quarta-feira, julho 27, 2011

Aviso aviso

Isto de ler textos intensamente belos, românticos e cheios de fé no amor e ouvir músicas poderosas, incrivelmente brutais e tão, mas tão fortes que quase que parece que o amor é uma doença, má e boa ao mesmo tempo,  devia ser proibido para quem está sozinha e sofre de romantismo acentuado e citando "em estado avançado e crónico".

E claro fé, ter esperança crónica também é lixado. 

5 comentários:

Vegan Wolf disse...

por alguma razão deixei de ver comédias românticas aos anos e comecei a alternar os romances com livros de filosofia/psicologia/ou outra qualquer coisa mais racional.

é mau não gostar da comiseração e estar sempre a senti-la, estar sempre à deriva num estado de ansiedade imbecil.

acho que a solução passa por lhe ganhar imunidade/indiferença.

e como tem dias, vai por mim, há deles em que nem te lembras...

Espiral disse...

Vegan Wolf

por acaso isso é verdade.

Dou por mim a sentir um alívio tremendo ao ler livros racionais (académicos rulla).

tu conseguiste? Ganhar imunidade/indiferença? Eu não e nem sei se quero.

Obrigada pelo comentário =)

Maria disse...

soube-me bem saber, muito obrigada!

Espiral disse...

Maria,

E repito: Gosto muito de te ler =)

obrigada*

Vegan Wolf disse...

é como te digo, tem dias.
o que acaba por ser um pau de dois bicos, porque depois, há sempre um momento em que perdes a insensibilidade e dói ainda mais pela falta de hábito.

bom mesmo é saber que passam. vão e voltam, mas passam sempre.

Like a boss

Portanto, daqui a 10 anos gostaria  estar num tal nível que faria e trataria como meus secretários particulares, o presidente português de u...