uma cançãozita que me toca que volta tudo.

A sorte é que a vida é para a frente e o mundo está a borrifar-se para mim.

E parecendo que não, cresci uns centímetros hoje.

Parcas

Este foi um golpe baixo.

Daqueles que nos apanham o fundo das costas e sobem impedindo-nos de respirar.

(Por amor de Deus eu só quero apanhar os restos do meu coração com a dignidade intacta.)

Pode ser meninas?

...

Tarde demais.

Porque sim.

Estou cansada de dias fracos.

Não gosto de amores platónicos porque

1º Ponto
"Love is suicide." (Lud, 2011) (aka uma mui querida amiga que diz as coisas certas lol, mas afinal a frase é dos Smashing Pumpkins, lol)

2º Ponto
Não há pele. Que é do sexo? Ao menos quando se acabam namoros houve ali qualquer coisa realmente prática.

3º Ponto
Como diria o outro dia, a poesia é muito bonita mas não me aquece os pés à noite.

4º Ponto
Não é credibilizante, quase quase que nem é considerado amor a sério. Porque se não se vive não é. Tem que haver feedback.

5º Ponto
Porque assim não sinto que tenho parte de alguém. Ou que tive. Ou que foi real.

6º Ponto
É frustrante. Gasta demasiada energia. Da positiva e da boa. Que podia ser usada para tantas outras coisas.

Assim de repente são só 6 pontos. Mas só um deles chegava.

Be Happy nos entretantos

Sempre fui de certezas. Sei o que quero. Nem que seja que quero 5 caminhos, 5 escolhas, 5 possibilidades. Mas no fim sei sempre o que escolheria. Com os saltos de fé. Com todos os precipícios. Com todas as escolhas difíceis. Com toda a dor que isso pode trazer. Porque há escolhas sem escolha. Porque sim. Porque o que se sente é o que se sente.

Há coisas complicadas sim. Quando tudo é um vazio. Quanto não se vê possibilidades. Quando remete para coisas muito racionais em que não se sabe bem ponderar qual a melhor escolha. Porque tudo tem vantagens e desvantagens. Porque nem sempre uma análise SWOT mostra tudo.

Agora quando mete sentimentos, emoções, pessoas, sentidos, amigos, família. Sei. Não digo que segui sempre as escolhas certas. Que não errei. Que não devia ter seguido outro caminho. Mas senti. E sabia o que queria. Sem falsos racionalismos. Sem tapar o sol com a peneira. Sem "ses" que não dão em nada. Sem ilusões naquilo que não volta (independentemente da imensa esper…

Das pessoas bonitas

Obrigada Sr. que pelos vistos é inspector (da judiciária suponho), com uns belíssimos olhos verdes e com mais cabeça do que o tronco muito tonificado e já a atirar para o muito musculado faria prever (como és bem giro, não ligo a isso vá). Obrigada por teres sido simpático e responderes às perguntas (apesar da visível pressa). Obrigada pelo sorriso fofo e pelo "oh vai ficar aí a tarde toda? Boa sorte!". Obrigada por me mostrares só porque sim que há homens giros e simpáticos.

Por isso, caso passes por aqui, eu sou a rapariga que te entrevistou na segunda feira algures pelas 4 da tarde na baixa de Lisboa. Aquela que a quem disseste o nome apesar de só precisar da idade e da profissão (coisas anónimas e confidenciais tem as suas desvantagens..). E só porque fiquei a babar, e porque ainda há homens interessantes, obrigada mesmo.

Porque às vezes basta mesmo só isto para aquecer um bocadinho aqui dentro.

"O amor é isto e nada mais"

""Foram os outros os primeiros a aperceberem-se daquilo que Alice e Mattia viriam a perceber somente muitos anos mais tarde. Entraram na sala de mão dada. Não sorriam e os seus olhares seguiam trajectórias divergentes, mas era como se os seus corpos fluíssem com continuidade um no outro, através dos braços e dos dedos em contacto."


(A Solidão dos Números Primos, Paolo Giordano)

"Honra tanto esmero..."

Esta carta é para ti, meu amor. É tão engraçado ser só contigo que imagino risos por entre chuvas e luzes difusas. Mesmo que já tenha vivido isso com outras pessoas. Mesmo que haja pessoas com quem isso não se vive, simples.  Se calhar porque sei que ao pé de ti posso tropeçar, dizer o que não devia, entusiasmar-me com o infinito. É em ti que penso quando vejo algo que me marca, quando penso em perder-me em ruas, em descobrir recantos, livros interessantes, bares exóticos ou lojas de antiguidades (mesmo não sabendo se gostas, ou desconfiando que não é a tua cena.). É em ti, meu amor, que penso, quando penso em sorrisos, em futuros, em presentes, em possibilidades (mas não pensamos sempre?).    
Esta carta é para ti, meu amor. meu amor que vai, que nunca foi. Deixei-o viver por momentos, imaginário, fantástico, completo. Mas ele não existe, meu amor. 



Há um medo maior..

É o de despojar-me de tudo. Da esperança, da fé, dos sonhos, dos sentimentos, das emoções, daquilo que acredito que é bom nas pessoas e tornar-me diferente do que sou. No fundo, tenho medo de me tornar cínica. Porque sei que isso seria tornar-me vazia.

Como se equilibra? Como despojamo-nos do que nos faz mal, e mais tristes, e mais melancólicos, e também mais doces, sem perdermos quem somos?

AH AH AH

Isto sou eu a arrumar os últimos caixotes

(Lá mesmo no alto e a esconder o escadote.)

Esquece as gafes. Esquece os elefantes.Esquece os pedidos de casamento a brincar. Esquece os vestidos memorizados passados anos. Esquece o brilho nos olhos. Os livros iguais que são favoritos. As idades em que se leram. Esquece as redes e as músicas pirosas, ah e os violinos. Esquece as paisagens, esquece as vistas. Esquece as horas. Esquece o riso. Esquece os sonhos. Esquece os sentidos e as respirações. Esquece os beijos doces. Esquece os momentos e as canções. Esquece o teasing. Esquece Buenos Aires. E os cavalos. E as guitarras. E os versos que se gostam. E as redes sem rede. E o Jorge Palma ( e todos os outros.... ). E as belinhas. E os trolls. Esquece uma voz que cantou Portugal. Esquece as cócegas.....Esquece tudo aquilo que o Universo conspirou para ti mas não te deu.

Ou arruma-os , alinhados e organizadinhos. Asséptico e clínicos. Retira-lhe toda a importância.

Falando na Disney =)

Eu sou a junção de três delas (que são as minhas favoritas pois):

A Bela de a Bela e o Mostro: é do signo Touro, porque tem cabelo castanho (elas eram quase todas louras) gostava de livros e queria "tudo" =)

A Meg do Hércules pelo sentido de humor negro, pelo medo que tem de se magoar, pela personalidade.

A Mulan do Mulan porque não se enquadra. Tem mais sorte que eu que nem jeito com a espada tenho =P

"Hei-de te amar ou então hei-de chorar por ti"

São factos da vida. E então? Qual é o drama? =)

Exacto.

Assim como o amor

Uma tatuagem completa-te. É aquilo que tu és com um bocadinho mais. Mais de ti. Mais de algo que te acrescenta. Não eras a mesma sem ela, mas só te apercebes disso quando a tens.

E não, quando é a certa nunca te fartarás...É tua, na tua pele, para sempre....

Faz de conta que não tenho nada para dizer...

=)

Continuo sem perceber muito bem porque que tenho amigas que acham que faz toda a lógica imaginarem o meu casamento, onde uma delas dança com um homem mais velho, baixinho e careca e bebe martinis e a outra encontra o homem da vida dela, enquanto eu de repente me farto do vestido e visto outra coisa qualquer e chamo o noivo/marido por qualquer razão que não percebi.

Mas acho graça.

Marcando na pele quem sou.

Eu esqueci-me um bocadinho de mim. Mas hoje encontrei-me novamente. Renascer das cinzas. Ou das meias cinzas. Porque eu sou eu. Esqueci-me que é preciso dor e coragem para determinadas mudanças. Mesmo que tu não mudes. Mesmo que te arrependas. Mesmo que não te arrependas e aguentes as consequências negativas do que fazes. Isso tem pouco a ver com arrependimentos. Porque o que não nos mata torna-nos mais fortes. Mesmo. Felizmente não me tem tornado mais dura. Adoro isso em mim. 



