Quickribbon Espiral: Dos extremismos e da ignorância

quinta-feira, outubro 13, 2016

Dos extremismos e da ignorância

Acordem-me quando as batatas, a farinha, os lacticínios e a proteína animal deixarem de ser venenos.

Agradecida.

p.s. sim a batata sem ser a doce (que já agora, são quase iguais nutricionalmente e caloricamente, a única diferença é que o nosso índice glicémico depois de ingerirmos batata doce desce um bocadinho mais  lentamente, e que não é por aí que ficamos mais magros ou saudáveis.

p.s.2. sim, a farinha, sabem que a percentagem de celíacos é mínima? e que a % de céliacos, intolerantes ao gluten e com sensibilidade ao gluten continuam a ser mínimos? E que a maioria das coisas sem gluten acaba por ser menos saudável porque tem mais gordura ou mais açucar?

p.s. 3 E o  veneno dos lacticinios? Sabem que as bebidas de soja/aveia etcetc não são propriamente a coisa mais saudável do mundo? imensa gordura (provei uma vez bebida de amêndoa e a minha vesícula deu três voltas). Eo cálcio onde fica? Sabem que o leite é de ondem provem a fonta mais fácil de cálcio? E sim espinafres e afins tem mais cálcio, mas o nosso corpinho capta melhor o calcío do leite das vaquinhas ( se calhar também é por isso que bebemos leite sem ser só em crianças - que falácia tão grande, como se justificasse alguma coisa "sermos o único mamífero que bebe leite em adulto bla bla bla) - e isto falado por uma pessoa (eu) que é intolerante à lactose, infelizmente. Como faço? Simples, bebo leite sem lactose. Não é o leite que é veneno, a minha querida enzima que sintetizava a lactose é que resolveu ir desaparecendo do meu corpo (algo que aconteceu e que é normal numa % reduzida de pessoas da sociedade ocidental - os indianos por exemplo não tem esta enzima)

p.s.4 Da proteína animal nem vou falar, não tenho paciência para explicar  o modo grotesto como a comunicação social emitiu o comunicado da OMS dos enchidos e da carne vermelha; Como a mensagem foi mal passada, como para percebermos o que significa risco mais elevado de cancro temos que fazer uns cálculos para o risco existente na população portuguesa  à nascença para aquele tipo de cancro (porque não são todos), depois juntar ponderações de poluição, sedentarismo, idade, blá blá whiscas saquetas, para chegarmos a um risco na nossa população com o consumo de enchidos (saliento enchidos e não carne vermelha) de + 0,07%  (mais coisas menos coisa, já fiz as contas há uns tempinhos) de risco aproximado, a juntar ao que nós portugueses temos à nascença.  0,07%.


Obrigada por aturarem este momento de mau feitio. 

Sem comentários: