segunda-feira, maio 07, 2012

Hoje sonhei outra vez contigo.

Um reencontro. Mas não um reencontro dos filmes. Só um reencontro porque o tempo passou.
E não esperes que olhe para ti como olhava ou fale contigo como falava.Sim, acho que criarei um distanciamento e os meus olhos estarão mais baços. Não penses que é tudo efeitos do quão apaixonada ainda estou por ti. Porque já não é isso.
Apenas é tão duro tirar da alma aquilo que não quer sair dela. Tirar do coração uma intensidade que tem que sair, não porque foi morrendo, mas porque o outro não quer, não sabe, não lhe interessa, não pode. Sabendo que há escolhas e que há hipóteses.  Mas sai. É violento mas saí. Não esperes é que volte a ter a mesma identidade que tinha para ti. Não, não quero mais piadas, mais magia ou mais química. Por isso sei, que já te posso ver, olhar para ti.

E isto é um passo gigante. Um passo que não tive escolha em dar.



Sem comentários:

Do que eu cresco, fragilizo, fortifico

Cada vez mais sou menos de frases peremptórias. Cada vez sou menos de classificar tudo em polaridades. Porque me parece superficial, e mais ...