Isto tudo para dizer que que fiz uma tatuagem linda linda que é uma nova versão (maior, mais bonita) daquela que tapa =D. Com o mesmo significado. Com a mesma paixão. Com muito mais entrega.

Apetece-me dar beijinhos ao meu tatuador que é fantástico ^^ e com quem já percebi que teria horas de conversa fantásticas. De filmes de música, de teorias da vida =)

Adequado

Eu =)

E também dou gargalhadas se corro para o comboio e o perco.

(Mas nem sei se conta, eu sorrio e rio muitas vezes sozinha se penso em coisas com graça.)

"Without hope or agenda..."

Mas há alguém que não se identifique com isto?...(pelo menos uma vez na vida?)

Briefing Espiral

Equipa: As Parcas
Data: 8 Novembro 2011
Cliente: Espiral

Razões:

A parva da Espiral faz o drama de coisas que não interessa. Os desgostos são peanuts. Perder pessoas é peanuts.

Objectivo:

Descentra-la dos problemas emocionais.

Target

Consumidor primário: Sexo feminino, 26 anos, activa, muito emocional e parvinha

Consumidor secundário: Abrangente. Todas as pessoas a fazer dramas da vida.


Mensagem

Mostrar-lhe de "modo gentil" que há coisas piores.

Insight


"O importante é ter saudinha"

Trabalho Criativo a desenvolver

- Acção de roubo de pára brisas do carro de Espiral num dia em que chove muito; experiência fantástica de conduzir na auto estrada sem conseguir ver um cu à frente no meio da tempestade; camiões a aparecer na mesma faixa devido a acção policial no campo;

***

Análise dos resultados


- Uma Espiral cheia de stress, com má cara, a pensar que nunca tinha tido tanto medo na vida e sem poder parar sequer o carro; Espiral que se baseou na premissa "se for sempre na min…

Viragem

Adoro chegar antes da hora ao meu trabalho (isto de trazer carro porque tá greve é uma seca...). Ainda não chegou ninguém, ligo o pc com calma, vejo emails, bebo o café descontraidamente. É a minha pausa zen do dia.

Ainda bem que aqui ninguém chega a horas para eu aproveitar o meu momento de calma.

Mas eu sou eu e quase derrubo uma chávena de café, tropeço num móvel e tenho um olho a arder de tão inflamado. Vou respirar fundo e organizar um novo dia e um novo começo.

Bom dia de greve. mundo*

Porra

Então é assim, tu, Ó-Futuro-Homem-Da-Minha-Vida,

Eu não sei nada desta vida, não percebo um caralhinho de emoções ou de sentimentos, dessas cenas bonitas, não percebo nadinha de compromissos, de cedências, de construir uma vida a dois, a três, de contas para pagar, de stresses do dia a dia, etc etc

Mas, pah, independentemente do que dure (eu acredito em eternidades mas o mundo não) juro-te que farei sempre por valer a pena, porque tu valerás a pena.

E que me vou lembrar sempre que serás e és a primeira prioridade da minha vida.

É tudo o que te posso prometer. Com o coração cheio e de peito aberto.

Sinceramente,

A-Futura-Mulher-Da-Tua-Vida

Terceira e última

Tu não sabes, não fazes ideia, mas as tuas músicas, as que me mostraste, são as únicas que ficaram. (E espalho-as. Espalho-as porque os nossos momentos são para mim preciosos.) 
Tu não sabes, não fazes ideia o que tenho que me conter para não me perder irremediavelmente. Para fingir que não sinto o toque, que não correspondo ao beijo, que não te quero a ti. 
É por isso que não te olho nos olhos, que não espelho em palavras as verdades que formulo aqui. 
Porque tu não sabes nem fazes ideia. O que me emociona ter-te ao lado e sentirmos-nos cúmplices. Porque lês as minhas entrelinhas e eu mostro-te todos os parênteses.
Mas tu não és meu e eu não sou tua.




Isto não é uma carta de amor. Porque não sinto amor por ti. Mas podia ser.


Mas...

Depois da alma a nu e da leveza vem a ressaca....

A vida continua e não se compadece com altruísmo e com a nobreza de espírito (nem com as fugas a suicídios emocionais).

E apanha-te sempre no teu lado mais fraco.




