Quickribbon Espiral

quarta-feira, novembro 14, 2012

Às vezes sinto-me velha e cansada. Não velha e cansada fisicamente.

Velha e cansada de todos os sentimentos e memórias que retenho em mim. Do pouco que vivi e do muito que absorvi. Das dores e das intensidades.

Às vezes gostava de nunca ter amado de verdade, de não saber o que é a paixão, a química, a sensação de almas gémeas. As verdadeiras. Não que conheça bem as falsas mas há sempre algo mais especial no que vivemos ou queremos acreditar que sim.

E o pior é isso. O ultrapassar, o voltar a tentar, o voltar a apaixonar, tem muito de desacreditar. Que afinal aquilo que pensamos ser único e inimaginável tinha muito de mentira, de artificialidade, de quimera. Porque se pensarmos que era tudo tão verdadeiro, tão único como sentimos, não seguimos em frente.

Temos que matar pelo menos alguns dos mundos que construímos para continuar.

E isso é muitas vezes insuportável. E torna-me velha e cansada.

Sem comentários: