Avançar para o conteúdo principal

Explicação do conceito Jerry Maguire

Não é necessariamente a personalidade. Nem a atitude. Nem o ar tresloucado e as piadas parvas. Nem o ar de criança. Não. Isso é só o que eu quero, porque é o meu estilo, estilo "trolhinha" (apesar de ter vistas largas e as minha setas também caiem noutros campos e acertarem outros alvos...).

O que nós queremos é um homem que nos queira perdidamente. Que tenha nos olhos aquele ar de quem nos vai resgatar, mesmo que não seja preciso resgatar-nos de nada. Um homem que nos faça sentir que estamos protegidas mesmo que nós pensemos que não precisamos de protecção para nada. Queremos um homem que escreve nas estrelas, no papel, que grite ao mundo (ou nos diga baixinho) que nos ama. Depende do tipo de mulher. E esse homem sabe. Se queremos estrelas papéis amarrotados ou só um olhar. Ou tudo isso. Ou nada disso. Mas que não tenha receio de fazer aquilo que achamos demasiado lamechas ou bimbo. Queremos alguém que nos ame intensamente, sem graus, sem dúvidas, sem "ses". Um homem que sinta que nós somos a mulher da vida deles. Um homem que nos olhe sempre com aquele olhar de "Uauuuu", e que nos faça sentir que "valemos a pena". Sempre. Apesar da vida, das contrariedades, dos obstáculos, das dificuldades, "do sempre que não é sempre" da falta de paixão, do amor que não chega. Porque não chega. E paixão nem sempre dura. Por isso, mais que o amor e mais que a paixão queremos um homem que esteja ali para nós e por nós e que saiba que nós também estaremos ali por ele. Porque juntos somos completos.



Isto tudo porque eu sou romântica. E não quero acreditar no "agora tudo bem, sei lá amanhã". Gosto de certezas. Gosto de pensar que ainda existem esse tipo de certezas. Gosto e sei que existe porque vejo isso em pessoas. Recuso-me a vê-lo como só espelhado nos livres e nos filmes. E se eu sei que sou capaz de um amor assim, porque não os outros?

Queremos pois, um Jerry Maguire.




Comentários

Tresloucada disse…
ultimamente não penso assim, acho que o meu deve andar perdido do outro lado do mundo, mas ainda bem que existem pessoas 'alto astral' como tu:) bjs***
Espiral disse…
Obrigada =)

Não sei se é "alto astral" mas pelo menos esperança é =)
Tresloucada disse…
Como te entendo ;)

Mensagens populares deste blogue

Eu nunca liguei muito a isto, mas...

Sou só eu que acho um bocadinho escandaloso que as marcas façam apenas 3/4 tamanhos de roupa?
Estive a ver a Zara e pelo menos nos macacões, só tem 4 tamanho - XS, S, M, L respectivamente.
Tendo em conta que eu tenho 1,68 e peso 60 kilos e que o meu tamanho é um M penso nas pessoas que tem um bocadinho mais de peso que eu e que são um bocado mais altas.. o que fazem elas?

De salientar que tenho uma estrutura regular, vulgo forma ampulheta, com ancas e rabo e, para mal dos meus pecados, pernas grossas (não há ginásio ou corridinha que me salve). Ou seja mesmo com menos 4 kilos, onde fico com 56, o que muita gente consideraria magro ou pelo menos normal-magra, uso à mesma o M e calças pelo menos 38. Por isso, serio, como fazem as pessoas um bocadinho maiores? E nem falo das pessoas realmente gordas, falo só das pessoas que são mais fortes porque sim, porque nasceram assim, é constituição e pronto.

Nem todas as mulheres são estrutura rectângulo  vestem roupas como se fossem cabides,  ess…

Ando a ler imenso

E a voltar ao meu ritmo normal de leitura para ao fim do ano ler o meu normal (entre 100 a 140 livros, sim isto é o meu normal, com excepção feita ao tempo de faculdade em que lia cerca de 60 por ano). .
Adoro ler e felizmente apesar de não poder comprar todos os que gostaria aproveito tanto  feira do livro, onde na hora H (livros a 50%) deste ano comprei mais de 11 livros, que já li quase todos.
Para além disso sou assídua frequentadora de bibliotecas, sendo a minha favorita a Fábrica das Palavras em Vila Franca. É uma biblioteca recente e muito bonita arquitectonicamente, que tem tanto os clássicos como as últimas novidades, o que é uma grande vantagem pois raramente compro novidades devido ao preço. Ao mesmo tempo e fantástico para descobrir autores que não conheceríamos de outra forma: por exemplo li recentemente um livre da Patti Smith  que adorei e nunca teria dado com ele de outra maneira.  Tenho o hábito de escolher não só livros que quero ler mas também livros ao acaso. Dá qu…

Pergunto

Como é que se pode perceber com tanta convicção, com tanta certeza, tão intensamente, que existem grandes histórias de amor, que dolorosamente, não são para acontecer?