E cá estou eu desde 1985

A expor a minha alma a nu.
A cair com a intensidade e blá blá blá com os medos todos dos tais dos andares....

Eu nem sei ser de outra maneira e no fundo no fundo é um alívio imenso ser assim (perdidos por 100 perdidos por mil...)


Do que enche o coração

O que me faz ficar 5 horas a tentar vender porquinhos mealheiros (bem giros por sinal) e a embrulhar presentes de natal num hiper da nossa praça? Especialmente tendo em conta que odeio vender e tenho pouco jeito para embrulhos? E que tinha 4 horas de sonho mais duas horas matinais de ginásio em cima do lombo?

A generosidade enorme das pessoas. Ainda me espanta. Ainda me encanta. Hoje, depois de mais umas horas de voluntariado saí de lá com o coração cheio. E quase que consigo perceber o deixar tudo e ir apenas fazer bem.

Resiliente

Sim. Mas hoje não é esse dia.

"A qualquer distância o outro te alcança..."

Queria tanto ir ouvi-los hoje.....

E esta música cai que nem gingas.......




Sorri

Está sol. =)
A minha pessoa favorita é a minha avó.  =) (Toda a gente devia ter uma pessoa favorita.)
Tenho pessoas que se lembram de mim. =)
O meu cabelo não está mau. =)
Ouço músicas bonitas.=)
Trabalho com pessoas interessantes. =)
Gosto do cheiro fresco da manhã. =)
Adoro as minhas pessoas e felizmente (oh sim felizmente) odeio perde-las. (Não entendo o conceito de "fartar das pessoas que se amam", nunca entenderei) =)

Segunda (draft) tentativa

Nunca ninguém me leu como tu lês. Descobres facilmente as tonalidades que tento esconder por entre o preto ou o branco. Ou o vermelho. Percebes quando coro, sem me ver. Quando estou irritada, quando sou mais intensa. Quando me calo querendo falar. Quando sorrio querendo rir.

(pausa longa para as horas que passam...)

Nunca ninguém percebeu tão bem quando estou verdadeiramente triste. Por menos que tenhamos falado. Por horas que tenham passado. E que se lembre disso. E que me lembre a mim que estás aí. Diz-me, que pressentiste?

Isto não é uma carta de amor. Porque não sinto amor por ti. Mas podia ser.


E agora??

Quem ou o que é que eu culpo de andar romântica e lamechas????

(A ovular não estou, também ainda não é tempo para tpm, aí....)

É que ando a ouvir isto novamente e é mesmo tão bonito =)

Primeira tentativa

Vou ser crua. Porque é cansativo ver sempre ombros onde nascem estrelas e olhos que brilham sem a porra de um final feliz. É só isso. Cansativo. Esperar pela porra de um final que não chega. Os sonhos bonitos são apenas sonhos bonitos. E a minha definição de cumplicidade é tão mais imensa que a tua. Tão mais completa. Porque tem todos os sorrisos que imaginas. E todas as minhas entregas.  E sem isso é demasiado pouco para eu suportar.


 (Isto não é uma carta de amor. Porque não sinto amor por ti. Mas podia ser.)

Na linha do mau feitio

Achar que quando há mudanças é sempre para melhor é tão falacioso como achar que é melhor não mudar com medo de ficar pior.

Portanto deixem-me sossegada. Cada um com as suas falácias ok?

(Até porque toda a gente muda quanto tem que mudar e mantém-se quieto quando tem que ficar. Por isso larguem-me a braguilha.Chamam-se adaptação!!!!!!)

As pessoas são tão cegas e tacanhas

Que não percebem a subtil (mas colossal) diferença entre o contentar-se com o que se tem e o ser feliz com o que se tem. É que é uma diferença do tamanho do oceano.


Porra, alguém que ensine o mundo a sentir para lutarem quando devem lutar e o desistir quando devem desistir. E a perceberem o que querem, irra.

Há qualquer coisa de calmante

Em saber que apesar de Deus (ou as parcas, ou o destino, ou o acaso... - pessoas não espirituais ou sem fé, ou ateus, ou agnósticos, não se abespinhem) andar a trabalhar um bocado contra mim e os meus propósitos,  não estende isso às pessoas que amo.

Obrigada.

