quinta-feira, março 07, 2013

Estou um bocado ácida hoje

1 - Os funcionários da cp que vão todos para a p*** que os pariu. Só querem manutenção de regalias (muitas que sempre achei rídiculas) e aumentos enqaunto o resto do país está como está. AUMENTOS. e EXIGEM-NO. Como se fossem autistas a tudo a volta. Tendo em conta que já têm ordenados muito interessantes para a formação que têm. E dizem que os reformadoas precisam do passe pago para ir às consultas e para ir às manifestações? Oi??? Façam como os outros todos que os pagam e não tem as reformas que vocês têm. Agora prejudicarem todo um país de trabalhadores que não ganham o que vocês ganham, que não tem um passo pago é imoral além de profundamente egoísta. Por estes dois/ três dias de greve uma pessoa ou fica impedida de ir trabalhar ou gasta em carro (se o tem) um balurdio que não se pode dar ao luxo (gasolina, portagem e estacionamento). por isos não tenho pena. nenhuma. Zero. A vossa liberdade acaba quando começa a liberdade dos outros.

          Mas para não dizerem que sou contra a liberdade de expressão e de revolta, ora até vós dou ideias:
         - Durante um mês assumam que não cobram bilhestes às pessoas e comuniquem-no. Assim as pessoas ficam do vosso lado, prejudicam e molestam a sério quem querem prejudicar, que assim já ñao ficam com o dinheiro já daquele lado (porque a grande percentagem das pessoas compra passes atencipadadamente como bem sabem).
          - Em extremis façam a porcaria da vossa greve, não deixem passageiros entrar mas andem com os comboios de um lado para o outro. A consumir. A fazer mossa.

Mas estas coisas são chatas né???? Tinham que ir trabalha né?? Tinham que levantar o cu da cadeira né????



2 comentários:

Limited Edition disse...

Ácida ou nao, razão nao te falta. E acho que o Chico espertismo e este post ate podiam ter vindo juntos...

Espiral disse...

Obrigada!

Do que eu cresco, fragilizo, fortifico

Cada vez mais sou menos de frases peremptórias. Cada vez sou menos de classificar tudo em polaridades. Porque me parece superficial, e mais ...