Quickribbon Espiral: Expiação

domingo, janeiro 29, 2012

Expiação

Devia ser proibido errar neste campo. Devia ser proibido cair, sentir só porque sim, quando é proibido, e tu não sabes. Devia haver uma barreira, densa, impenetrável, invisível ou não, que te segurasse, onde batesses, onde te magoasses, mas te impedisse de seres tão deslocada, tão ridícula, tão inútil nesse sentimento que cresceu em ti como erva daninha. Toda a gente sabe que as ervas daninhas têm que ser arrancadas logo, depressa, sem compaixão. 


Por isso agora aguenta, sorri, um sorriso pálido num rosto de cera, segura o copo, bebe-o, bebe-o mais, mas sabes que terás de te segurar, porque já aprendeste. do modo mais cruel e estranho o grande mistério que são as pessoas. E que nada, mas nada são promessas E o tremor que sentes é culpa exclusivamente tua. 

3 comentários:

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Autch. Adorei, apesar de me ter dado uma picada... Beijos

Anónimo disse...

Não sei se é piroso, mas O Pequeno Príncipe tem o meu aval: "És eternamente responsável por aquilo que cativas."
Bejão
Paula

Espiral disse...

Pipoca dos saltos altos,

Obrigada. Há certas verdades que dão sempre essas picadas =/

Paulinha,

Essa é a minha frase favorita do livro. =)