(vou ali vomitar o estoicismo todo, já volto.)

Eu estava enganada

Os saltos de fé não tem nada a ver com saltar no vazio rezando e crendo que vai tudo correr bem.

Tão pouco tem a ver com o acreditar que o que tem que ser acontece.

Os saltos de fé têm a ver com saltar sabendo que provavelmente vai tudo correr mal.


Ainda me estou a habituar à mudança de paradigma. Ainda me estou habituar ao facto de que se calhar nunca dei um salto de fé.


Ou então não. E continuo a achar que a esperança é uma cena saudável. Adoro ser o meu próprio advogado do diabo. 

"E se"

Uma das frases mais marcantes da peça "O jogo dos mitos cansados" (adaptado da peça "O destino morreu de repente" de Alves Redol) é dita pela vigilante Vermelha.

"E se assassinassem um poeta? Sim, se assassinassem um poeta? Talvez assim o mundo compreendesse então."
Adoro a retórica. Adoro o abanar de sentidos. Ou de sentimentos. Mais que o apelo revolucionário. 
Tem todos os meus "ses" condensados. Isto se eu desse algum valor a "ses".




Cenas

Às vezes gostava. De querer a "felicidade  pronto-a-vestir" (metáfora, cortesia da M.). A do momento. Que se lixe tudo. Que se lixe consequências, perdas colaterais ou vidros partidos. Que se lixe o que realmente se quer. Mais vale ter pouco que nada não é?

***

Quando encosto a cabeça aos meus joelhos encolhidos é porque quebrei.
Às vezes brincamos demasiado com que o que nos faz sofrer. E basta não é?

***

Esta música. Literalmente emocional. E quando as músicas nos dão as respostas antes de nos atrever-mos a formular as perguntas?

A fatalidade

De andar a dormir 3/4 horas por noite há 3 dias é não ter sequer paciência/capacidade/tempo de reacção para mudar a estação de rádio que está a tocar música do Tony Carreira quando conduzo meio zombie.

Eu

Nunca serei um rato a fugir do navio.

Não sei se tem algo a ver ou não mas de hoje não passa: vou comprar o Ratos e Homens.

It's not a big deal...

Repete ela baixando os olhos. Sorri, sorriso aberto, alegre, mentiroso. Não é relevante. Os olhos que vagueiam sem fixar nada mostram que It's not a big deal. Quase parece verdade. Voz forte, viva, implacável. O que escondes? Porque vestes essa armadura? Não há nenhuma luta a travar. It's not a big deal. Repetes como um mantra que te convencerá. Quase quase me convenço. Dura. Fria. Mas quando ela não olha eu olho. E vejo os olhos que se fecham com força, as mãos tensas que agarram a mesa e a respiração que quase se sufoca até sair num suspiro. It's not a bid deal. Vês que olho para ti. Sorris e dizes uma piada idiota. Idiota. 

...

Podia ter este aqui no meu local de trabalho ao pé do "Keep calm and carry on"....

...

Quando o desencanto se torna real há uma parte positiva.

Sabes aquilo com que não podes contar.

Se pensares bem, é uma base melhor do que muitas para seguir em frente.

Já escrevi isto, mas reafirmo

Não interessa a intensidade com que te dás, o salto de fé que superas, as mãos que agarram cabelos como se já fossem familiares, o corpo que colas como se fosse simbiose. Não interessa. É irrelevante os castelos que constróis no ar, os pré-sentimentos que carregas, a esperança que te permites a depositar num simples beijo.

(Não sei bem o que interessa então.)

Prepara-te apenas para perderes mais um pouco do que pensavas que já não tinhas. 


Mood

"Odeio ver  as pessoas a passarem por ti assim."

De facto. Eu também odeio.

No fundo

Eu não sou nem um bocadinho justa. Apenas gosto do belo. O belo na arte. O belo nos sentimentos. O belo nas relações. O belo nas pessoas. E isso torna-me um bocadinho masoquista. Porque acho bonito o que só me fazia bem achar "cruel" / "parolo" / "injusto" . Assim uma espécie de desculpa esfarrapada para coisas que não controlamos. Mas não. Pareço justa.. Porque sou incapaz de não ver o belo.

