segunda-feira, maio 21, 2012

Mas...

Alguém ouviu o grito que não deste.
A lágrima que derramaste.
A pergunta que não fizeste.
Viram-te para lá do sorriso, para lá do peito erguido, das costas largas.
Para lá do tempo, da vida que aconteceu, do tudo que ficou bem (Não é?)

Um dia. Um dia estas coisas farão com que eu acredito em karma. No destino. Novamente num Deus (às vezes duvido).


Sem comentários:

Do que eu cresco, fragilizo, fortifico

Cada vez mais sou menos de frases peremptórias. Cada vez sou menos de classificar tudo em polaridades. Porque me parece superficial, e mais ...