quarta-feira, setembro 21, 2011

P. =)

P. tu não sabes (agora sim, que estou a dizer-te) mas obrigada por me ouvires sem falsos ou verdadeiros moralismos. Por perguntares apenas com a sede de "aprender" e de questionar sem maldade.

Obrigada por me teres permitido, mesmo sem veres, que saíssem lágrimas velhas que estavam aqui guardadas (sabes há quanto tempo isso não acontecia?), por questões ridículas e patetas.

Obrigada pela tua imensa generosidade, minha amiga *

1 comentário:

Anónimo disse...

:)

E agora senti eu que a minha alma se expandiu com tamanha gratidão.

Obrigada tu por seres quem és e ensinares-me tanta coisa!

P. **

Do que eu cresco, fragilizo, fortifico

Cada vez mais sou menos de frases peremptórias. Cada vez sou menos de classificar tudo em polaridades. Porque me parece superficial, e mais ...