Adoro escrever às minhas parcas

A ovulação é uma cena marada.
Com a moda do TPM envolto em gramas de chocolates e neuras esquecemo-nos desta altura.

Em que a libido vai até onde nunca foi, em que os homens que nunca olhámos duas vezes nos parecem ligeiramente atraentes e aqueles que achamos graça passam a ser "possíveis" e aqueles que queríamos ter sempre perto tornam-se os homens da nossa vida.

Obrigada parcas. Por me lembrarem dos modos mais estúpidos que esta altura existe. Obrigada pelas "naturalidades", pelos "olá olá", pelos toques no ombro. Obrigada pelo dia de hoje que acaba em modo "cereja em cima do bolo". Aquela que vocês adoram. Aquele que me grita ao ouvido "segunda opção ou nem isso."

Eu não acredito em bruxas, mas...

Mesmo sendo uma pessoa espiritual  não acredito no conceito do céu e de inferno.


Mas, nunca se sabe e uma mão lava a outra, por isso ando a praticar boas acções suficientes para conseguir uns bons metros quadrados no céu (ex: sempre achei que o voluntariado dava pontos bónus) e ao mesmo tempo, que isto nunca se sabe o dia de amanhã, vou arranjando um T5 no inferno com vista para as chamas (ex: gozar com a falta da coerência das pessoas é algo que me dá um prazer enorme, que fazer).

Genial

"And knew that somehow I could find my way back"

Era tão bom se as coisas fossem como nas músicas. Um fim. Um principio. Uma resposta. Começo a ficar cansada de tanta pergunta retórica.

Pessoa,

Não há nada que atrapalhe o Amor. Nada. Esquece as desculpas sobre os contratempos, as barreiras, os traumas, os objectivos por concretizar, os planos concretizados, os planos planeados, a historia de vida, os sonhos por cumprir, os compromissos a longo prazo, os projectos. Não é desculpa para, pessoa, se amas alguém não lutares por ela. Porque o amor não espera, não têm intervalos, e se calhar, se calhar nem tem segundas oportunidades. Claro que há outras pessoas pessoa, mas e aquela? Aquela está ali naquele momento, e os momentos normalmente são lixados e lixam-se para timings, compromissos, cedências e fraquezas. É Ela. Acreditam que existem várias pessoas? Pessoas que são as vossas? Eu não acredito em número infinitos. Talvez por isso acredite em amar até que o último suspiro me deixe, até que não haja outro sentido, outra maneira, acabar só por ser preciso. Lutem pessoas. O Amor é isso. E não há nada que o atrapalhe se quisermos mesmo.

Apenas há algo que pode impedir o amor. A ou…

Mood VII

Estou demasiado chateada com a porcaria dos timings de merda para achar que "a vida é feita de encontros, desencontros, surpresas" e ver alguma poesia nisso.

E de qualquer modo sou pragmática. Só acha isso quem tá bem, orientado, apaixonado, concretizado... ou na vertente também verdadeira da coisa, quem está estagnado, acobardado e precisa de dar algum colorido à sua vida.

Bem, eu não estou nem uma coisa nem outra. e  por favor, dêem-me dois estalos se algum dia fizer esta conversa DE CHACHA para cima de alguém com ar de que a vida é "encontros e desencontros e equilíbrios perfeitos" - Melhor,dêem-me um tiro se disser isto com ar sério e sabedor a atirar para o budista.

Este está a ser o ano

Em que me fizeram os elogios mais bonitos da minha vida (Obrigada C., C, P. e agora A.).


Conhecendo bem o meu percurso emocional, acho que só  posso chamar a isto ter "Demasiadas habilitações para o cargo", qualquer que ele seja.

Sempre que vou de férias

Acabam por acontecer mil coisas ao mundo à minha volta assim de repente, e parece que tudo muda no segundo. Do que soube até agora:

- Uma amiga que se separou do namorado (homens e as suas cobardias, não comento:
- Uma amiga que arranjou namorado e está bué in love e tudo e tudo;
- Dois amigos que vão ser os melhores dos melhores nas suas profissões, um em Barcelona, outro em Londres;
- Uma amiga minha engravidou (parabéns, happy, happy)

Também tive uma má notícia relacionada com o diagnóstico de uma doença de um parente próximo. Shit happens.


Por isso, mundo, o que raio falta que aconteceu a semana passada e eu não sei? Alguém se casou? Alguém morreu? Alguém decidiu fugir para ser budista? Ou arrumador de carros? Já estou por tudo, acreditem.

Mais nada.

"Não se preocupem com a genialidade, nem se preocupem por não serem espertos. Acreditem sobretudo no trabalho árduo, na perseverança e determinação. O melhor lema é: não refiles"


(O livro perigoso para rapazes, Conn e Hal Iggulden)

Mas alguém acredita nisto?

(mas é bonitinho, ya...)

É tudo condicionamento

É, ouve músicas que te mexem com os nervos... nem tu sabes porquê.

Eu dizia que gostava de uma música de Ricky Martin? Pois, afinal são duas. Mea culpa.

(Um dia vou perceber a minha ligeira tendência para música parola.... ou então não, prefiro ficar na ignorância e continuar a achar que o meu gosto geral por música da boa colmata estas ligeiras falhas.)

P. =)

P. tu não sabes (agora sim, que estou a dizer-te) mas obrigada por me ouvires sem falsos ou verdadeiros moralismos. Por perguntares apenas com a sede de "aprender" e de questionar sem maldade.

Obrigada por me teres permitido, mesmo sem veres, que saíssem lágrimas velhas que estavam aqui guardadas (sabes há quanto tempo isso não acontecia?), por questões ridículas e patetas.

Obrigada pela tua imensa generosidade, minha amiga *

O que aprendi ontem

Quando quiser adormecer no comboio é sentar-me sempre do lado direito e encostar a cabeça à janela. Se me sento encostando a cabeça à janela do lado esquerda, para além de não dormir bem, pareço uma esquizo a cabecear....

E passando a coisas realmente importantes

Lindos.... quem é que quer saber de dores de alma ou de coração quando pode babar por estes sapatos? (pois, só babar....)

....

Há coisas que vão sempre doer. Especialmente se estiverem perto. Especialmente se estiverem sempre longe, e se, sem muito aviso chegam perto. E não, nada compensa. 
Às vezes preferia não ter os crescimentos de alma que tive e que tenho. Os arranques do crescimento são dolorosos. Algo me diz que tenho agora uma alma maior do que o que consigo suportar. E isso doí. E era tão bom poder continuar com um coração grande. E não o sentir pequeno, pequeno. O meu coração não cresce da mesma maneira que a minha alma. Ele expande-se, contrai-se e não faz isto propriamente ao mesmo ritmo das convulsões que abalam a minha alma.Tenho o secreto medo de que o meu coração tenha diminuído. É por isso que a dor parece tão grande, tão forte, e ao mesmo tempo tão cálida, tão "suportável" só porque estará sempre ali. 


Tenho o secreto medo de que esta dor tão grande, tão abstracta tão igual ao que já foi e ao que é, permaneça.. e que não haja nada que chegue e num repente, ou de mansinho, a arranque …

Parcas, fofas,

Estou a adorar as cerejas em cima do bolo (aliás já nem se vê o bolo tantas são as cerejas...).

Pasteleiras muito profissionais vossas excelências.

Mas... e há um grande mas...  lembro-me sempre desta música... e por comparação... já tive o meu pior. Lembram-se?... A relativização é uma coisa tão bonita....

Só para não dizerem que não sou optimista

Foi o meu segundo dia de tpm mais estúpido de todos os tempos. Não vou enumerar os motivos, às vezes até a mim os meus próprios stresses me cansam (raio de filme de um bom realizador, raios)

MAS

Encontrei 50 cêntimos escondidos no bolso das calças;

Enquanto houver kinder maxis o mundo não está perdido.

As conversas de mulheres da Antena 3 são giras.

Voltei a ser um baldinho de transpiração.

...
Sou uma optimista é o que é.

Falando de pessimismo e optimismo, eu sou realista

Fui chamada à atenção que a tal conversa está toda mal; afinal é isto (transcrição literal, senão batem-me =P)


P: vive a tua vida profissional cm vives a tua vida amorosa tens que querer tudo Eu ...eu nao quero viver a minah vida profissional cmo vivo a amorosa =P se nao tava desempregada


Eu nem sei bem porque escrevo estas coisas

Sempre achei irónicos os desencontros manifestados da adolescência em que "o João gosta da Rita que gosta do Manel que gosta da Joana". Pensava com alívio que isto chegando à idade adulta era tudo com menos graça mas com mais lógica e os encontros eram perfeitos e orientados e com final feliz.. 
Mas se calhar estava enganada. Simplesmente agora o pessoal finge melhor, só se entrega (mesmo em pensamento) depois de ver sinais evidentes de interesse. Agora o pessoal recalca mais e descompensa menos (pensam eles). Range mais os dentes mas sorri mais. "Porque "o João gosta da Rita que gosta do Manel que gosta da Joana" ficou um bocadinho mais complicado e agora "o João que gosta da Rita já tem um filho de outra relação, a Rita que gosta do Manel anda enrolada com o Vítor, o Manel anda demasiado absorvido a ser o maior da terra dele algures no mundo e no fundo no fundo já nem gosta assim tanto da Joana que casou com alguém que nem interessa, mas afinal até gost…

Ouvi agora pela primeira vez, e....

os condicionamentos clássicos que certas músicas me fazem transcendem-me. Fui transportada para passados esquecidos e futuros desejados. Senti cheiros, senti o clima (há coisa mais parva?), senti.

Bolas.

É isto mesmo.

É disto que toda a gente tem medo...

Confrontos

1º round: unhas da Mimi (gatinha) - 1  / collants da Espiral - 0
2º round: unhas da Mimi (gatinha) - 0 / calças de ganga da Espiral - 0
3º round:  vou de calças hoje =D

Em retroactivos, é isto.

Há pessoas lindas por aqui....

500 days of Dreamer

L. não faço ideia com quem devia ter identificado a Summer.

Mas eu sou o Tom sem tirar nem pôr (ok, sou o Tom sem aquele final bonito).

(Faço aquela cena das expectativas vs realidade todos os dias...)

Hoje no ginásio...

Espiral - Quero perder a gordura aqui (zona interior das coxas) e aqui (lombares).
Instrutora- Pois... são os sítios mais complicados se não mesmo impossíveis... sabes, é que ai não temos músculo (são conexões e tal)... nós, mulheres armazenamos gordura, é mesmo assim. É biológico.

Biológico... bebés né? Pois...

Então é assim oh Universo, oh Parcas, suas putas, eu quero saber a quem é que me queixo se não compensar ter estas gorduras localizadas!!! Bebés né??? E se por uma qualquer ironia deste Universo ingrato não me saírem putos das entranhas como é????? O que é que eu faço a toda a gordura desperdiçada? É karma? Na próxima vida já venho mais sequinha é????  Compensam dessa maneira é????? É que vocês são lixadas.... E bem, o vosso modo de trabalhar tá a ser mesmo bom para isso!!!! Estou mesmo a ver... nem um corpinho como deve ser, nem putos. Porque vocês sabem, para haver putos tem que haver o resto, que eu cá sou clássica. Não há cá dadores de esperma anónimos só porque tem que va…

Os amigos, =)

A M. acabou de me dar um abraço ao ego. Assim, literalmente. "Um abracinho no ego."
Obrigada*

Porquê? Por isto...

Resumo

1- Música, música, adoro música

2 - Passar de "odeio homens" para "não entendo nada de homens" não é uma boa evolução....

3- Mais cartas de recomendação (de terceiros) para o  meu currículo emocional. Eba, eba, olha tão feliz que eu fico com isto. Uma em Maio, uma agora, vêm retardadas mas vêm, que lindo...

4- As comédias românticas são parvas, "ah e tal tás a morrer porque a tua namorada acabou contigo, mas tudo se cura com um novo amor blá blá blá." e tudo happy happy forever...

5- Não se gostando de caracóis, bora lá sopa de peixe

6- Acabei de sacar um filme romântico que dizem que é "O" filme. Aguardemos e passem-me os lenços de papel.

7- Afinal minto. Os homens são estúpidos.

8- Duas horas de de pump e de combat depois de três meses sem fazer nada? Aconselho vivamente para quem quer sentir todos os músculos do corpo, até aqueles que não sabiam que existiam.

Música, música.

Haveria pessoas que ao verem eu postar este vídeo diriam "Como isso está...." .

 Não, não está rigorosamente nada.  O problema é esse.